EDUCAÇÃO APROVA ALUNOS SEM SABER NADA – Aí o Banco Mundial conclui que somos quase analfabetos.

EDUCAÇÃO APROVA ALUNOS SEM SABER NADA – Aí o Banco Mundial conclui que somos quase analfabetos.

 

Avanço Progressivo e novos equívocos no processo de ensino acabam nivelando mais por baixo ainda nossa Educação.

Para complicar mais um pouco as coisas há quem defenda não cobrar uma comunicação na Gramática correta e num padrão adequado de qualidade. Dentro dessa visão, o aluno pode falar e escrever errado e não deve ser criticado para não parecer mais um bullying. O mesmo argumento é justificativa para o malfadado Avanço Progressivo.

A reprovação passou a ser considerada um constrangimento à criança que tenha mau aproveitamento na escola.  Ele nada mais é do que a aprovação automática, independentemente de a criança aprender. Hoje a aprovação é direta em muitas escolas do País.

Diante do exposto acima essa pequisa não poderia mesmo revelar outra coisa senão que existe um desastre no aprendizado. Com esse modelo de Educação que nos leva a aprovar sem aprendizagem e a aceitar como normal gente falar e escrever errado sem ser advertido para não significar bullying, não se chegaria mesmo a uma situação melhor.

Dizem que o avanço é para “não constranger” o aluno, mas na realidade deve ser para não gastar mesmo com mais professores, com mais salas de aula e um recheio melhor em sala de aula. Além disso, ensino ruim é bom para o sistema porque não forma seres humanos mais críticos.

Certos sistemas ideológicos, maus líderes políticos e gestores demagogos, inconsequentes e populistas geralmente querem massas que se contentem apenas com pão e circo. Só que isso não tem mas durado muito tempo. Estes sistema duram ate acaber o dinheiro dos outros.

A pesquisa diz ainda que a maioria das crianças de até sete anos é de analfabetos.  E o que é pior, esse estudo prevê que vamos demorar 270 anos para nos acostarmos a ler mais e mais de 70 anos para melhorar na Matemática.

Outras causas

As causas que o estudo aponta são: falta de valorização do recheio das paredes, não valorização do professor através de melhores salários, de qualificação, de requalificação, de não ser criada uma cultura com mais seriedade e políticas que premiem além do espírito também o corpo e os costumes.

Entre outros problemas que a pesquisa deveria destacar é que se investe mais em paredes porque aí tem placa de inauguração e nunca a prioridade pela Educação desce do palanque. Então não se preocupa com a qualidade do que oferece dentro da estrutura física da escola.

Ainda bem que esse estudo nos poupou da maior decepção que seria o constrangimento e o vexame por que passaríamos se tivesse dito que realmente só se constroem paredes porque é preciso super faturar obras para financiar projetos de poder, campanhas eleitorais e abastecer enriquecimento ilícito de muitos políticos, através da propina durante o processo de captação de obras públicas.

Mais causas robustas

Além do que diz o estudo do Banco, vamos piorar a decepção do caro leitor ao refrescar sua ideia com mais alguns pontos: como já dissemos anteriormente esse tal de Avanço Progressivo nada mais é do que deixar passar de ano, automaticamente, aluno que não aprende. Tem como justificativa não constranger a criança com uma reprovação. Só que a causa central é a redução de gastos na Educação.

O que vai acontecer é que iremos sempre nivelar tudo por baixo. Como iremos entrar no Primeiro Mundo com gente que não sabe nada?

A Coréia, o Japão e a China conviveram com guerras e encontraram a solução numa Educação rigorosa no aprendizado e na disciplina. Em 25 anos a Coréia do Sul, por exemplo, chegou ao que é hoje: líder em produção de tecnologia.

Nós só vamos transformar o enorme potencial do Brasil em dinheiro com rigor na escola, na disciplina da população, na luta incessante contra a corrupção e com mais seriedade, tanto na coisa pública como na iniciativa privada.

O Brasil tem um terço da água potável do Planeta; as melhores terras agricultáveis das Américas; muito petróleo a ser retirado; aqui não tem terremoto e maremoto; nem guerras periódicas. Mas precisamos construir uma cultura mais voltada para o conhecimento, para o ensino técnico, para o trabalho e para o empreendedorismo.

E a Reforma do Ensino Médio tem dificuldade para decolar porque esbarra nas limitações dos alnos para acompanhar conteúdos e em questões ideológicas. Em Lages mesmo temos exemplos de boas escolas técnicas que registram alto índice de evasão. Aposto que alunos desistem por não conseguir passar de fase.

Hoje as escolas só preparam pessoas para serem subordinadas. E isso é um passo para a acomodação e para a exploração. Não descobrimos ainda que o futuro passa pela porta de uma boa e eficaz escola. Assim a queixa será sempre a de que somos um povo explorado.

Pesse nisto: sem Educação severa tudo sempre irá para as mãos dos espertos. Tanto que se chover ouro hoje, amanhã ele estará todo nas mãos dos espertinhos. Com uma formação escolar assim como a nossa vamos sempre ser um celeiro de pobres e de inocentes úteis para serem manipulados por políticos profissionais carreiristas.