O VÍRUS NOS MOSTROU OS LUGARES MAIS ESQUECIDOS: a periferia da periferia – a favela – que vem ocupando o horário nobre. A máscara usada: aquela tecida pelo sofrimento e a dor!

O VÍRUS NOS MOSTROU OS LUGARES MAIS ESQUECIDOS: a periferia da periferia – a favela – que vem ocupando o horário nobre. A máscara usada: aquela tecida pelo sofrimento e a dor!

MESMO QUE EM TROCA DE VIDAS, O CORONAVÍRUS DEU UMA “CONTRIBUIÇÃO” IMPORTANTE: MOSTROU O SOFRIMENTO NOS LUGARES MAIS ESQUECIDOS.

Logo no início desta pandemia ficamos sabendo pelo noticiário diário que onde iríamos perder mais vidas seria nas favelas e por questões lógicas, óbvias.

Veja:

Como fazer distanciamento social com as 10 pessoas de um só cômodo* de 10 x 10 m?

Como pensar em higiene pessoal e cuidados com o inimigo perigoso, se na frente sempre há um rosário de necessidade?

Como tomar um banho, se nem há banheiro, tampouco uma rede de esgoto?

Como usar álcool em gel nas mãos, se nem água tratada para enxaguá-las existe?

Por fim, ainda bem que resta o consolo da máscara da desfiguração que o sofrimento e a dor tecem nos rostos!

Como o líder político ou qualquer governante pode pensar em popularidade, se antes daquele que é eleitor existe o sem teto, o sem dignidade e o sem título eleitoral?

Claro que não será com nenhuma renda emergencial que uma situação desta irá mudar. Somente se irá resolver é com desenvolvimento e mais oportunidades, o que realmente reduz desigualdades.

~~~~~~

(*) Cômodo: partes da casa, padrão. Do Latim: commodus. Há quem atribua sua origem ao imperador romano Cómodo. Porém, ela já existia bem antes de seu nascimento, no ano 161.

Ironicamente, a palavra cômodo também significa adequado, conveniente, satisfatório.