O Editorial do Portal Carnaval: maior festa da Terra, um dos 4 produtos da Marca Brasil lá fora

O Editorial do Portal Carnaval: maior festa da Terra, um dos 4 produtos da Marca Brasil lá fora

O nosso País é conhecido lá fora através de quatro imagens que encantam o Planeta: a Amazônia, as praias, as lindas mulheres e o carnaval. Esta última é a maior festa popular do Planeta. O futebol já perdeu o status de marca registrada do Brasil lá fora.

Esta semana, como não poderia ser diferente, o tema do editorial do eronportal.com.br é um desses poderosos produtos que atraem milhões de turistas do mundo inteiro: o Carnaval. Nossa maior festa popular vai gerar mais de R$ 6 bilhões este ano.

Rio de Janeiro, Salvador, Recife e São Paulo são os destinos preferidos dos turistas lá de fora. Tanto que desde sexta-feira a ocupação dos hotéis é recorde no ano. Nem a violência do Rio de Janeiro, por exemplo, assusta os visitantes.

Portanto, é inegável a importância do Carnaval para as cidades citadas acima. Gera empregos, traz divisas e projeta o Brasil. Mas, há só coisa boa no Carnaval? Não há seu lado ruim e perverso?

É importante se falar de algumas verdades sobre o Carnaval. O que traz de Ruiz? No que impacta? E o que vem depois dele? Até como alerta para a prevenção.

Sem falar no aumento de doenças e gravidezes indesejáveis devido à promiscuidade, o Carnaval é uma espécie de ópio durante três dias para que as pessoas se esqueçam dos problemas da vida difícil. Quando é preciso achar como esquecer agruras, é porque não deve estar tudo bem a vida!

Já percebeu que ano após ano aumentam os blocos carnavalescos? Milhares deles reúnem milhões de pessoas em cidades como Rio de Janeiro, Olinda, Recife, Salvador, São Paulo e Belo Horizonte.

As ruas viraram passarelas para que as pessoas mais privilegiadas se mostrem nas redes sociais e para a platéia de súditos que estão a admirar seus corpos bonitos e suas fantasias. Tanto que o culto ao belo corpo virou uma neura, um exagero, a muita gente.

Nesse grande cenário aumenta cada vez mais o assédio de toda ordem, que incomoda. Além das manifestações maldosas do preconceito em relação à poção sexual.

O contra ponto foi que surgiram inúmeras campanhas do não ao assédio e ao preconceito. Mas quem exagera e se passa argumenta que se alguém sai na chuva é para se molhara, coisa dos disfarçados!

Também, longe de ser festa só popular, o Carnaval é uma festa que reúne populares que servem de encanto às elites; para fazer a festa dos ricos; isto é, para servir de pano de fundo a momentos de faz de conta.

É a festa em que num dia o sujeito é rei na passarela do samba e no outro vai limpar a imundice que os ricos, as elites e os turistas deixam por toda parte.

Se o Carnaval é uma festa num ambiente onde existe igualdade, também é verdade que é uma festa de promiscuidades e de realização de sonhos e fantasias impossíveis. Tanto que no quarto dia todos voltam à realidade.

Ainda é bom destacar que se por um lado o Carnaval é uma festa que traz divisas, por outro é de total incoerência e sem muita lógica em relação à energia que também poderia ser aplicada de forma útil também fora dele. Seria uma alavanca poderosa no desenvolvimento. Com essa mesma energia no trabalho e nos bancos escolares o Brasil já poderia ser uma das maiores potências do Planeta.V

Veja o cometário que projetou nacionalmente a apresentadora Rachel Sheherazade