RETOMADA OBRA INICIADA HÁ CERCA DE 5 ANOS – Com a ampliação, ETE Caça atenderá demanda de novas redes coletoras.

RETOMADA OBRA INICIADA HÁ CERCA DE 5 ANOS – Com a ampliação, ETE Caça atenderá demanda de novas redes coletoras.

EMPREITEIRA DIZ QUE 40% DA ESTRUTURA DO MÓDULO 3 DA ETE JÁ ESTAVA PRONTA.

Mais importante que fazer saúde curativa é fazer ações preventivas. O tratamento do esgoto é um dos casos. Pensando nisso a Administração municipal e a Semasa estão se preocupando com as estações de tratamento/ETES.

Tanto que na manhã desta segunda (24), o prefeito Antonio Ceron, o vice Juliano Polese e o secretário Municipal de Águas e Saneamento (Semasa), Jurandi Agustini, entregaram a ordem de serviço para a empresa STC Engenharia reiniciar as obras de ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) localizada no bairro Caça e Tiro. A partir de agora, a STC terá 18 meses de prazo para concluir as obras de construção do Módulo 3, da ETE Caça e Tiro. “No total serão cerca de mil metros quadrados de área construída, o que abrangerá também dois adensadores de lodo e um decantador secundário (para separação de lodo da água)”, explica o engenheiro da empresa contratada, Jéverton Moraes.

Segundo Jéverton, o Módulo 3 já está com cerca de 40% da estrutura prontos, pois a execução deste projeto de ampliação havia sido iniciada há cerca de cinco anos pela empresa Sulcatarinense. “O projeto foi paralisado por duas vezes, sendo que da última vez a STC chegou a retomar as obras. Porém, novamente houve problema burocrático e as obras ficaram paradas. Agora, retomamos a execução. Inicialmente toda a armação de aço deverá ser escovada e receber banho de produto anticorrosivo”, enfatiza o engenheiro. A ETE Caça e Tiro funciona com dois módulos, o 1 e 2, e somando-se o novo módulo, em construção, aumentará significativamente a capacidade de tratamento do esgotamento sanitário.

Ainda está prevista para a ETE Caça e Tiro a construção de um quarto módulo de tratamento. “A Semasa está implantando novas redes coletoras de esgoto, como por exemplo a rede central da avenida Ponte Grande, e para atender a futura demanda é preciso ampliar a estrutura de tratamento”, destaca o prefeito Antonio Ceron, que ainda complementa: “Com a conclusão das obras do Complexo Araucária e da avenida Ponte Grande, Lages passará a ter 70% de sua área urbana coberta com o sistema de coleta e tratamento de esgoto. A prefeitura já elabora projetos de implantação de rede coletora em bairros das regiões do bairro Santa Helena e Cidade Alta. Para isso teremos de buscar recursos do governo federal.”