Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Nenhum banner para exibir

Anunciar Empresa
DEPUTADO OBTÉM COMPROMISSO DO GOVERNADOR PARA CONCLUSÃO DE OBRAS – Hospital em Lages e Serra do Corvo Branco serão concluídos com recursos próprios.

DEPUTADO OBTÉM COMPROMISSO DO GOVERNADOR PARA CONCLUSÃO DE OBRAS – Hospital em Lages e Serra do Corvo Branco serão concluídos com recursos próprios.

DEMAIS OBRAS DEPENDERÃO DE FINANCIAMENTOS A SEREM BUSCADOS NO ANO QUE VEM, MAS EQUIPAMENTOS DO HOSPITAL TERÃO LICITAÇÃO ANA QUE VEM. Último
PÚBLICO TAMBÉM FOI ATRAÇÃO NA 2ª NOITE DO FESTIVAL “UMA CANÇÃO PARA CRICIÚMA”/SC – O espetáculo faz parte das comemorações dos 140 anos da cidade.

PÚBLICO TAMBÉM FOI ATRAÇÃO NA 2ª NOITE DO FESTIVAL “UMA CANÇÃO PARA CRICIÚMA”/SC – O espetáculo faz parte das comemorações dos 140 anos da cidade.

Nesta sexta, 15, acontece a 3ª etapa, completando as 36 composições participantes do festival. Sábado será a grande noite. Serão
NOVA FRENTE PARLAMENTAR VAI CONTRIBUIR COM O MODELO PRODUTIVO CATARINENSE – A Frente do Agronegócio, Turismo Rural e Tradicionalismo é ideia inteligente.

NOVA FRENTE PARLAMENTAR VAI CONTRIBUIR COM O MODELO PRODUTIVO CATARINENSE – A Frente do Agronegócio, Turismo Rural e Tradicionalismo é ideia inteligente.

SANTA CATARINA É MODELO AO BRASIL EM AGROINDÚSTRIAS, COOPERATIVISMO E EQUILÍBRIO SÓCIO ECONÔMICO. O sucesso do setor produtivo catarinense é consequência
NOVO PARTIDO DE BOLSONARO ESTÁ EM ALTA EM SC – Meta é de 1.000 novos membros/dia e diretórios municipais já.

NOVO PARTIDO DE BOLSONARO ESTÁ EM ALTA EM SC – Meta é de 1.000 novos membros/dia e diretórios municipais já.

    "ALIANÇA PELO BRASIL" VIRA O FATO POLÍTICO DA SEMANA E BOMBA NAS REDES SOCIAIS E MÍDIA IMPRESSA DO INTERIOR. Perfil oficial
LANÇADA NOVA FRENTE PARLAMENTAR – A do Agronegócio, Turismo Rural e Cultura Tradicionalista.

LANÇADA NOVA FRENTE PARLAMENTAR – A do Agronegócio, Turismo Rural e Cultura Tradicionalista.

Foi nesta quarta, 13, na ALESC, reunindo representantes destes importantes setores do bem sucedido modelo produtivo catarinense. Na mesa dos trabalhos
OPINIÃO – MINISTRO PAULO GUEDES TEM RAZÃO – A Lei de Responsabilidade Fiscal é inócua sem a cultura da responsabilidade nos gastos.

OPINIÃO – MINISTRO PAULO GUEDES TEM RAZÃO – A Lei de Responsabilidade Fiscal é inócua sem a cultura da responsabilidade nos gastos.

PARA NÓS AQUI DO PORTAL O PODER PÚBLICO JÁ NASCEU COBRADOR DE IMPOSTOS E EXPLORADOR DAS RIQUEZAS NATURAIS E DAS
MUNICÍPIOS SÃO UM FARDO A MAIS PARA O CIDADÃO – Mas só enxugando a folha da Prefeitura e da Câmara já não é preciso incorporação.

MUNICÍPIOS SÃO UM FARDO A MAIS PARA O CIDADÃO – Mas só enxugando a folha da Prefeitura e da Câmara já não é preciso incorporação.

BASTA SUBSTITUIR O LEGISLATIVO POR UM CONSELHO SEM SALÁRIO QUE REDUZ O QUADRO E MELHORA O RESULTADO. OPINIÃO Quando as câmaras de
BEM HUMORADAS DO FUTEBOL NO PORTAL – Técnicos param em pé enquanto os jogadores querem. Dos que derrubaram o chefe só as raposas velhas perderam.

BEM HUMORADAS DO FUTEBOL NO PORTAL – Técnicos param em pé enquanto os jogadores querem. Dos que derrubaram o chefe só as raposas velhas perderam.

TÉCNICO DE FUTEBOL ATÉ PARECE MINISTRO DA EDUCAÇÃO: SE O APARELHAMENTO IDEOLÓGICO, OS MANISFESTANTES E OS GREVISTAS RESOLVEREM, DERRUBAM. Como é

UMA CONSTRUÇÃO QUE DUROU MAIS DE 200 ANOS – Agora 282 precisa ser duplicada e privatizada.


serra 15
Esta postagem foi publicada em 5 de outubro de 2019 Administração, Notícias, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

COM A PALAVRA OS SENADORES ELEITOS: ESPERIDIÃO AMIN  E JORGINHO MELO QUE DISCURSARAM A CAMPANHA INTEIRA SOBRE MAIS RETORNO $$$ A SC.

1-espieridiao-amin-jorginho-melo

A BR-282 é o caminho entre o turismo de veraneio catarinense e o turismo de serra e de inverno.

O desafio dos novos senadores  – Amim e Jorginho – será conseguir uma parceria público privada. É que dinheiro público só haverá daqui uns 20 anos.

Nossa representação política regional se reduziu a praticamente a zero. É sem expressão, inexperiente e será contra os governos estadual e federal.

A PARTIR DE AGORA A BR-282 SÓ VAI TER SENTIDO CASO SEJA INTEGRADO O TURISMO DE VERANEIO DO LITORAL E O TURISMO DA SERRA CATARINENSE.

Veja agora as imagens mágicas do potencial turístico de Santa Catarina. O contraste do calor e o frio distantes apenas 200 km.

chamada EDITADA

maxresdefault

Praça Central, onde os turistas chegam primeiro

Praça Central, onde os turistas chegam primeiro

sao-joaquim-sc .......

111

…………..

A ESTRADA CONSTRUÍDA A DURAS PENAS, RECEBENDO MIGALHAS E PELO VIÉS POLITIQUEIRO AGORA ESTÁ ULTRAPASSADA, INEFICIENTE E PERIGOSA DEVIDO AO GARGALOS.

Conheça agora alguns capítulos dessa história.

A história das obras da BR-282 se divide em capítulos. A rigor, foi uma rodovia federal pavimentada por delegação ao Estado. O governo federal fazia um convênio com o Estado e repassava os recursos.

Nesse tempo ainda não havia uma Laja Jato para espantar a corrupção da propina do “BERRODUTO”

bb97bb4b6719f73c72fcdd6f6278e72abf524dd3

O primeiro capítulo dessa história foi protagonizado pelo ex-governador Antônio Carlos Konder Reis. Ele fez o primeiro trecho de 30 km de Bom Retiro até a Ponte Canoas. Isso foi anos de 1970.

O ex-governador Jorge Bornhausen fez o trecho de Índios até a BR-116, incluindo os trechos urbanos de Lages. Também deu início à construção das pontes e do viaduto V-8, em Rancho Queimado.

Esperidião Amin fez o maior trecho da rodovia, os 102 km entre Águas Mornas e Bom Retiro. No segundo mandato, Amin fez mais dois km do Salto Caveiras até a ponte Amola Faca, em direção a São José do Cerrito.

Vilson Kleynubing - 42km da ponte Canoas a Indios

O ex-governador Vilson Kleynubing fez o trecho de 42 km entre a Ponte Canoas e índios. Foi o trecho mais difícil, pois a inflação era de 83% ao mês e quando os recursos chagavam já não valiam quase mais nada. O Estado ficava com parte do prejuízo. A gente lembra que no Governo Esperidião Amin o Besc entrou em dificuldade, em parte, devido aos prejuízos financeiros das obras da BR-282. Os recursos vinham defasados e o banco já havia bancado os gastos.

Paulo Afonso - Inauguração do trecho BR 116 à entrada do Salto

Show das Perolas Negras na Inauguração do trecho BR 116 à entrada do Salto

O ex-governador Paulo Afonso asfaltou o trecho da BR-116 até o Salto Caveiras. Também foi um tempo difícil devido aos recursos e a instabilidade no Governo Federal com o impeachment de Fernando Collor e ascensão do vice Itamar Franco à Presidência.

Luiz Henrique- trecho Amola faca ao Cerrito

O ex-governador Luiz Henrique da Silveira Fez o trecho da Ponte Amola Faca até São José do Cerrito, com R$ 5 milhões do Estado e de R$ 7,1 milhões do Governo Federal. Foi o convênio mais demorado, devido à burocracia do Governo do PT. Inúmeras viagens do governador Luiz Henrique a Brasília e vindas de ministros a Florianópolis.

O último trecho, de 55 km, de São José do Cerrito até Campos Novos foi o único exclusivo do Governo Federal. Na primeira fase das obras, a empreiteira ARG parou a obra por ordem da Comissão Mista de Orçamento do Congresso, alegando um superfaturamento de R$ 11 milhões. Um acordo mediado pelo Procurador da República em Lages, Nazareno Jorgealém Wolff, possibilitou a retomada das obras com a empreiteira comprometendo a repor em serviços os R$ 11 milhes alegados.

Idelí Salvatti em manifestação pelas obras em Campos Novos - foi responsavel pelo trecho Cerrito à Campos novos

Do lado do Executivo que quem realmente foi responsável pela conclusão das obras da BR-282, do Cerrito a Campos Novos, foi a senadora Idelí Salvatti, durante o Governo Lula. Pode ser considerada a Mãe da BR-282 de São José do Cerrito a Campos Novos.

FOTO2

Também o 1º BEC teve seus méritos na pavimentação dessa obra. Além de construir as pontes viadutos, pavimentou o trecho da BR-116 à Entrada do Salto Caveiras, no Governo Paulo Afonso. Depois pavimentou o trecho seguinte, até São José do Cerrito.

Todos os parlamentares da região participaram da campanha pela BR-282. Deputados: Henrique Córdova(e ex-governador), Evaldo Amaral, Paulo Duarte, Ivan Ranzolin, Raimundo Colombo, Fernando Coruja, Rivaldo Macari, Francisco Küster e o senador Dirceu Carneiro.

História curiosas da construção da BR

HÁ 200 ANOS ERA APENAS UMA PICADA. DEPOIS VEIO A ESTRADA DE CHÃO E DE 60 PRA CÁ VIERAM OS TRECHOS DE ASFALTO.

No começo do século passado os prefeitos iam a Florianópolis pela estrada de chão batido. Era um dia de viagem. Conhecemos o Tio Celso Osmundo, motorista do Vidalzinho. Ele contava que numa das viagens a Florianópolis o Secretário de Finanças do Estado perguntou ao prefeito: – Seu Vidal, quantos metros de dinheiro vai querer? – “Uns 15 está bom”, teria respondido o prefeito. “Viemos a Lages pisando em cima do fardo de dinheiro”, garantiu o Tio Celso. As notas eram recortadas na prefeitura.

AÍ COMEÇOU A VIR O ASFALTO.

A BR-282 foi uma rodovia reivindicada há mais de 200 anos. Mas o asfalto começou a surgir na segunda metade do século passado. Todos os governadores participaram de sua construção. Esperidião Amin foi o governador que mais trechos asfaltou nessa rodovia. O maior deles foi o de Águas Mornas a Bom Retiro, de 102 quilômetros.

Certa vez o então prefeito Paulo Duarte espalhou placas ao longo do leito de chão batido da rodovia, ironizando sua demorada construção. Uma delas dizia: “Não se irrite, são apenas mais 40 km de poeira!”

Porém, a mais célebre frase de Paulo Duarte foi esta: “Se vendêssemos a carne já consumida em churrascos de lançamentos de Ordens de Serviço e de manifestações na BR-282, daria para pagar a conclusão da sua pavimentação”.

Uma passagem de saia justa de Paulo Duarte foi no churrasco de inauguração do trecho até Bom Retiro. A cidade ficou vazia. Os 4 ou 5 mil habitantes estavam todos na festa. O prefeito Paulo Duarte, de Lages, também era o  presidente da Amures. Duarte chamava o secretário executivo, o falecido Luiz Carlos Régis, de “Nego Régis”. Ao enxergar o Régis, Paulo Duarte disse: pensei que pobre não entrava aqui. Quando olhou para o lado estava sentado um cara de uns 2 metros de altura, pobre e rosilho de velho. Meio sem graça, Duarte tentou consertar: “o senhor me desculpa, eu só estava brincando com o DR Régis. Aqui a festa é pra todo mundo”.

 


562 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-