SANTA CATARINA QUER VACINAR TODA A POPULAÇÃO ADULTA ATÉ OUTUBRO – É que já há indício dos efeito da vacinação em mortes e contaminação; inverno rigoroso é o que mais preocupa

SANTA CATARINA QUER VACINAR TODA A POPULAÇÃO ADULTA ATÉ OUTUBRO – É que já há indício dos efeito da vacinação em mortes e contaminação; inverno rigoroso é o que mais preocupa

FOTO: SC.GOV.BR

NO ESTADO, A ESTABILIDADE EM NÚMERO DE MORTES E CASOS É EM PATAMAR ALTO E JÁ DURA 15 DIAS; TAXA DE OCUPAÇÃO AINDA É ALTA

 

A meta da vacinação em SC é atingir toda a população adulta (acima de 18 anos) até o fim do prazo do decreto de calamidade pública prorrogado no último dia 27 até 31 de outubro; pelo menos com a 1ª dose, até dia 23 daquele mês.

É que  especialistas concluem que a queda nas mortes por Covid-19 e a redução da contaminação apontam indício de efeito da vacinação.

Alguns municípios estão se mobilizando para antecipar para setembro o cumprimento da meta de fim de outubro.

Visando esse objetivo, em Criciúma, por exemplo, o prefeito Clésio Salvaro editou decreto nesta quinta, que manda para o fim da fila quem insistir em escolher marca de Vacina: “Não é vinho”, argumenta ele.

 

PREOCUPAÇÃO

O decreto de calamidade pública, prorrogado há 4 dias, revela a preocupação do governo com a crise sanitária.

 

NÚMEROS QUASE IMÓVEIS, PORÉM PATAMAR É ALTO 

Em SC os números da pandemia estão em estabilidade desde o último dia 15 de junho, após dois dias de queda e longo período em estabilidade em patamar alto. O mapa da pandemia no estado tem revelado situação perigosa desde março. Aponta 15 regiões em nível gravíssimo

 

O Governo do Estado tem investido em UTIs, a vacinação é exemplar e as medidas restritivas tem sido um dos cuidados junto com os protocolos de saúde. Talvez isso tenha contribuído para barrar o avanço da pandemia, ainda que a estabilidade de mortes e casos tenha sido em números altos.

Só que nos últimos dias se nota a preocupação da secretaria da Saúde. A julgar pela renovação do decreto de calamidade no último dia 27 até outubro pelo governador Carlos Moisés.

 

ALGUNS PONTOS DO DECRETO 
 
Este ano, motivado pelo avanço da pandemia da Coivd, o decreto de estado de Santa Catarina foi reeditado em fevereiro e prorrogado desde então, conforme o comportamento da contaminação. Atualmente o mapa do coronavírus aponta 15 regiões em nível gravíssimo.

Esse decreto foi prorrogado até 31 de outubro e pela última ampliação de prazo teria duração até 30 de junho. Mas agora a extensão foi de 4 meses.

Pelo cronograma, a vacinação da população adulta, de 18 anos ou mais, é até 23 de outubro, pelo menos com a primeira dose. Última decisão das autoridades da saúde: quem insistir em escolher marca de vacina irá para o fim da fila.

Originalmente o decreto é de abril do ano passado, com prazo de 180 dias. Esse dispositivo traz as diretrizes de enfrentamento da crise sanitária e definiu, por exemplo, o Centro de Operações e Emergências em Saúde (Coes) como órgão de coordenação técnica das medidas contra.