O FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA SÓ BENEFICIA INTERESSE DE CACIQUES – Foi apenas um presente grego do Congresso.

O FINANCIAMENTO PÚBLICO DE CAMPANHA SÓ BENEFICIA INTERESSE DE CACIQUES – Foi apenas um presente grego do Congresso.

ESSE DINHEIRO NEM SEMPRE CHEGA NA PONTA E POR ISSO NÃO CONTRIBUI MUITO PARA A RENOVAÇÃO.

Caso na última eleição o financiamento fosse público e privado a renovação teria sido bem maior. Também, foi um verdadeiro tiro n’água pensar que só o fundo partidário e o financiamento público de campanhas eleitorais diminuiriam a corrupção.

A forma anterior de financiamento era mais justa e equilibrava mais as forças entre os candidatos. Esse financiamento com dinheiro público foi mais um canto de sereia, especialmente da oposição, acostumada a se eleger pendurada nas tetas do poder público.

Com esse presente grego do Congresso o dinheiro ficou mais nas mão de dirigentes partidários ou melhorou, até aqui, para os candidaturas tradicionais que normalmente já tem maior poderio econômico.

 

E NESTAS ELEIÇÕES?

Nas eleições municipais deste ano o dinheiro também estará mais a serviço dos interesses dos caciques. E na disputa pelas vagas na Câmara, além de ocorrer pouca renovação, vai promover uma espécie de nomeação dos nomes de interesse dos partidos. Afinal, os maiores deles ficarão com a maior fatia e, certamente, priorizarão a eleição do prefeito.

 

OPINIÃO

(Postagem antes da eleição passada)

DINHEIRO PÚBLICO NA CAMPANHA SÓ VAI BENEFICIAR INTERESSE DOS CACIQUES.

Candidatos chamados independentes dificilmente receberão algum dinheiro.

Esta eleição (2018) vão ser divididos, entre o fundo partidário e o financiamento público, cerca de R$ 2,6 bilhões. Mas, quem pensa que vai participar igualmente desse dinheiro, engana-se.

A maior parte irá para as mãos dos atuais parlamentares dos grandes partidos que por sua vez estão nas mãos dos caciques.

Logo, os atuais, com certeza, serão os maiores beneficiados. A média de dinheiro para os grandes partidos será maior, em torno de  R$ 300 milhões. Aos menores, chegará muito pouco. Seus candidatos poderiam significar alguma renovação a  mais.

Então, os novos que se candidatarem vão apenas servir para “esquentar” o dinheiro dos líderes e atuais e dirigentes    partidários que devem ficar com boa parte desse dinheiro.

Os candidatos à Presidência da República dos grandes partidos receberão um bom dinheiro. A mídia nacional já fala em um mínimo de R$ 1 milhão cada. Aí até está tudo bem. Afinal, a majoritária é a esperança de todo partido para chegar ao poder.

Quer dizer, dificilmente irá mudar muito no quandro parlamentar que aí está, a não ser a renovação que a onda verde amarela deverá promover. Mas a renovação poderia ser maior sem as regras estabelecidas para a distribuição desses recursos.