CRIANÇA PRECISA TRABALHAR DESDE CEDO – Deve assumir compromissos em casa e na escola.

CRIANÇA PRECISA TRABALHAR DESDE CEDO – Deve assumir compromissos em casa e na escola.

A CRIANÇA DEVE ASSUMIR RESPONSABILIDADES JÁ DE PEQUENA, DESDE QUE DENTRO DE LIMITES E SEM COMPROMETER O DESEMPENHO NA ESCOLA.

 

E por que isso? É porque se observarmos uma floresta iremos perceber que quanto mais frondosa for uma árvore, mais profundas e mais resistentes serão suas raízes. É que a natureza a dota de resistência para enfrentar as ventanias e a se manter em pé.

Em nossa vida é a mesma coisa. Quando a gente se acostuma a ter responsabilidade e a superar dificuldades desde cedo, tira de letra o desafio de enfrentar as tempestades da vida.

Você não precisa ser um carrasco para seus filhos, tipo dizer que “para trabalhar um braço quebrado não atrapalha porque tem o outro”. Nem deve fazê-los trabalhar quando na verdade teriam é de estar estudando. Afinal, hoje o mundo é outro, bem diferente daquele dos tempos da Moral e Cívica.

Mas é preciso entender que os filhos devem se acostumar a selecionar, entre a carga de informações que recebem, aquilo que é essencial para se viver em comunidade e no mundo competitivo como o de hoje. Perceber logo aquilo que acrescenta ao futuro e o sentimento bom e o do bem para sua vida.

Ou, então, você pode optar em continuar mimando os filhos, poupando-os de dificuldades e os acostumando a não ter respeito por ninguém e a ser um relapso, um incompetente. Daí chore pelos cantos porque sua família foi um fracasso.

Ultimamente, filosofias e leis equivocadas, quer de autoridades, quer de entidades e de instituições, estão comprometendo o futuro da criança. É o costume de passar a mão na cabeça e protegê-la demais em sua mais importante fase da vida, quando aprende a ser gente, ser mais útil e um vencedor.

Ao enfrentar o mundo a criança não sofre só devido às más companhias, é mais por conta do berço: pais que não ensinam os filhos a ter responsabilidade, não delegam tarefas e evitam que aprendam a enfrentar dificuldades desde cedo.

 

ANEXO

 

CRISE DE AUTORIDADE – Pais perderam a autoridade perante os filhos.

A FALÊNCIA DA AUTORIDADE DELES TEM RAIZ NO “SOFRIMENTO” DURANTE SUA TRAJETÓRIA DE VIDA.

Agora procuram dar aos filhos o livre arbítrio que não tiveram na infância, na juventude e durante a construção de sua carreira profissional.

Educadores e técnicos em gestão de pessoas concluem que os pais da geração Moral e Cívica ralaram muito e venceram, mas cometem dois erros graves ao criar os filhos: mimá-los para que não passem o que passaram e querer ser muito diplomático e amiguinhos deles, descendo ao mesmo nível, o que deteriora sua autoridade.

Isso estaria fazendo a criança não ganhar confiança e nem adquirir capacidade para superar frustrações na vida. E os estudos também comprovam que ocorrem mais demissões por crises de relacionamento que por deficiência técnica nas tarefas.

Se analisarmos bem é uma verdade.

Os filhos se sentem o centro de tudo. Se chegar uma visita as crianças da sala continuam assistindo games, à TV ou brincando. E de nada adianta pedir cumprimentos às pessoas que chegam. Então, os pais, meio sem jeito, ainda justificam: estão concentrados no desenho e nos games!…

Na verdade, isso é má educação. Criança tem de aprender em casa a cumprimentar as pessoas e ter espírito de solidariedade para se tornar um ser humano sensível e um capital humano de qualidade para que o País faça a diferença.

Criança precisa sentir a autoridade nos pais e respeitar o próximo para aprender e entender como viver em sociedade. Quem não é solidário nem vai conviver bem com os amigos e não vai nem se dar bem num relacionamento.  E encontrará dificuldade para constituir uma família e seu futuro.

É em casa que a criança aprende a amar Deus sobre todas as coisas. A respeitar os mais velhos e dizer bom dia e boa tarde. A perguntar se o outro está bem, assim por diante.

Uma campanha que circula nas redes sociais fala muito bem disso. O lugar de aprender a ser gente é em casa. O crescimento não deve ser só físico, tem de ser também moral e ético: tarefa de responsabilidade do berço.

Portanto, a crise na formação de seres humanos não está apenas na escola. Também está na família. Pais que perdem a autoridade e criam filhos problema para eles, para os que os cercam e até para a escola.

Muitos pais, além de terceirizar a educação dos filhos para a escola, ainda ficam do lado deles quando criam problemas a professores e diretores. Isso não é ajudar a criar o cidadão do futuro e sim egoístas e violentos.

Está cheio de casos em que pais e alunos agridem professores e escolas têm de expulsar alunos considerados laranjas estragadas, quando a missão é acrescentar qualidades e encaminhar essas novas vidas.

Professores estão na escola para ensinar com prioridade, Português, Matemática, Conhecimentos Gerais, Ciências e outras disciplinas. Formação de caráter e de bom relacionamento tem de vir de berço e apenas ser aperfeiçoados na escola com os conteúdos e orientações repassados.

Pais que perdem a autoridade para com os filhos, numa inversão de valores, mal sabem que podem estar construindo maus cidadãos e o que é pior: algumas pessoas que não tem capacidade para enfrentar os problemas da vida. Conseqüentemente, fraquejam e até enveredam para caminhos nada recomendáveis.

Então, continue mimando os filhos, poupando-os de dificuldades e os acostumando a não ter respeito por ninguém. Daí chore pelos cantos porque sua família foi um fracasso.

Até mesmo, em alguns casos, poderá chorar, se porventura vir a sua frente um heróis morto, em ambos os sentidos: física ou humanamente.