REFORMAS VÃO PASSAR ATÉ DE FORMA SURPREENDENTE – Congresso deverá votá-las, mas, em defesa do Brasil.

REFORMAS VÃO PASSAR ATÉ DE FORMA SURPREENDENTE – Congresso deverá votá-las, mas, em defesa do Brasil.

PESARÁ O ESPIRITO PROTAGONISTA DA CLASSE POLÍTICA PARA AJUDAR A SALVAR O PAÍS.

Todos estamos na mesma Canoa. E um eventual naufrágio custará aos considerados culpados.

RECUPERAR O BRASIL DEVE DAR MAIS VOTOS QUE NEGOCIAR APOIO POR CARGOS E EMENDAS … OU MAIS DO QUE JOGAR PARA A PLATEIA…

Nestes novos tempos a opinião pública rejeita o fisiologismo e o discurso fácil dos mercadores de ilusões e daqueles do “quanto pior, melhor”.

Vivemos um tempo em que “a prática vale mais que a gramática”, isto é, um tempo apropriado para ações que deem resultados práticos, construtivos.

Quer dizer, ser parceiro do processo de salvação do País agora pode ser visto como fator decisivo para a sobrevivência dos políticos. É que o Brasil depende das reformas para crescer e se atrapalharem, fatalmente serão responsabilizados por uma eventual inviabilidade da Nação.

Portanto, um mutirão pelo Brasil dará mais dividendos eleitorais que o populismo barato e a postura tradicional da velha política assentada na mentira e na promessa vazia. Antes dava mais votos prometer e mentir bastante…

Parece que a classe política já percebeu, a julgar pela boa vontade e o empenho que vimos na tramitação da PEC da Previdência. Parece que já percebeu que o investidor quer segurança jurídica, economia sustentável e a cultura da responsabilidade fiscal.

Acredite, parece que até a oposição já viu que jogar só para a arquibancada é coisa do século passado. Que no Brasil, agora, dá mais voto ser um legislador construtivo que um legislador destrutivo.

Tudo indica, então, que as eleições do ano que vem mais ajudarão que atrapalharão a tramitação das reformas.

Por outro lado, como a mosca azul da presidência da República já picou muita gente do Parlamento, e possível até que já esteja alinhavada uma frente 2022 por lá.

Outra coisa, em algumas das reformas, como na Tributária por exemplo, a oposição e inclusive a esquerda podem ajudar. Afinal, os progressistas não discursaram sempre que é preciso taxar os ricos para dar mais aos pobre?

Durante a tramitação dessa reforma terão a oportunidade de sobretaxar os bancos, os especuladores, os jogadores de futebol e os técnicos, especialmente o da seleção, e as grandes fortunas.

Assim poderão ser reduzidos os impostos da comida, gás de cozinha, combustíveis e da energia elétrica. Isso provocaria uma brutal queda nos seus preços.

Onde controla assessorias.
Texto: Eron J Silva