Prefeito arruma a casa e agora tem caixa para obras

Prefeito arruma a casa e agora tem caixa para obras

O prefeito de Capão Alto, Tito Freitas, desenvolveu uma política de austeridade em 2017, com uma gestão consciente e planejada para os recursos e as compras. Com isso, agora inicia o ano de 2018 com salto em caixa (em torno de R$ 1,2 milhão) e dotações orçamentárias para realizar obras com recursos próprios, as contrapartidas e as negativas para os investimentos através de convênios e parcerias com o Governo do Estado e a União.

SAM_8638

Em entrevista ao eronportal nesta quinta, 11, o prefeito disse que agora as obras vão deslanchar, a começar pela reforma que vem promovendo na praça central, revitalização da área urbana, e da avenida principal.

SAM_8635

No primeiro ano a meta foi manter o apoio produtor rural, as despesas obrigatórias, pagar as contas e fazer economia.

Agora inicia o ano de 2018 com saldo em caixa para obras com recursos próprios e com capacidade de investimentos e certidões negativas para convênios e parcerias com as outras esferas de governo.

Nos próximos dias a deve acontecer uma reunião para discutir a possibilidade de realizar uma edição da Festa da Paçoca. Para isso, agora o Parque Municipal de Eventos está preparado e ainda receberá mais algumas melhorias para os eventos daqui em diante.

 

Recordando o esforço da equipe das finanças no ano passado.

SAM_8125-001

Em 2017 a meta do secretário Rodrigo Pereira de Jesus foi por as finanças em ordem. Iniciou com uma reformulação no Departamento de Compras, que comprava só o que a pasta poderia pagar, foi mantida a frotas e os serviços essenciais e preparou tudo para este ano.

Veja na matéria a seguir:

 

No seu primeiro ano o prefeito Tito Freitas dedicou energias na organização da casa e equilíbrio das constas. Com isso, a nova administração de Capão vem fazendo escola em termos de austeridade e otimização dos recursos públicos. “Não é mágica, é só organização para fazer economia, sem comprometer o andamento das obras, das ações e os serviços prioritários”, diz o Secretário de Finanças, Rodrigo Pereira de Jesus.

Dentro da filosofia e da orientação do prefeito Tito Freitas, onde tudo é pautado pela honestidade, organização e transparência, foram superadas as dificuldades do primeiro ano.

Para se ter uma ideia, até setembro do ano passado a Prefeitura gastou 25% a menos do que gastou no mesmo período no ano anterior . E aí entram todos os gastos com a frota: entre combustível, lubrificante e pneus. E no geral, houve uma economia de 25% de um mês para o outro.

O Departamento de Compras passou a verificar a real necessidade do gasto e barganhava preços através de três orçamentos. Com isso, a Prefeitura conseguiu entrar em 2018 com dinheiro em caixa (em torno de R$ 1,2 milhão).

Na hora da compra no caso da oficina, era preciso laudo expedido pelo mecânico, a supervisão do secretário e do diretor do setor. Só se concretizava a compra se realmente houvesse necessidade.

Assim foram cumpridas as metas do primeiro ano que eram: não atrasar fornecedores, não atrasar a folha e fazer um fundo para o 13º salário, que já estava no banco antes do prazo. Com a reestruturação no Departamento de Compras, há uma pessoa responsável e uma avaliação prévia da real necessidade e a barganha de preços com três orçamentos.

No primeiro ano foi usada essa política de gestão austera também devido às incertezas da Economia e do comportamento da receita efetiva.

Segundo o Secretário Rodrigo, a previsão orçamentária era um guia. O dinheiro em caixa é que contava. Portanto, Só havia compra se tivesse dinheiro em caixa.

Assim foi possível manter o básico e economizar sem comprometer obras, ações e serviços essenciais.

Portanto, o município de Capão Alto está fazendo escola em termos de austeridade e otimização dos recursos públicos. “Não é mágica, é só organização para fazer economia, sem comprometer o andamento das obras, das ações e os serviços prioritários”, diz o Secretário de Finanças, Rodrigo Pereira de Jesus.