Homem polui até sua própria pele

Homem polui até sua própria pele

Dentro dessa linha de raciocínio de que o homem é o maior poluidor sobre a terra, constata-se que ele suja até a própria pele, obra maravilhosa de Deus. Quero ver daqui um pouco se passar a moda das tatuagens o custo do tratamento a laser ou transplante de pele. Tomara que inventem logo algum “procedimento tatuístico” que seja removível mais facilmente. Parece que já inventam, pelo menos para a novela.

Sem contar que muita gente agride até seu interior e sua dignidade: vias respiratórias, órgãos vitais e até quem o cerca. São as porcarias que lhes trazem uma droga de vida.

 

Homem polui até seu interior

 

Estão cada vez mais raras as caras limpas em determinado estilo de vida na faixa etária da juventude. E a tendência é piorar. Mais dificuldades virão e isso traz crises existenciais e sonhos de consumo não realizáveis.

O perigo é que novamente vire moda fumar cigarro e está virando. É o primeiro passo para que muita gente entre numa droga de vida.

Essa poluição interior e da dignidade não atinge só a obra de Deus, o ser humano. Além de um decadente humano, o doente químico é um problema social que não agride apenas a si, mas, também, a todo aquele que o cerca. Essa doença social causa prejuízo à Sociedade, ao Estado e às pessoas que amam seus entes queridos desventurados.

Há que haver políticas sérias, eficazes, que não apenas tapem o sol com peneira. Precisamos tratar o dependente químico como doente mesmo, fruto de uma sociedade egoísta, cheia de sonhos de consumo não realizáveis e fantasias. Suspeito que o maior culpado seja o berço, pois ensina a Sociologia que o homem é produto do meio.

O dependente não é mais apenas um cisco preso nas malhas da cidade grande. Essa droga de vida está presente até nas pequenas cidades, porque houve um brutal avanço nas comunicações, criando cada vez mais necessidades da civilização moderna. Que os candidatos desta eleição já comecem a pensar em políticas específicas essa área.

Que tal estimular a vida saudável e produtiva. Tornar moda a busca de conhecimento, da competência, do trabalho, da prática esportiva, enfim, de uma vida saudável e que faça sentido e tenha lógica. Um bom slogan seria “craque só nos estudos e nas quadras esportivas”.

 

 

 

 

imagem retirada do site: medacafe.com