MAIS DUAS HISTÓRIAS DAQUELAS DE DAR GAITADAS de tanto rir: de um joaquinense e de um gaúcho.

MAIS DUAS HISTÓRIAS  DAQUELAS DE DAR GAITADAS de tanto rir: de um joaquinense e de um gaúcho.

Em São Joaquim há um bar onde o pessoal fica batendo papo, falando da vida alheia e contanto anedotas até perto do almoço.

Um joaquinense estava sentado em uma das mesas, meio no canto, com a garrafa de cana aberta e o copo até a metade. Era uma tristeza só!

Um amigo chegou e perguntou: o que há, qual o motivo dessa tristeza toda?

Resposta: a separação sempre é triste e dolorida. Ficam marcas pra sempre: saudades e muitos problemas!

Retrucou o amigo:

Que nada, bola pra frente, a fila anda, nem ligue! Até porque aquela sem vergonha nem merece teu sofrimentos. Andava te traindo com todo mundo!!!

O amigo, mais triste ainda:

Não, eu me separei foi do meu sócio!!!…

Uma semana após:

O amigo encontrou o sujeito na mesma fossa. E a mesma cena da bebida!

O que foi agora?

Garanto que agora foi ela que te aprontou?

Resposta:

Não, agora foi meu homem que me deixou.


O gaúcho e o exame da próstata

O gaúcho foi ao médico, fazer exame de próstata. Já foi logo perguntando: Doutor, não há outro tipo de exame sem ser esse do toque do teu dedão?

Tem sim, mas a o exame de toque é mais seguro. Você pode me dar importantes informações.

Antão vamos nesse mesmo, disso o gaúcho.

O médico: tira a roupa e fica de costas!

Por que tirar a roupa, indagou.

Como irei fazer o toque, se estiver de bombacha?

Com muito custo o gaúcho tirou a bombacha.

O médico iniciou o exame: mexia o dedo, fazia movimentos e perguntava:

Sente alguma coisa aqui?

O gaúcho: não sinto nada aí.

E agora?

Também não sinto nada!

E agora, sente alguma coisa?

O gaúcho: “AGORA SINTO QUE TE AMO!!!