Lages terá uma das maiores fábricas de madeiras da América Latina

Lages terá uma das maiores fábricas de madeiras da América Latina

O ponto alto da cerimônia desta terça-feira no Teatro Marajoara foi a assinatura do protocolo de intenções para a implantação em Lages de uma das maiores unidades de produção de placas de MDF, MDP e HDF da América Latina: a segunda unidade da Berneck em SC.

Com um investimento de R$ 800 milhões na primeira fase, vai gerar 550 empregos diretos e mais 1.500 indiretos, com a logística e o impacto da movimentação de matéria prima até a fábrica, nos serviços e nos postos de combustíveis.

O prefeito Antônio Ceron disse que o que a importância da fábrica não é tanto pelo impacto da produção no movimento econômico para o retorno de impostos. É a geração de empregos.

O Governador Raimundo Colombo disse que pode alguém duvidar, mas o investimento é irreversível porque Santa Catarina é o Estado em que a crise chegou por último e a recuperação chegou primeiro. Contou sobre a luta para convencer a empresa a investir em Lages. Foram algumas viagens a Curitiba e muitas reuniões de sua equipe com a diretoria, liderada pelo empresário Gilson Berneck, “um empresário corajoso, ousado, visionário e com os pés no chão”, observou.

As tratativas demandaram dois anos, quase o tempo do cronograma de implantação da unidade, que entra em funcionamento em 2020. Por duas vezes Gilson Berneck disse que ainda não era hora de investir. A decisão veio em setembro do ano passado, explicou o governador.

O Governo do Estado cuidou dos incentivos fiscais, das questões de sua competência, como energia e encaminhamentos de projetos. E o município disponibilizou a área para localização e o suporte de competência local.

O presidente da empresa, Gilson Berneck, disse que a unidade será idêntica à de Curitibanos, a maior do gênero até aqui na América Latina. Vai produzir placas (MDF, MDP e HDF), serrados de pinus e energia elétrica.

Sobre a implantação da unidade em Lages, o Governo do Estado assegurou recursos na ordem de R$ 3,3 milhões para aquisição de terreno por parte do Município. Por sua vez, após a desapropriação, o Município abrirá uma chamada pública de empresas com interesse na área para credenciamento, em conformidade com a legislação. A prefeitura deverá criar uma área industrial para tal fim. Ou seja, a Berneck deverá participar rigorosamente do trâmite juntamente a outros empreendimentos.