QUANTO VALE A VIDA, HOJE? – Diante da crescente violência já não vele nem 1,99. E as balas perdidas que não poupam nem as crianças?

QUANTO VALE A VIDA, HOJE? – Diante da crescente violência já não vele nem 1,99. E as balas perdidas que não poupam nem as crianças?

A VIOLÊNCIA URBANA É UM  EXEMPLO DE QUE A VIDA POR PERTO DELA SEMPRE ESTÁ POR UM FIO.

 

                                      A depreciação da vida pode ser explicada com vários fatores. O principal deles é a criminalidade que vem das organizações do mal e das drogas. E o que dizer da miséria, devido à falta de oportunidade? E da negligência das famílias na educação dos filhos, especialmente em relação às más companhias? Mas também há uma certa negligência para com a vida: o egoísmos na luta por dinheiro dentro das classes mais privilegiada. Veja nesta pandemia que ao tentar movimentar a economia em busca dele (o $) muita agente até põe em risco o semelhante com a contaminação. Sem dizer que para sair atrás dos negócios alguns nem se importam com os riscos aos seus, especialmente aos velhos

 

Num final de semana, só num dos bairros de uma das grandes cidades, veja quantos podem ter sido assassinados por marginais. E nos últimos tempos as crianças tem sido as principais vítimas das balas perdidas.

Até onde irá essa decadência humana? Será que a violência também já virou epidemia, das pequenas e médias cidades às grandes metrópoles? Onde será que vai parar a desvalorização da vida? Ela já vale menos que uma faca ou uma bala! No máximo uns 10 reais já valem um assalto.

Recentemente foi lançado um livro sob o título: O Homem Mais Inteligente da História. A teoria é a de que Ele não cabe na mente humana porque é Deus. Realente Ele está faltando nos lares, entre os casais, entre pais e filhos, entre professores e alunos, enfim, entre grande parte da humanidade.

É quase certo que os dois ou três assassinatos diários de qualquer cidade geralmente ocorrem por motivos fúteis e que em nada resolvem na vida de seus autores. O fato é que muitos já perderam o rumo e não tem mais nenhum temor a Deus.