OS MAIS RECENTES NÚMEROS DA GREVE – Veja o que esse prego na engrenagem produziu

OS MAIS RECENTES NÚMEROS DA GREVE – Veja o que esse prego na engrenagem produziu

A mobilização dos caminhoneiros foi a mais bem organizada entre todas nos mais variados setores. Foi altamente profissional em termos de logística e habilmente pensada com táticas infalíveis na aplicação de um cheque mate no País.

Foi um prego na engrenagem do setor produtivo, do cotidiano e da Economia.

Veja os últimos números que o movimento produziu:

 

Mais de 300 milhões de litros de leite foram para o ralo, ou mais de R$ 1 bilhão de prejuízo;

Mais de 70 milhões de aves já morreram de fome, num prejuízo de mais de R$ 1 bilhão;

Mais de 20 milhões de suínos podem morreram por falta de ração, num prejuízo de mais de R$1 bilhão;

O desafio será achar tanto lugar para enterrar tanto animal. Serão mais custos ainda;

Só em Goiás 20 indústrias do agronegócio estão paradas;

No comércio de São Paulo o prejuízo é de R$1,8 bilhões;

No comércio do Rio, mais de R$ 1 bilhão de prejuízo;

Mais de 45 % das indústrias estão paradas;

As usinas de cana terão R$ 180 milhões por dia;

Na construção Civil houve prejuízos de  R$ 2,4 bilhões até aqui;

A Toyota já suspendeu a produção em 3 das 4 unidades;

A Fiat, que fez parada técnica de dois dias durante a greve, novamente parou. Vai produzir 1,4 mil carros a menos;

O comércio eletrônico vendeu R$ 300 milhões a menos que o esperado;

As exportações terão U$1 bilhão de dólares a menos;

Companhas aéreas tiveram prejuízo diário de R$ 50 milhões;

A redução no preço do diesel vai custar R$ 9,5 bilhões em compensações à Petrobrás;

Para compensar a Petrobrás o Governo terá de suspender obras, ações e programas. Será menos emprego, mais inflação e dólar mais alto;

Devido à Lei de Responsabilidade Fiscal não há como deixar restos a pagar e podem surgir mais impostos;

Menos obras e menos benefícios é menos emprego e pontos mais baixos na Economia, além de mais inflação e mais crise;

Sem contar que a Petrobrás, devido ao dólar, o aumento do petróleo e a greve já perdeu R$ 126 bilhões em seu valor de mercado e caiu de 1ª para a 4ª empresa brasileira.