STF ESTÁ JULGANDO 1º PARLAMENTAR ACUSADO NA LAVA JATO – Placar é 2 a 0 pela condenação. Sessão continua na terça.

STF ESTÁ JULGANDO 1º PARLAMENTAR ACUSADO NA LAVA JATO – Placar é 2 a 0 pela condenação. Sessão continua na terça.

ENCAMINHADO PARA CONDENAÇÃO CASO NELSON MEURER.

Pode sair a condenação pelo STF do primeiro politico com mandato envolvido na Operação Lava Jato. O primeiro político que tinha foro privilegiado e que já foi condenado foi  ex-governador Azeredo/MG, está semana.

O CASO MEURER

Em cerca de cinco horas de sessão saíram os primeiros dois votos pela condenação do deputado Nelson Meurer/PP-PR.
pós cinco horas de sessão e dos Já votaram pela condenação, o relator, ministro Edson Fachin e o ministro Celso de Mello, no julgamento da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, nesta terça, dia 22. A votação dos outros três ministros foi adiada  para a próxima terça-feira (29) na conclusão do julgamento do primeiro político denunciado na  Operação Lava Jato: o deputado Nelson Meurer (PP-PR).

Agora faltam os votos dos outros três ministros da turma (Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski).

Caso no final prevalecem as posições de Fachin e Celso de Mello, será a primeira condenação de um político no STF em razão da Operação Lava Jato.

Relator Minitro Edson Fachin

O ministro Edson Fachin é o Relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) e já votou nesta terça(22) pela condenação do deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) por corrupção e lavagem de dinheiro.

O ministro, ao contrário do que afirma a defesa, argumentou que  Meurer exercia influência no seu partido, o PP, e que se beneficiou do esquema de corrupção que operou na Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

Por sua vez, a defesa diz que a denúncia de corrupção e lavagem de dinheiro apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) não procede.

Ele disse: “O quadro probatório é robusto em relação ao recebimento de vantagens indevidas, contando em muitos casos, com o auxílio de seus filhos”.

Conforme a denúncia da PGR, o deputado teria recebido R$ 29,7 milhões em 99, em  repasses mensais de R$ 300 mil, operacionalizados pelo doleiro Alberto Youssef.