NOVO MINISTRO DIZ QUE ENCARA MAIOR DESAFIO DE SUA VIDA – Ao lhe dar posse, presidente pede uma alternativa para flexibilizar política de isolamento.

NOVO MINISTRO DIZ QUE ENCARA MAIOR DESAFIO DE SUA VIDA  – Ao lhe dar posse, presidente pede uma alternativa para flexibilizar política de isolamento.

 

 

REABRIR AS EMPRESAS PARA A VOLTA AO TRABALHO, RETORNO DE OPERAÇÕES EM AEROPORTOS E REVOGAÇÃO DE DECRETOS DE FECHAMENTO DE FRONTEIRAS FORAM ALGUNS DOS PONTOS DE SEU DISCURSO.

A cerimônia foi em clima de apreensão por parte dos personagens principais, porém tentando passar alguma naturalidade e a tranquilidade, veja:

Alternativas para flexibilização da política de isolamento aos poucos.

Ao dar posse ao novo ministro da saúde, Nelson Teich, o presidente Jair Bolsonaro pediu uma alternativa para o retorno da atividade econômica, “sem comprometer os cuidados com a vida”.

Para ele, abrir as empresas para o trabalho, os aeroportos, as fronteiras e não reprimir (bater ou prender quem não concorda com o isolamento) é um desafio.

O presidente aceita com naturalidade a decisão do STF de que prefeitos es governadores devem definir as restrições, “poque vivemos numa Democracia onde há a independência dos poderes”.

Ele iniciou sua  fala explicando a substituição: “foi uma questão de visão. A minha é um pouco diferente da do ex-ministro Mandetta. Ele é focado na saúde e na técnica e eu, como presidente, tenho que ver no geral: economia, emprego e vida porque um depende do outro”.

“O efeito colateral do remédio não pode ser mais forte do que os efeitos da doença.  É preciso começar a abrir. Isso é um risco que corro. Se der errado vai cair no meu colo. Mas, repito, é o risco que corro”, disse ele.

Disse ao novo ministro que espera uma alternativa para a saída mais rápida desta situação. Cumprimentou-o pela sua coragem, pois no Brasil não é de hoje que há problemas. Terá de trabalhar sete dias por semana.

“Junte eu e o Mandetta e divida por dois”, aconselhou, referindo-se a cuidados com a vida, com ciência e com a técnica, mas ao mesmo tempo conciliando com o emprego.

“Não podemos, depois, chamar o Paulo Guedes para dar jeito em dinheiro”.

2020041712048_bf904b0a8a5de01408339fd03c2d01f46b0f129e9431264ae19859bead21bdb1-1

 

A VISÃO DO EMPOSSADO

csm_teichagenciabrasil_58df1e7000

O plano da política de isolamento anunciada pelo ministro Teich tem os seguintes pilares:

Informação e informação sobre a nova doença; integração com outros ministérios, atenção total à logística, aos recursos técnicos e aos estudos; atenção às pessoas; e rotina de acompanhamento integrada com os estados e os  municípios.

Dentro de sua visão de que vidas e economia não competem entre si, o ministro diz estar muito alinhado com o presidente e acredita poder preparar uma saída o mais rapidamente possível desta situação.

Sobre tratamento, está confiante no surgimento, bem lago, de alternativas terapêuticas no tratamento dos doentes mais graves.

Para a maioria da população, que é assintomática, pensa num programa de testes em massa para melhor planejamento.

Quanto a uma vacina ainda não há notícia mas a Comunidade Cientifica está debruçada nas pesquisas por todo o Planeta.

 

EX-MINISTRO DIZ QUE SAI ORGULHOSO DE TER PARTICIPADO DO GOVERNO

download (80)

Em sua despedida, o ministro Mandetta disse que foi uma honra ter participado do Governo Bolsonaro, mesmo tendo enfrentado um enorme desafio para montar a estrutura necessária para o País nessa fase da pandemia.

Garantiu ao novo ministro que não há nenhuma pendência com estados e municípios, tanto em recursos financeiros adicionais prometidos como em repasses constitucionais do SUS.

Colocou-se à disposição, não só para a transição como para contribuir em qualquer missão para a qual for útil.

O presidente Jair Bolsonaro disse, na abertura de seu discurso, que o dia não deixou de ser de alegria e de agradecimento. E reafirmou que não houve derrotado e nem vencido, todos torcem pelo Brasil. Agradeceu ao ministro que saiu pelo relevante serviço prestado a seu governo e ao País.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~

POSTAGEM ANTERIOR

NELSON TEICH É O NOVO MINISTRO DA SAÚDE –

Presidente Bolsonaro diz que divórcio com Mandetta foi consensual

“NADA SERÁ FEITO BRUSCAMENTE”, DISSE TEICH. CONTINUA DISTANCIAMENTO SOCIAL MAS FLEXIBILIZAÇÃO GRADATIVA “PORQUE VIDA E ECONOMIA SÃO INTERDEPENDENTES”.

Novo Ministro, médico oncologista, diz que testará em massa para conhecer a doença e traçar estratégias.

Deu a entender que vai abrir aos poucos o isolamento, mas que é impossível precisar data e os detalhes.

Logo, ele foi claro com relação à manutenção do atual isolamento horizontal e garantiu que ser uma gestão com um alinhamento: presidente-ministro-técnicos da saúde.

Mandetta disse, antes do anúncio do sucessor que a transição será completa, com empenho total, dia e noite, dele e de seus assessores. Tudo será em defesa da vida do povo brasileiro e do País.

 

Fonte e fotos: Agência Brasil e Portal Roma.News.