CAI O MINISTRO DA SAÚDE – Teich disse: “não aceitei ser ministro pelo cargo e sim pelo Brasil”.

CAI O MINISTRO DA SAÚDE – Teich disse: “não aceitei ser ministro pelo cargo e sim pelo Brasil”.

MINISTRO NEM CITOU A POLÊMICA SOBRE A CLOROQUINA QUE TERIA RESULTADO NA SUA SAÍDA DO MINISTÉRIO.

A causa real da saída do ministro foi porque não houve acordo com secretários estaduais e municípios sobra o plano de flexibilização do isolamento. Essas pessoas são as que sentem na ponta o grave problema que vem por aí caso seja flexibilizado o isolamento social e permitida mair circulação de pessoas no momento crucial da pandemia e com o sistema praticamente em colapso.

DESPEDIDA DO MINISTRO

Durante apenas sete minutos, o Nelson Teich se despediu do Governo. Agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro pela oportunidade de comendar o ministério durante o período de pico da pandemia.

A fritura do ministro vinha desde a semana passadas com o discurso dele refirmando a necessidade de continuidade do isolamento e sem flexibilização.

Mais recentemente com o decreto liberando academias, barbearias e salões para reabrir com a ação dos governadores e prefeitos que desejassem e sem antes falar com o ministro.

“Não é tão simples assim nesse ministério num tempo tão difícil”, disse o ex-ministro, destacando que a equipe do ministério trabalhou dia e noite e já há um plano de trabalho para o ministério, junto com estados e municípios. Estes são os verdadeiros operadores do SUS, com governadores, secretários e prefeitos.

O ex-ministro chegou a se emocionar ao falar das visitas que fez na ponta (estados) viu a dedicação do pessoal técnico da Saúde na missão de salvar o máximo de vidas.

“Sei que dei o melhor de mim”, iniciou ele sua despedida, após ter dito nos bastidores que não iria manchar sua biografia, contrariando a ciência e as orientações da área técnica e médica.

image

A passagem de Teich pelo ministério durou apenas 28 dias. A cena da foto foi de sua posse.