JUDIARIA DOS ANIMAIS – E ainda acham que ferradura dá sorte

JUDIARIA DOS ANIMAIS – E ainda acham que ferradura dá sorte

Cada vez que vejo um cavalo ou um burro puxando uma carroça fico indignado. Que cultura é essa que explora a força dos animeis e não tem piedade nem quando ele está doente ou ferido?

Deveríamos criar uma lei proibindo a tração animal. Também estabelecer punição para quem maltratar ou não socorrer um animal ferido.  A gente entende como a pessoa vê o ser humano com a forma de tratar os animais.

 

Crendices populares

Que história é essa de o povo ter crendices com relação aos animais? Como por exemplo achar que a ferradura dá sorte? Se ferradura na porta chamasse sorte, o burro já teria mudado de profissão

Há muito para ser respeitado na crendice popular. Também devemos respeitar o conhecimento ordinário, aquilo que ao longo do tempo as pessoas vão aprendendo e que funcionam. Há curandeiros que entendem do riscado.

Com relação a curandeiros, tenho um exemplo pessoal: quem em salvou a vida foi um curandeiro. Receitou leite de cabra para me recuperar de uma desnutrição.

Mina mãe até me disse que uma cabrita teve muito mais mérito na minha amamentação. O leite materno não estava me alimentando.

Com relação às crendices a gente pode respeitar algumas que tem fundamento. Outras não fazem o menor sentido. A ferradura em cima da porta é uma. Além de não significar sorte, pode ser considerado é um risco. Pode cair é na cabeça de quem bater a porta.

Se ferradura trouxesse sorte com certeza o burro já teria mudado de profissão. Só vive puxando carroça, levando gente montada e debaixo de chicote e judiaria.

Com relação aos costumes e aquilo que significa respeito a Deus e aos fenômenos da natureza e do cotidiano a agente deve aceitar. Por exemplo, o respeitara a Semana Santa é uma postura que a gente deve respeitar.

Afinal, devemos ter respeito pelo sacrifício de Jesus Cristo. MS na é precisos chegar tanto. Há gente que nem corta um pau de lenha nesses dias.

Não surrar as crianças na Semana Santa é também um fato a ser respeitado. Afinal, bater nas pessoas não é correto nem nos demais dias do ano.