MINISTRO PROPÔS UM TIRO DE CANHÃO NOS PRIVILÉGIOS E NO DÉFICIT – Mas parece que a classe política quer reduzi-lo a um tiro de espingarda.

MINISTRO PROPÔS UM TIRO DE CANHÃO NOS PRIVILÉGIOS E NO DÉFICIT – Mas parece que a classe política quer reduzi-lo a um tiro de espingarda.

A ÚLTIMA TESOURADA NO SENADO CUSTOU MAIS DE r$ 70 BILHÕES COM A RETIRADA DE UMA REDUÇÃO NO ABONO SALARIAL.

Não é que se deva ser contra o abono salarial, o fato é que foram criando direitos (“a torto e a direito”) sem a devida fonte sustentável de recursos para financiá-los.

Tanto é verdade que esse corte na economia da reforma da Previdência mexeu com os mercados.

Para se ter uma ideia do tamanho desse valor em torno de R$ 70 bilhões basta citar que toda a mobilização da Lava Jato até hoje ainda só recuperou R$ 3,1 bilhões da roubalheira.

E pensar que ainda vem o segundo turno da reforma no Senado!

MOROSIDADE

Além do efeito sanfona – avança e recua – a PEC da Previdência sofre alterações e cortes que são justificados com a criação de outras fontes. Mas isso é tudo em veremos…

Ainda bem que a promessa do Congresso é a de que deve prevalecer a previsão inicial do ministro Paulo Guedes: em torno de R$ 1 trilhão de economia em 10 anos, podendo chegar a R$ 1,3 trilhão, se aprovada a PEC paralela, onde estão as compensações dos cortes efetuados no Senado.

Também a reforma sofre com estratégias que ninguém entende. Essa indefinição na consolidação da base parlamentar. Haja coração!

Além disso, há um “mode e assopra” entre protagonistas que também atrapalha. muita gente querendo “ser o pai da criança”. Por fim, os mini recessos que atrasam e desmobilizam o quorum.

Também há fatos criados que não seria a hora deles, se o caso é salvar o País. Por exemplo, os recados para que o Governo se lembre da liberação de emendas parlamentares.

Mas, só um fato é certo: “vai passar a maior reforma da Previdência desde o Império”, como alguns tem dito.

Nem que seja em torno de uns R$ 800 bilhões de economia em 10 anos, como está praticamente garantido, atualmente.

………………

O QUE DEMOS ANTES:

VEJA O QUE DEMOS LOGO QUE A PEC DA PREVIDÊNCIA FOI ENVIADA AO CONGRESSO:

PEC DA PREVIDÊNCIA É UM TIRO DE CANHÃO NOS PRIVILÉGIOS E NAS DESIGUALDADES – Mas se depender só da classe política será reduzido a um tiro de espingarda.

Se a Sociedade entrar no canto de sereia da oposição radical, teremos uma nova escravidão: seremos escravos dos privilegiados públicos. E seremos uma Venezuela-II na América do Sul.

…………………………..

OPINIÃO DO SITE

NO BRASIL O QUE MAIS CRESCE É O DÉFICIT PÚBLICO E AS DESIGUALDADES.

Mas a PEC do Governo para a Reforma da Previdência é um tiro de canhão nas desigualdades e no déficit público. Mas, se deixar frouxo, o Congresso o reduz para um tiro de espingarda.

 

Hoje, de tudo o que o Brasil arrecada em impostos, 84% vão para pagar a dívida pública, a folha de pessoal, as verbas carimbadas e a Previdência.

Caso não seja feita a reforma da Previdência agora, em 2020 chegaremos a 100% de comprometimento da receita.

Como é que o Brasil irá investir em infraestrutura e tecnologia para reduzir o Custo Brasil e fazer nossos produtos mais competitivos no mercado internacional?

Cremos que o Poder Legislativo está sendo sincero quando diz que as reformas não são do Governo e sim do Brasil.

 

tfx-plenario-real-da-camara-fede

POUCA GEANTE SERÁ CONTARA

Quase todos os governadores passarão a fazer parte, indiretamente, da Base do Governo. Já perceberam a urgência de se fazer passar as reformas.

Apenas parte da oposição ideológica é que promoverá um festim de demagogia e votará contra.

Contudo, todo aquele que estiver com o juízo em dia não irá ser contra as reformas da Previdência, a Tributária, a Trabalhista, a do Estado e a dos Costumes.

Somente quem estiver fora do juízo é que não ajudará a evitar uma nova escravidão no Brasil. Reflita um pouco e logo perceberás que uma elite intelectual, ideológica e oportunista já quase se apoderou do País.

ERON PORTAL.

Onde controla assessorias.
Texto: Eron J Silva.