ENCONTRO DISCUTE EMPREGABILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – Assistência Social, Habitação, trabalho e mobilidade

ENCONTRO DISCUTE EMPREGABILIDADE DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA – Assistência Social, Habitação, trabalho e mobilidade

Veja aqui sobre a Assistência Social e Habitação, com representantes em Encontro de Formação Profissional e Empregabilidade de Pessoa com Deficiência. Sem esquecer da habitação e a mobilidade.

Assuntos importantes foram debatidos na última quarta-feira (18 de abril) como o do jovem Matheus Barbosa Bandeira, de 23 anos, estagiário do setor de Tecnologia da Informação – (TI), da Secretaria de Assistência Social e Habitação. Ele foi um dos 150 participantes do “Encontro Regional de Formação Profissional e Empregabilidade de Pessoa com Deficiência: Nos Caminhos da Inclusão”.

Foi uma promoção da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e o evento ocorreu no Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), com o intuito de reunir instituições de atendimento especializado e de formação profissional, órgãos de assistência social, órgãos reguladores e meio empresarial para discutir ações que garantam à pessoa com deficiência acesso à formação profissional e ao mercado de trabalho.

ANEXO

Saiba mais abaixo:

De acordo com o jovem Matheus, o Encontro serviu para conhecer o trabalho da Fundação Catarinense de Educação Especial. “A Fundação realiza o cadastramento de Pessoas com Deficiência – (PCD) que possuam interesse em conseguir empregabilidade. Depois disso, quando houver oportunidade, as próprias empresas entram em contato com a Fundação em busca de candidatos”, explica. Ele também ressalta que após ser efetuada uma contratação, a Fundação realiza encontros com a empresa contratante para avaliar o andamento das atividades do funcionário e sugerir alternativas, se for o caso. “Essa é a primeira vez que participo de um Encontro Regional voltado para este tema. Achei tudo muito válido. Lá eu fiquei sabendo que existem vagas para PDC e nós precisamos ocupá-las. Nem sempre a deficiência é física”, destaca Matheus, acadêmico da 3ª fase do Curso de Sistemas de Informação da Uniplac.