INVASÃO DA UCRÂNIA – Quarta (18): Rússia assume o controle de Mariupol e ameaça julgar militares ucranianos. Finlândia e Suécia oficializam hoje pedido à Otan. EUA entram no circuito para contornar resistência da Turquia a ingresso de Finlândia e Suécia na Otan

INVASÃO DA UCRÂNIA – Quarta (18): Rússia assume o controle de Mariupol e ameaça julgar militares ucranianos. Finlândia e Suécia oficializam hoje pedido à Otan. EUA entram no circuito para contornar resistência da Turquia a ingresso de Finlândia e Suécia na Otan

Foto: Agência Brasil.

(Crédito: Deutsche Presse-Agentur GmBH)

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA GUERRA

 

Por: Eron J. Silva.

 

Hoje, 18 de maio

 

Após a retirada dos 264 militares que resistiam no interior de uma siderúrgica em Mariupol, teoricamente a Rússia assume o controle da cidade portuária.

Acredita-se, no entanto, que seriam mais de 600 os combatentes da Ucrânia nesse local; ainda não se sabem o destino dos demais.

Os 264 agora estão em mãos de separatistas simpáticos à Rússia e deverão ser trocados por presos russos na Ucrânia.

Só que o Parlamento Russo já fala em julgamento dos militares retidos.

Em mais um capítulo, o caso do ingresso de Finlândia e Suécia na Otan começa a se definir esta semana; ambos os países oficializam hoje o pedido.

Dos 27 membros da aliança militar, apenas a Turquia ameaça vetar a admissão, sob a alegação de eque não há motivo já que os dois países não sofrem ameaça à soberania e que isso apenas irá militarizar o Báltico.

Maior interessado na expansão da Otan, os Estados Unidos entram no circuito: o presidente Joe Biden ou sua diplomacia devem conversar hoje com as autoridades da Turquia e tentar reverter a ameaça de veto; é preciso unanimidade para ingresso de novos países.  

 

Dia 17 de maio

Vitória de Putin em Mariupol: militares decretam fim da missão em siderúrgica.

Notícia na Europa é que a Rússia pode perder a guerra.

Começa a ser expulsa de cidades onde já havia conquistado em parte.

 

A Ucrânia anunciou que os 264 militares que ainda resistiam na usina siderúrgica de Mariupol decretaram o fim da missão.

Já deixaram o local por um corredor humanitário aberto pela Rússia e foram levados para a região separatista.

O presidente Volodymyir Zelenski, da Ucrânia,  disse que a luta, agora, é para salvar a vida dos soldados.

Entre eles, estão 53 feridos, que devem ser atendidos em hospitais dos separatistas. Os outros 211 devem também ficar em mãos separatistas, simpáticos à Rússia.

A ideia, agora, é que sejam trocados por militares russos retidos na Ucrânia; Zelenski disse que a Rússia não cumpriu o acordo que fez.

Nos demais pontos da invasão, a Rússia tem colhido só derrotas. Apesar dos estragos feitos de longe, foram melancolicamente expulsos de Kharkiv e já estão em solo russo.

Corre insistente notícia na Europa que a Rússia pode perder essa guerra, a continuar o exército ucraniano expulsando as tropas de Putin.

Já o projeto do ingresso da Finlândia e a Suécia na Otan ganhou um entrave: a Turquia disse agora que nem vão até ele negociar o projeto que não lhe interessa aumentar infraestrutura militar no Báltico.Corre insistente notícia

 

MAIS CEDO

Dia 16 de maio

Bombardeios cerrados só contra Mariupol e Odessa.

Suécia também oficializa pedido de ingresso na Otan.

Finlândia já pediu e deve ser aceita em alguns dias. Ucrânia expulsas russos de Kharkiv.

 

Bombardeios

A Rússia vem bombardeando Odessa em Mariupol e os soldados já consideram um milagre saírem vivos da trincheira nesta última cidade.

O presidente da Urânia, Volodymyr Zelenski, agora negocia com o Kremlin a retirada de soldados que estão resistindo em uma siderúrgica de Mariupol; No limite, eles nem sabem mais quando é dia ou noite. Só que mantêm viva a posse da cidade pela Ucrânia.

Nesse reduto deve ocorrer a única vitória de Putin.

 

VEJA:

Não conseguiu tomar Kiev, já foi expulso de Kharkiv, só está firme em uma das áreas separatistas, e ultimamente bombardeia só de longe Mariupol e Odessa.

Vem se desenhando um fracasso o projeto do Kremlin.

Otan

Após o pedido formal da Finlândia, devendo ser aprovado seu ingresso na Aliança Militar em questão de dias, agora a Suécia também formaliza o mesmo pedido. 

Putin alertou mais uma vez para retaliações, ainda mais depois que a Ucrânia voltou a pedir ingresso na Otan. 

O temor de países ocidentais é que a frustração do projeto de invasão da Ucrânia leve o presidente da Rússia, Vladimir Putin, acuado, a cometer outros erros e coloque em perigos a estabilidade do mundo.

 

Mais cedo

Putin reafirma retaliações severas.

Dados secretos na Inglaterra sobre a guerra indicam que a Rússia teve baixa de um terços das tropas que enviou à Ucrânia. Uma derrota com volta melancólica pra casa vem levando Putin a apostar todas as fichas na consolidação da ocupação da faixa ao Sul, das áreas separatistas até Odessa.

A Otan prevê que a aprovação da Finlândia nessa aliança militar deve ter uma tramitação mais rápida. O pedido foi entregue neste fim de semana e a unanimidade já é quase certa.

A Suécia deve protocolar igual solicitação nos próximos dias.

No outro lado dessa crise, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, reafirmou que se ambos os países ingressarem na Otan sua reação será drástica; “o Báltico deve ser militarizado e com armamentos perigosos”, preveem especialistas.

Enquanto isso, nas últimas horas, o bombardeio aumentou na Ucrânia. Kharkiv e Mariupol foram cidades que receberam o triplo de ataques.

 

Dia 15 de maio

Turquia admite discutir ingresso da Finlândia na Otan.

Presidente finlandês fala com Putin sobre a Otan.

A Finlândia e a Suécia apresentaram ao G7, reunido em Berlin/ALE, o plano de entrada para a Otan. Dos 27 membros, apenas a Turquia tinha restrições; mas já admite discutir o tema. Aí dá a unanimidade necessária. 

E o presidente da Finlândia, Sauli Niinistö, conversou diretamente com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para dizer que a decisão não implica em ameaça à soberania da Rússia. 

A mídia russa informou que Putin teria dito ao presidente da Finlândia que será um erro, já que a soberania do seu país não está ameaçada. 

De sua parte, as forças ucranianas empurraram ainda mais as tropas russas que estavam perto de Kharkiv, provocando muita destruição, para mais longe, ao Leste. 

Corpos de soldados russos mortos em Kiev estão sendo entregues ao Kremlin. A Ucrânia fala em mais de 27 mil; a Rússia confirma apenas 1.300.

 

MAIS CEDO

 

Sai a primeira retaliação de Putin à Finlândia.

Estados Unidos e Rússia iniciam conversas sobre a paz.

Paraná é o estado que mais recebe refugiados ucranianos

Saiu a primeira boa notícia sobre a paz nessa guerra. A diplomacia dos Estados Unidos e a da Rússia conversaram pela primeira vez, por telefone, sobra a crise criada com essa invasão de Putin.

Não saiu muita coisa concreta, mas o importante foi que o canal ficou aberto para novas conversas.

A notícia ruim do dia, porém, foi que Putin anunciou a primeira retaliação à Finlândia por ter decidido ingressar na Otan: suspendeu o fornecimento de energia elétrica.

A Finlândia diz que está aumentando a produção e que já tem de onde comprar a energia que faltar.

E o Paraná é o estado do Sul do Brasil que mais recebe refugiados ucranianos.

Primeiro foram cerca de 100 que foram acolhidos pela cidade de Prudentópolis, onde está a maior colônia de ucranianos o Brasil.

Agora foi Guarapuava, no centro do estado e próxima de Prudentópolis, que recebeu novas famílias.

A intermediação vem sendo feita por igrejas e que ajudam com alimentação e encaminhamentos diversos.

Embaixadores de países com alguma ligação ou afinidade com a Ucrânia fizeram uma visita às famílias receptoras e as que foram recebidas. 

Pelo menos 20 pessoas já estão encaminhadas e até recebendo aulas de Português, além de início da confecção dos documentos.

 

Dia 13 de maio

Rússia promete reações a ingresso de Finlândia e Suécia na Otan; mas não diz quais.

Acusações de ambos os lados sobre culpa de crise global devido à guerra.

 

Assim que Finlândia e Suécia anunciaram oficialmente a decisão de ingressar na Otan, a Rússia reagiu com ênfase. A diplomacia russa disse que as consequências virão com energia. 

Antes, Putin havia dito que se alguém se intrometesse na guerra, ou  entrassem mais países na Otan, iriam se arrepender. 

Depois falou em povoar o Báltico de armas e isto seria por mar, por terra e por ar, “até mesmo com armas nucleares”, ameaçou. Putin alega que entrada dos países na Otan é ameaça à segurança russa. 

No bate-boca sobre efeitos da guerra, o Ocidente acusa a Rússia de trancar a saída de grãos da Ucrânia, que colheu safra 40% maior; Já  na Rússia, o presidente Vladimir Putin acusa Estados Unidos e Europa de causarem crise global de toda ordem devido às sanções, que considera um tiro no pé deles próprios. 

 

Mais cedo, em 12 de maio

 

Rússia acaba de fechar gasoduto para Europa.

Aprovados US$ 40 bi para Ucrânia se defender.

Finlândia e Suécia querem entrar logo para a Otan.

Cidades ucranianas viram escombros.

 

A Rússia acaba de fechar o primeiro gasoduto que leva o gás que vende à Europa.

Com isso, 30% do gás fornecido ao continente está suspenso; foi retaliação às últimas ajudas do Ocidente em armas e dinheiro à Ucrânia. 

Esse gasoduto é um dos que passam pela Ucrânia (no Leste); a Rússia alega que a tropas  ucranianas são culpadas, mas Ucrânia diz que o gás está é sendo desviado para as áreas separatistas. 

O Congresso Norte-americano aprovou mais US$ 40 bilhões para o governo da Ucrânia sobreviver e se defender das bombas de Putin. 

Havia sido anunciado US$ 33 bilhões na semana passada, mas foi elevado esse valor para 40 bilhões. 

Pelo combinado, parte é para o governo Zelenski manter a máquina do governo e 33 bilhões são para adquirir armas, exclusivamente armas de tecnologia americana. 

Ao todo, já são US$ 53 bilhões que o governo Biden aprovou e liberou à Ucrânia; objetivo é que o país atacado possa adquirir armas, manter a máquina pública e se defender dos ataques da Rússia. 

Outra notícia de repercussão mundial foi a de que a Finlândia e a Suécia pediram ao 1º ministro da Inglaterra, Boris Johnson, a entrada logo para a Otan. 

Quase a unanimidade na Finlândia e a maioria na Suécia são a favor do ingresso à Organização do Tratado do Atlântico Norte. 

A Europa, contudo, teme que isso provoque mais crises na fronteira do continente com a Rússia, já que a presença da Otan significa, também, armamentos estacionados na fronteira, inclusive nucleares; só com a Finlândia a Rússia tem 1.300 KM de fronteira.

 

download (3)

Essa cidade aí, (Kharkiv) e a de Mariupol (abaixo) ficaram como na foto abaixo:

 

download (9)

Mariupol (acima)

 

A NOTÍCIA QUE CHOCOU O MUNDO HOJE FOI A QUE MOSTROU A CIDADE DE KHARKIV, TOTALMENTE EM ESCOMBROS.

 

Mais cedo, 11 de maio

Cresce no mundo preocupação com desfecho da guerra com ataque nuclear.

Rússia intensifica ataques à Ucrânia; alvo principal foi a siderúrgica,

última resistência localizada em Mariupol.

 

Revelação do Serviço de Inteligência dos EUA repercute no mundo. É que suspeita-se que Putin, em ato extremo, lance mão de armas nucleares. 

A ONU estima em quase 5 mil civis mortos na Ucrânia, mas já assinala que deve ser o dobro disso. 

Hoje a Rússia disparou pelo menos 4 mísseis avançados, de longa distância e poderosos contra Odessa, destruindo um supermercado e outros alvos com mortes de civis. 

No Leste, pelo menos 6 vezes Putin atacou Mariupol, onde ainda estão soldados e pelo menos 6 civis resistindo cerco. 

Ao Norte, um ataque destruiu um templo histórico e emblemático. 

O desprezo da Rússia pelos seus soldados que tombam é tanto, que os corpos russos ficam expostos ao tempo ou enterrados em valas comuns.

 

Dia 09 de maio 

Mundo espera que Putin repense extensão da guerra.

Grande parada militar foi sem um triunfo.

Novas sanções podem comprometer de vez a economia russa.

Putin faz parada militar e solta bombas na Ucrânia

 

Nas últimas 24h, a Rússia bombardeou a Ucrânia por mais de 50 vezes. Líderes que visitavam certo ponto se protegeram, ao tocarem as sirenes.

Já o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, disse que vencendo essa guerra, seu país não vai permitir que o presidente da Rússia, Vladimir  Putin, aproprie-se do feito soviético contra os nazistas; “vamos vencer agora e comemorar duas vezes o dia da vitória”, lembrou.

Putin, por sua vez, justifica que o crescimento do nazismo na Ucrânia é que o motiva a promover essa guerra.

Especialistas dizem que o custo da guerra para a economia da Rússia começa a preocupar a população. Putin também não esperava tanta resistência das tropas ucranianas e tanto apoio do Ocidente a Zelenski.

A opinião dominante entre analistas é de que Putin deve repensar os rumos da guerra com a Ucrânia. É que diante de um 7º pacote de sanções, a economia russa deve ficar ainda mais comprometida e com mais reflexos no mundo.

 

Mais cedo

Hoje a Rússia deve considerar ocupação iminente de Mariupol em parada militar como triunfo ou repetir o discurso.

Bombardeio atinge escola da Ucrânia com 92 civis; anunciados 30 mortos

 

A data de 9 de maio é a mais importante do calendário russo, pois o “Dia da Vitória marca o feito das tropas soviéticas que entraram em Berlin e as forças nazistas capitularam, marcando o fim da II Guerra..

Aí estava o motivo de até uma certa obsessão de Putin pela primeira vitória concreta na Ucrânia: a ocupação de Mariupol. Mas foi obrigado a se limitar ao mesmo discurso de sempre na grande parada militar e apenas anunciar que agora está em nova fase a guerra.

Hoje a Rússia deve realizar o maior desfile de todos os tempos para comemorar o ‘Dia da Vitória’ contra os nazistas.

No dia 9 de maio de 1945 as tropas soviéticas entraram m Berlin e houve a capitulação das forças nazistas, quando os soviéticos prenderam alguns e mataram outros dos principais militares da cúpula de Hitler e este se suicidou.

Analistas e autoridades ucranianas entendem que Putin irá considerar a tomada de Mariupol como vitória iminente e a primeira na campanha militar na Ucrânia.

Apesar de não poder declarar vitória, ele deve discursar hoje, na parada militar do Dia da Vitória e já fala em nova fase da invasão.

Seu discurso vai ser estudado em todo seu conteúdo para se tentar entender o que ele pretende ainda.

Hoje dois fatos marcaram o lado mais ameno e com alguma alegria no domingo das mães: um show de rock e o segundo dia da primeira dama dos Estados Unidos, Jill Biden, que visitou a Eslováquia e refugiados.

No lado ucraniano, ela se encontrou com a primeira dama da Ucrânia, Olena Zelenski, e visitou mães e crianças.

Na parte mais triste do dia o que marcou foi um ataque a uma escola ucraniana onde estavam protegidas 92 pessoas. Morreram 30 e as autoridades ainda não sabem o destino das outras 62.

Já os civis que ainda estavam numa siderúrgica de Mariupol foram todos retirados. Mas 2 regimentos ainda estão lá resistindo.

Não vão se entregar, argumentando que “tanto faz se entregar ou resistir”, pois a Rússia não se importa com a vida deles; fala-se em mais de mil soldados, ou perto de 2 mil.

Como são as únicas tropas restantes na cidade, a Rússia deve mantê-los cercadas até não resistirem mais; acredita-se que a ocupação da cidade é uma questão de tempo.

No Vaticano, o Papa Francisco classificou a guerra de “vergonha”.  

 

Dia 8 de maio

 

Retirados civis de siderúrgica, mas situação de soldados é dramática.

Putin deve ‘forjar triunfo militar’ para o dia da vitória.

Primeira dama Jill Biden começa visita a refugiados.

 

Hoje a Ucrânia anunciou que retirou os mais de  200 civis que ainda estavam na siderúrgica de Mariupol. 

O presidente Volodymyr Zelenski agora está negociando a retirada dos soldados de 2 regimentos que ainda resistem na siderúrgica; Putin quer que eles se entreguem; e Zelenski acha dramática a situação deles, que falam em resistir até o fim.

As autoridades ucranianas suspeitam, no entanto, que Putin queira ‘forjar uma vitória militar’ para justificar essa guerra injustificável ao povo russo na segunda-feira, quando o país comemora o dia da vitória contra os nazistas. 

É que no dia 9 de maio, todo ano, é feito um mega desfile em Moscou e também em ruas de várias cidades do país.

 

Bombardeios

Além dos ataques a Mariupol, a Rússia volta a bombardear também o Nordeste da Ucrânia. 

Em Odessa, caíram pelo menos 4 mísseis, atingindo alvos civis e públicos. Um museu foi atingido e saíram danificadas inúmeras obras de arte. 

O presidente Zelenski continua tentando negociar, mas já espera horas dramáticas até a segunda-feira com essa obsessão de Putin para atingir a conquista de seus objetivos expansionistas.

 

Visita a refugiados.

Neste sábado, a primeira dama dos Estados Unidos, Jill Biden – que também é professora – iniciou uma visita de três dias à Europa, mais precisamente a países próximos da fronteira com a Ucrânia.

Na Romênia, ontem, Jill visitou bases militares e campos de refugiados. 

Mais e 860 mil expulsos pela guerra já chegaram a esse país, entre eles, mais de 400 mil crianças e mulheres, crianças que precisam de acolhimento e de escola. 

Neste domingo ela (Jill) passa o dia na Eslováquia, onde repete a programação. 

O objetivo, além de levar esperança e atenção aos refugiado, é demonstrar o apoio concreto dos Estados Unidos ao povo ucraniano. 

Dia 7 de maio 

Rússia promete corredor mas não alivia bombardeios.

ONU continuará exigindo cessar-fogo e investigará crimes de guerra.

Putin quer dominar Mariupol até o dia da vitória contra nazistas.

 

O presidente da Rússia, Vladidmir Putin, havia acertado com o 1º ministro de Israel, Naftali Bennett, pelo menos 3 dias de trégua para retirada de civis em Mariupol. 

Como condicionou a que a Ucrânia mandasse os soldados escondidos na siderúrgica depôr as armas e eles não aceitaram, ordenou bombardeios sem cessar desde quinta-feira. 

Diante disso, foi possível retirar em segurança apenas cercas de 50 pessoas. 

Analistas e líderes do Ocidente atribuem a pressa para tomar Mariupol às comemorações do dia da vitória, comemorado dia 9 na Rússia; assim, Putin teria pelo menos um discurso de vitória.  

Enquanto isso, a Ucrânia desencadeou uma ofensiva contra o Exército Russo e o repontou para mais de 40 km longe das cidades que atacava ao Norte.

E o secretário-geral da ONU, António Guterres, em reunião do Conselho de Segurança, disse que a entidade continuará exigindo um cessar-fogo duradouro e mais segurança a civis. 

Disse ainda que deve ser enviada uma delegação dos direitos humanos e peritos em crimes de guerra à Ucrânia para responsabilizar a Rússia, caso comprovem exagero e barbárie.

 

Dia 6 de maio.

 

Crise Rússia x Estados Unidos sobre informações secretas.

Israel negocia mais retirada de civis.

Putin pede desculpas a Israel, que aceita.

 

Com a mediação de Israel, a Rússia garantiu a retirada de mais civis da cidade de Mariupol, inclusive dos que ainda restavam na siderúrgica.

Quanto aos dois regimentos que estão na siderúrgica, Putin mandou deporem as armas; só que eles resistem.

Falando direto com o 1º ministro israelense, Naftali Bennett (*), Putin pediu desculpas pela declaração do seu ministro as Relações Exteriores, Sergey Lavrov, insinuando que Hitler tinha descendência judia, assim como Volodymyr Zelenski; o 1º ministro aceitou as desculpas.

Hoje foi aberta uma crise entre Estados Unidos X Rússia.

Seria porque o Governo Joe Biden tem dito que a Ucrânia vem obtendo sucesso militar, porque recebe informações secretas dos EUA; inclusive, morrem generais facilmente devido às tais informações.

O governo da Rússia minimizou, dizendo que é notório que os Estados Unidos passam informações a Zelenski, mas que morrem generais porque eles vão à linha de frente.

Outro crédito que os EUA atribuem a si é de que o único navio russo destruído pela Ucrânia foi porque o país obteve informações e mísseis.

(*) Naftali Bennett é um político israelense que atualmente serve como Primeiro-ministro de Israel desde junho de 2021. Ele também serviu como Ministro de Assuntos da Diáspora de 2013 a 2019 e Ministro da Defesa de 2019 a 2020.

 

Dia 5 de maio 

UE confirma novas sanções à Rússia e não comprará mais petróleo.

Ucrânia retira civis de siderúrgica, mas soldados ficam resistindo.

 

A União Europeia (UE) confirmou hoje (5) o novo pacote de sanções à Rússia.

A principal retaliação é que até o fim do ano a importação de petróleo russo pelo bloco acaba. Apenas Hungria e Slovênia ficaram fora; o bloco todo reúne 27 países. 

O presidente Vladimir Putin, da Rússia, disse que aí os mais prejudicados serão os próprios europeus, já que sem, ou com menos petróleo, isto significará mais inflação e crises.

 

Civis

Hoje (5) a Ucrânia conseguiu concluir a retirada dos civis que ainda estavam protegidos na siderúrgica de Mariupol. 

Mas, os cerca de 2 mil soldados ficaram entrincheirados e dizem que só saem mortos. 

Putin mandou cercar o local e não deixar sair com vida nem uma mosca.

 

Dia 4 de maio

Putin não quer mais papo com o Papa, que suspende ida à Ucrânia.

Mesmo com retirada de civis, Rússia bombardeia siderúrgica de Mariupol.

Vem aí novo pacote de sanções, com fim da compra de petróleo russo

Pacote de sanções

A UE prepara o 6º pacote de sanções contra a Rússia, com destaque para fim da compra de petróleo russo; a Europa diz que é preciso cortar o dinheiro e quebrar a máquina de guerra de Putin.

Hoje a Ucrânia atacou posições russas em uma ilha no Mar Negro. Usou um drone e mísseis sofisticados enviado pelos EUA. 

De sua parte, Joe Biden visitou a indústria militar norte-americana, precisamente a do míssil mais avançado que vem doando à Ucrânia, e que já destruiu mais de mil tanques russos. 

O presidente Vladimir Putin disse não querer mais conversa com o Papa Francisco. O pontífice tem mediado a paz, mas ultimamente não tem recebido resposta aos pedidos de encontro pessoal com Putin. Assim, Francisco adiou a ida à Ucrânia em missão de paz. 

Enquanto isso, hoje a Russia bombardeou, o dia inteiro, a siderúrgica onde estão entrincheirados mais de 2 mil soldados e ainda protegidos mais de 200 civis. 

O Exército Russo alegou que os militares aproveitaram a trégua de retirada de civis para buscar novas posições de tiro. 

A Rússia também bombardeou alvos em Odessa, justificando que a Ucrânia guarda lá armas recebidas do Ocidente, combustível e tem ainda um aeroporto de apoio.

Crise.

Antes disso, após a declaração desastrada de Lavrov, o presidente Vladimir Putin piorou as coisas para a diplomacia. Disse hoje que Israel apoia um neonazista: o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski.

Mais cedo, uma declaração historicamente viciada, emitida pela diplomacia russa, gerou um mau estar e uma crise diplomática entre Rússia e Israel. 

O governo de Israel chamou o embaixador russo local para dar explicações e exigiu desculpas por o ministro da Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov (*), ter dito que Hitler teria origem judia, a mesma do presidente Volodymyr Zelenski. 

Isso foi considerado por Israel uma fraude histórica e uma afronta, só para justificar o que Putin chama de desnazistificação da Ucrânia.

 

Dia 3 de maio

Saem primeiros civis de siderúrgica.

Putin segue com bombardeios e Europa deve emitir novas sanções

 

Civis

E um alívio à primeira centena de civis que se protegiam no porão escuro de uma siderúrgica, em Mariupol, até que enfim aconteceu hoje. 

Mas ainda são mais algumas centenas que estão lá e que Putin, apesar de bombardeios em outras cidade perto, promete permitir a retirada com segurança; deve durar um mês esse processo. 

Mas, pelo menos três regimentos (uns 2 mil soldados), ainda vão ficar resistindo no interior da siderúrgica. 

Tudo indica que, pelo cansaço, esses militares passarão a prisioneiros e até servir de moeda de troca. 

Mas, a partir do encontro do G7, e agora mesmo através da Europa, devem sair novas sanções contra Putin. 

(*) Nota:

Sergey Viktorovich Lavrov é um diplomata russo, e Ministro das Relações Exteriores da Rússia desde 2004.

 

Dia, 02 de maio

Bombardeios no Leste e no Sul, hoje.

Presidenta da Câmara dos EUA visita Ucrânia.

Rússia diz que guerra nuclear é inaceitável, mas inimigos precisam colaborar

A presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a segunda maior autoridade norte-americana a visitar a Ucrânia, esteve hoje no país, em uma visita de surpresa. 

A presidente garantiu ao presidente Volodymyr Zelenski que os Estados Unidos vão continuar apoiando a Ucrânia contra essa monstruosa agressão. 

Ela ainda lamentou que “os valentões sejam assim tão cruéis aos civis”, referindo-se ao presidente da Rússia, Vladimir Putin. 

Outra visita surpreendente foi a da atriz Angelina Jolie, que é do comissariado da ONU para refugiados. 

Desde ontem JOLIE visitou refugiados e voluntários e sentiu de perto a tragédia que vem sendo essa injustificável guerra. 

Mas quase no final da visita, tocou as sirenes e ala foi para um bunker (búnquer) por medida de segurança, devido os bombardeios que se seguiram. 

A Rússia disse, através do Ministério da Defesa, que “uma guerra nuclear é inaceitável nos tempos atuais, assim como qualquer guerra, mas é preciso que a Europa e os Estados Unidos colaborem e parem de financiar armas à Ucrânia”. 

Na madrugada desta segunda houve pelo menos dois bombardeios pesados no Leste da Ucrânia. 

Também o Sul vem recebendo bombas nas últimas horas, o que comprova a tentativa de Putin de anexar as regiões autodeclaradas repúblicas populares de Donetsk e Luhansk mais a faixa do Leste, passando pelo Sul, até a Crimeia.

 

 

Dia 1º de maio

Começam a ser retirados civis sitiados em siderúrgica.

Estrela do cinema visita refugiados. Rússia concentra mais tropas no Leste.

Soldados chegam do Extremo Oriente sem estresse

 

A Ucrânia informou que um dos fracassos das tropas russas foi não ter conseguido interromper com sucesso o fluxo de trens com civis, alimentos, armas e algum socorro humanitário. .

Apesar de estar reagrupando tropas no Leste, perto de Mariupol, e atacando outras cidades próximas, a Rússia bombardeou, também, nas últimas horas, um aeroporto na Crimeia, felizmente sem vitimas civis.

Um momento especial na guerra foi a presença da atriz Angelina Jolie na Ucrânia, próximo à fronteira com a Polônia, onde visitou refugiados e conversou com crianças e voluntários.

A atriz sempre se dedicou às causas humanitárias em guerras, em atenção a refugiados espalhados por conflitos; Angelina já atuou a serviço da ONU em atividades humanitárias.

 

 

Dia 30 de abril

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, anunciou que começa a retirar os civis de Muriapol, iniciando por cerca de 2 mil  protegidos numa siderúrgica. Lá também estão mais de 2 mil militares resistindo; operação vai durar um mês. 

De sua parte, a Rússia está concentrando mais tropas no Leste, onde pretende tomar duas cidades das áreas separatistas. 

A conclusão é da Inteligência Inglesa, o que confirma a prioridade de Putin, desde o início. 

Outra informação é de que as tropas russas estão no limite de estresse e abalo psicológico. 

Diante disso, estão vindo tropas do Extremo Oriente do país, para assumir os combates de vários regimentos.

 

MAIS CEDO

 

Os números da guerra em soldados e equipamentos.

Morre uma jornalista em trabalho na guerra.

Putin exalta precisão da nova geração das armas russas.

 

Saiu a informação, há pouco, da primeira morte de uma jornalista internacional na guerra da Ucrânia. Ainda não há muitos dados sobre as circunstâncias da morte da jornalista.

Essa morte ocorreu enquanto o secretário-geral da ONU, António Guterres, ainda estava lá.

O secretário-geral da ONU, após visita à Rússia e a Ucrânia, deve recorrer ao Japão nas tentativas de encontrar uma saída para a crise no Leste Europeu.

Como a China é pragmática, devido à questão de mercado, o Japão deve passar a ser a alternativa para mediar um cessar-fogo.

Pela primeira vez a Rússia admitiu perdas em soldados e equipamentos.

A Ucrânia diz que já foram presos ou mortos 23 mil soldados russos, destruídos mais de mil tanques, derrubados 20 aviões e afundado um navio.

 Nos últimos dias a Rússia tem exaltado a eficácia e a precisão, principalmente de sua nova geração de armas. 

Hoje, o porta-voz disse que foi disparado um míssil à Ucrânia, com precisão, de um submarino localizado no Mar Negro. 

Mais cedo, Putin disse que agora dispõe de um míssil capaz de atingir o outro lado do mundo.

 

MAIS CEDO 

(Madrugada/manhã na Ucrânia/28)

Secretário-geral da ONU visita Kiev debaixo de bombas.

Biden pede ao Congresso mais U$ 33 bilhões para a Ucrânia.

Putin recebe ONU em Kiev com bombardeios.

 

Após visitar Moscou e trazer poucas palavras animadoras de Putin, o secretário-geral da ONU, António Guterres, foi a Kiev, na Ucrânia, onde constatou a dramática situação do povo e das tropas.

Disse que a agressão da Rússia ao país “é inaceitável” e prometeu levar Putin à Corte Internacional para julgamento por crime de guerra.

Em Kiev, constatou valas comuns e acompanhou o presidente Volodymyr Zelenski em visitas ao centro arrasado.

Ao final da visita, sentiu de perto o poder dos mísseis de Putin caindo em áreas residenciais onde morreram pelo menos dois civis.

Só ontem (28) foram 76 ataques russos e Putin justificou que foram atacados pontos militares, depósitos de armas e de combustíveis.

 

DINHEIRO À UCRÂNIA

Após ter dito que se for preciso moverá o céu e a terra para derrotar Putin, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu autorização ao congresso norte-americano para dar mais US$ 33 bilhões à Ucrânia.

A ajuda será para armas, munição, sobrevivência da estrutura pública do país e a ações humanitárias, inclusive comida.

Também pediu para confiscar e vender bens de bilionários amigos do Kremlin e doar o dinheiro arrecadado para ações humanitárias.

 

MAIS CEDO (28, madrugada)

 

Putin ameaça Europa e diz que será rápido como relâmpago.

Alemanha anuncia maior envio de armas.

Biden promete remover o céu e a terra contra Putin

 

Putin ameaça a Europa com armas nucleares, se a Finlândia e a Suécia entrarem para a Otan. Mas especialistas alertam que a Rússia já está usando a mais poderosa arma, o gás.

Falando nisso, começou a interrupção no fornecimento de gás à Polônia e a Bulgária. O governo búlgaro diz que tem suprimento para um mês e o polonês garante que já está auto suficiente.

A Alemanha é o país mais dependente, só que vem sendo feito redirecionamento no fornecimento à Comunidade Europeia e sendo buscados novos fornecedores.

Enquanto isso, o Banco Mundial calcula em 50% o reajuste na tarifa de gás; e que há previsão de mais recessão e inflação; o gás move a produção e aquece o europeu.

 

O impasse está no pagamento: a Europa quer pagar em Euro e a Rússia quer receber em Rublo; é que Putin está fora do sistema financeiro internacional.

A Rússia cortou o fornecimento à Polônia e a Bulgária porque, segundo seu governo, são o caminhos para armas e socorro à Ucrânia.

“Daqui em diante, gás vai só para países que não sejam inimigos”, alertou Putin.

Diante do quadro, o presidente do Estados Unido, Joe Biden, disse que irá mover o céu e a terra, se for preciso, para que a Ucrânia derrote a Rússia.

E a Alemanha adotou, nesta quarta, a mais dura decisão: enviar caças e tanques à Ucrânia.

Especialista veem uma 3ª Guerra cada vez mais próxima. E o Putin promete colocar armas nucleares em pé, na fronteira com a Finlândia.

 

Dia 27 de abril

(atualização)

 

Secretário-geral da ONU exige de Putin o cessar-fogo.

Tiroteio econômico chega à Europa.

Não está descartada guerra nuclear; nem afastada 3ª Guerra Mundial

 

Em viagem a Moscou, o secretário-geral da ONU, António Guterres, exigiu de Putin um urgente cessar-fogo e respeito aos direitos humanos.

O secretário lembrou a Putin que ele já descumpriu por várias vezes a Carta das Nações Unidas. 

Alertou ser preciso estabelecer corredores humanitários e garantir a segurança e condições  minimas às organizações de atendimento e socorro a civis. 

O secretário se reuniu antes com o corpo diplomático russo. 

Já no terceiro mês de combates, agora a guera entre Rússia e Ucrânia já  atinge a Europa. 

É que a guerra econômica atingiu o fornecimento de gás à Polônia e à Bulgária. 

A Polônia diz que  ainda é normal o fornecimento de gás à população.

 

 

Dia 26 de abril

Não está descartado uso de armas nucleares na Ucrânia; nem afastada 3ª Guerra Mundial.

Putin promete mais bombardeios. Zelenski pede a secretários: armas, segurança e sanções à Rússia

 

Após viagem de surpresa e por caminhos secretos à Ucrânia, o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken e o da Defesa, Lloyd Austin, prestaram contas das negociações nesta segunda-feira.

O presidente Volodymyr Zelenski reforçou pedidos por recursos, armas, segurança e novas sanções à Rússia.

De sua parte, a diplomacia russa afirmou que irão longe os bombardeios, pois não tem sentido, agora, um cessar-fogo, o que só iria dar condições de as tropas inimigas se reagruparem; não se teria nada a acrescentar.

Diante dos últimos fatos, as opiniões de analistas e dos diplomatas russos são pessimistas: “não se descarta mais o uso de armas nucleares e até mesmo uma 3ª Guera Mundial”.

 

 

Dia 25 de abril

Secretários de Estado e Defesa dos EUA visitam Ucrânia.

Mesmo na Páscoa Ortodoxa, Putin bombardeia.

Ucranianos ignoram ataques e vão à igreja comemorar a Páscoa

 

O governo dos Estados Unidos não confirmou, mas o secretário de Estado, Antony Blinken, e o de Defesa, Lloyd Austin, dos Estados Unidos, fizeram uma visita de apoio a Volodymyr Zelenski, em Kiev.

Além e articular saídas para atender os mais de 5 milhões de refugiados no Ocidente,  o objetivo será também negociar mais apoio ao país.

O presidente Joe Biden havia anunciado, ontem, a liberação de US$ 1,3 milhão para despesas correntes e armas para defesa da Ucrânia. 

Tanto os russos quanto os ucranianos comemoraram, neste domingo, a Páscoa da Igreja Cristã Ortodoxa. 

Os ucranianos, mesmo com bombardeios, foram às igrejas orar. 

Putin comemorou a Páscoa, mas não interrompeu os bombardeios.

 

 

Dia 24 de abril

Manchetes

 

Contrariando o anunciado, Putim bombardeia a última resistência em Mariupol.

Rússia confirma um morto e 27 desaparecidos em ataque a Cruzador Moscou

 

 

Mais uma vez, ao contrário do que disse, Putin bombardeou os mais de 2 mil ucranianos que resistem na cidade de Mariupol. 

“Tudo o que o presidente Vladimir Putin diz, pode entender o contrário”, dizem analistas. 

Aliás, desde antes da guerra, ele dizia que não haveria invasão, que era apenas exercício militar a movimentação de tropas na fronteira da Ucrânia. 

Inclusive, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, dizia que haveria, sim, a invasão. Muitas vezes foi criticado e tido como precipitado. 

 

 

Dia 23 de abril

Manchetes

 

Secretário-geral da ONU vai a Moscou negociar com Putin.

Rússia não parece mais estar interessada em tomar toda ad Ucrânia.

O presidente Putin confirmou que houve um morto e 27 desaparecidos no ataque ao navio Cruzador Moscou, que afundou após a Ucrânia o ter atingido com dois mísseis; classifica de mais uma dificuldade para acordo de paz.

Hoje o secretário-geral da ONU, António Guterres, irá a Moscou, onde espera negociar pessoalmente com o presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Quer discutir o que pode ser feito para levar a paz à Ucrânia.

Um pouco antes dessa decisão de Guterres, Putin havia dito que já não tem mais interesse em tomar toda a Ucrânia.

Então, vem se confirmando o interesse da Rússia de anexar as áreas separatistas do leste e a faixa até a Crimeia, passando por Mariupol e inclusive essa cidade portuária.

 

 

MAIS CEDO

Dia 22 de abril 

 

Rússia declara conquista de Mariupol, mas soldados e civis resistem dentro de siderúrgica.

Zelenski prevê US$ 7 bilhões/ano para reconstrução da Ucrânia

 

Hoje o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, disse que precisará de US$ 7 bilhões por ano para reconstruir seu país.

A Rússia demonstra estar visando só a faixa debaixo, das áreas separatistas até a Crimeia. A decisão de hoje foi se declarar vencedora na cidade de Mariupol, com mais de 90% destruída.

Cerca de 2 mil ucranianos (soldados e civis) resistem no interior de uma siderúrgica. Putin mandou deixá-los lá, mas que não saia umas mosca sequer; “serão vencidos pelo cansaço e a fome” dizem analistas.

Nos Estados Unidos, o presidente Joe Biden anunciou mais US$ 1,3 bilhão em ajuda à Ucrânia, sendo US$ 500 milhões para despesas correntes e US$ 800 para armas, munições e drones.

A novidade é um drone específico para atingir alvos móveis de guerra. A Inglaterra também já enviou equipamentos de longo alcance contra: aviões, tanques e navios.

A partir de agora, como já fez a Europa, os Estados Unidos também proibiram atracarem navios de bandeira russa em seus portos. O objetivo é dificulta ainda mais o comércio internacional da Rússia.

Dia 21 de abril 

Manchetes

 

Rússia pode ser expulsa do G-20 e da OMC.

Refugiados são 5 milhões; mais de 5 milhões vagam dentro do país.

Zelenski propõe acordo especial em Mariupol, senão combate ainda vai longe.

Reunidos em Washington, os integrantes do G-20 fizeram um duro protesto contra a Rússia pela invasão da Ucrânia. Vários membros querem a expulsão da Rússia do grupo.

Putin se queixou de  que as sanções contra ele violam as regras da OMC. 

Só que o G-20 e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, cobram a expulsão da Rússia também da OMC.

A maior preocupação dos dirigentes é com relação à violência contra as pessoas e os flagrantes crimes e atentados contra a humanidade nessa guerra. 

Também se preocupam com os indiretos efeitos a praticamente todo o mundo e os estragos que o conflito vem causando na economia global.

Alertando que 5 milhões já deixaram a Ucrânia e mais de 5 vagam dentro do país, o presidente Volodymyr Zelenski, diz que se tivesse recebido mais armas e munições já teria vencido essa guerra.

Com mais de mil bombas caindo em um dia em várias cidades, Zelenski propõe um acordo especial com a Rússia, apenas para Mariupol. As tropas que restam resistem, entrincheiradas numa metalúrgica, e lá irão muito longe, diz ele.

Enquanto isso, Putin testou ontem um míssil balístico que acerta com precisão um alvo a mais de 3 mil km.

Dia 20 de abril

Manchetes

 

Rússia quadruplica ataques à Ucrânia.

Ocidente envia aviões e peças de reposição a Zelenski.

Guerra fará o mundo crescer menos este ano, prevê FM

 

A Rússia chegou a este dia 20 com ataques devastadores. Putin triplicou e em alguns pontos quadruplicou o peso do bombardeio, já chegando a 1.200 bombas.

A Rússia acusa o Ocidente de estar enviando armas, aviões e peças à Ucrânia. Não cita quem, mas fala que são vários países.

Não só o Banco Mundial, mas também o FMI prevê que devido à guerra na Ucrânia a economia global deve crescer menos este ano; a estimativa é de menos de 4%.

Em 2020 era previsto um crescimento de 6% para este ano. Com a pandemia, caiu para menos de 5%; agora aguerra deve levar o índice para baixo: em torno de 3,5%.

 

Dia 19 de abril

 

Manchetes 

Troca de bilionário russo por civis e soldados.

Bombardeios russos atingem infra ucraniana.

Protegidas, tropas resistem em Mariupol.

Rússia força consolidar tomadas no leste; são cidades no caminho para Crimeia.

 

O bilionário russo Viktor Medvidchuuk, aparece num vídeo sugerindo que seja trocado pelas vidas de civis e soldos de Mariupol.

Ele é apontado como dono de uma fortuna de mais de R$ 3 bilhões (US$ 629 milhões). É pró-Russia e também é sugerido para média de troca por ingleses presos na Rússia.

Putin desdenhou as sanções feitas pelo Ocidente; segundo ele, mais prejudicam os europeus do que os russos.

Nas últimas 24 horas os bombardeios a cidades ucranianas, inclusive Kiev, continuaram sem parar. A Ucrânia informou que hoje foram atingidas estradas, ferrovias, aeroportos e depósitos de combustíveis.

Especialistas observam que o objetivo de Putin seja tomar Mariupol, que está no caminho da faixas das áreas separatistas do leste e a Crimeia.

Mas, trancados em trincheiras, as tropas de Mariupol não se rendem e prometam resistir até o fim.

O presidente da Ucrânia disse que Putin vem bombardeando intensamente cidades do leste; deseja consolidar, também, a tomada da área separatista separatista de Dombass. 

 

 

Dia 18 de abril

 

Manchetes

Putin acusa UE por desordem no mercado de energia e vai retaliar.

Soldados prometem lutar até o fim.

Papa fala de paz a mais de 50 mil.

ONU preocupada com efeitos de guerras em países em desenvolvimento

 

Forças dizem à Rússia que não se renderão em Kiev e nem em Mariupol; lutarão até o fim.

Na missa de Páscoa deste domino, o Papa Francisco disse: “A paz é um dever”. Em suas últimas missas, mais de 50 mil em cada, ouviram mensagens angustiadas do pontífice.

Anúncio da Alemanha: “mais de mil milhões de Euros em ajuda e armas à Ucrânia.

Putin acusa a União Europeia de estar desestabilizando o fornecimento e o mercado de energia. Promete, por isso,  redirecionar as exportações ao Sul e o Leste.

A ONU alerta para os efeitos nefastos de guerras em países em desenvolvimento; “em condições normais estes já sofrem mais”.

  

Por Eron J Silva

Dia 17 de abril

 

Manchetes 

Termina ultimato de Putin à cidade de Mariupol.

Rússia proíbe Premier da Grã Bretanha de entrar no país.

Zelenski alerta que se forem eliminados soldados em Mariupol, não há mais acordo

Terminou à meia noite de ontem (16) (hora do Brasil) o ultimato dado aos soldados ucranianos de Mariupol entregarem as armas.

Isto significa dizer que para Putin a tomada da cidade portuária deve ser uma questão de horas, talvez de dias.

Enquanto isso, agora sediado no Leste, o Exército Russo continua bombardeado cidades ucranianas, inclusive a capital, Kiev.

O caso diplomático do dia foi a proibição de Boris Johson, Primeiro Ministro da Grã Bretanha, de entrar na Rússia. Foi em retaliação à ajuda em armas e dinheiro à Ucrânia.

O presidente Vladimir Putin disse que os soldados ucranianos que entregarem as armas serão poupados.

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski, não confirma a iminente capitulação de Mariupol, mas admite que a situação é difícil, crítica.

Zelenski alertou, no entanto, que se forem sacrificados soldados não haverá mais a mínima condição de negociação.

 

Por Eron J Silva

Dia 16 de abril

Ocidente já considera perigo de conflito nuclear.

Já voltou bombardeio a fábricas e instalações militares em Kiev.

Autoridades pedem à população que não retorne à capital.

 

Perigo nuclear.

Cresceu o perigo de que Putin venha a lançar mãos de armas nucleares na Ucrânia.

Diplomatas já dizem que o presidente russo está com um misto de ambição, prepotência e vingança.

Putin ameaçou, no começo da guerra, que se alguém se intrometesse ou fornecesse armas à Ucrânia, iria se arrepender.

 

Guerra vai longe.

Mesmo após a retirada de tropas e tanques dos arredores de Kiev, a Rússia voltou a bombardear pontos estratégicos perto da capital; ontem e hoje atingiu fábricas.

Em Mariupol continuam sendo encontrados corpos de civis enterrados em vala comum.

 

Navio de US$ 750 milhões.

A Ucrânia atribui os últimos bombardeios a uma resposta de Putin aos ataques ao Cruzador Moscou que afundou; com ele se foram US$ 750 milhões. Putin acusa de bombardeio aéreo.

 

De volta pra casa.

Nos últimos dias os ucranianos espalhados pelo país começaram a voltar para casa. Mesmo que as bombas ainda caiam, eles estão voltando, especialmente os da capital, KIev.

 

Por Eron J Silva

Dia 15 de abril

Rússia ameaça instalar armas nucleares e levar porta-aviões no Báltico.

Cruzador russo é atingido e afunda.

Zelenski admite que regimento em Mariupol se rendeu; mas já há reforço.

 

O presidente Vladimir Putin, da Rússia, disse que tomará medidas de segurança, casos mais países vizinhos entrem para a Otan.

Foi uma resposta à Finlândia e à Suécia que anunciaram a entrada logo para a organização.

Entre as medidas, Putin diz que instalará armas nucleares na fronteira com esses países e levará porta-aviões ao Báltico; quer manter o equilíbrio de forças.

A Ucrânia anunciou que soldados seus acertaram dois mísseis contra o Cruzador Moscou, no Mar Negro; a tripulação escapou e enquanto vinha sendo rebocado o Cruzador afundou; Putin não confirmou o ataque ucraniano e disse que foi apenas um incêndio.

O presidente Volodymyr Zelenski, da Ucrânia, admitiu que um regimento em Mariupol se rendeu, mas que dois comboios russos foram destruídos, a caminho da cidade, e que as tropas na cidade já foram reforçadas.

 

Por Eron J Silva

Dia 14 de abril

 

Manchetes

Conversa de Biden com Zelenski repercute: ele anunciou ajuda para armas.

Rússia é acusada de usar armas proibidas.

Finlândia e Suécia podem entrar para Otan; já há ameaça de Putin

 

AMEAÇA PREOCUPA

Um fato desta quarta repercute hoje (14) na Europa: é o anúncio dos governos de Finlândia e Suécia de que podem entrar para a Otan.

A decisão é histórica porque ambos sempre foram neutros; têm mais de mil km de fronteira com a Rússia; e Putin já amaçou os dois de que se trouxerem armas da Otan para a fronteira vão pagar caro.

 

Conversa de presidentes

O presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, conversou por longo tempo com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenski.

Na oportunidade, garantiu ajuda para armas modernas para defesa; destroem tanques e aviões.

Já o Exército Russo anunciou que mais de mil  soldados ucranianos se entregaram em Mariupol.

A Ucrânia diz que foram mortos mais de 10 mil civis na cidade.

Enquanto isso, organismos internacionais comprovaram o uso de armas proibidas por convenções internacionais pela Rússia.

 

Por Eron J Silva

Dia 13 de abril

Manchetes

Biden chama de genocídio ações de Putin.

Comando militar russo e Putin dizem que é certo o sucesso na Ucrânia.

Europa fecha portos a navios russos. Veja quanto custará reconstruir a Ucrânia

 

O Ministério da Economia da Ucrânia calcula em mais de US$ 300 bilhões a reconstrução. Diz que não tem dinheiro nem para começar.

Em discurso sobre a economia dos Estados Unidos, o presidente Joe Biden disse que guerras que são verdadeiros genocídios, referindo-se à Rússia, impactam a economia e provocam inflação, juros altos e crises.

Putin, em sua última mensagem, disse ter certeza do sucesso na Ucrânia. Seus comandantes também acreditam nisso.

A Russia vem transferindo a maioria de suas forças para o Leste; quer garantir a áreas separatistas, a cidade portuária de Mariupol e completar a faixa até a Crimeia.

Grande número de habitantes de Kiev começam a retornar, depois que as tropas russas começaram a se retirar. O temor é por um ataque cerrado após concluída a campanha no Leste e no Sul.

 

 

Por Eron J Silva

Hoje, 12 de abril

 

Manchetes

Rússia anuncia última batalha em Mariupol.

Primeiro dirigente europeu visita Putin.

Zelenski diz em sessão do Parlamento da Coreia que a Rússia já bombardeou 300 hospitais e mil escolas.

 

Falando ao Parlamento da Coreia do Sul, Volodymyr Zelenski, presidentes da Ucrânia, denunciou que a Rússia já bombardeou pelo menos 300 hospitais e mais de mil escolas.

Também hoje, os generais de Putin anunciaram a última batalha em Mariupol; próximo alvo ainda é Kiev.

Hoje o chanceler austríaco, Karl Nehammer, se reuniu co Putin, em Moscou. Também foi o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

Foi o 1º dirigente europeu a se reunir com o ditador este mês.

 

Dia 11 de abril

 

Manchetes destaques da manhã de hoje

Máquina de guerra de Putin segue com mais um comboio ao Leste.

Lá bombardeou um aeroporto, domingo, e hoje caíram novas bombas.

 

Manhã e fatos principais de domingo

 

Zelenski diz que objetivo russo não é só a Ucrânia, é todo o projeto europeu.

Pediu à Alemanha boicote às importações de energia da Rússia.

 

O satélite detectou um enorme comboio se deslocando para Leste, significando que, por enquanto, como previu a inteligência dos EUA, Putin desistiu de tomar Kiev.

Concentrará ações no Leste, das regiões separatistas até a Crimeia.

No domingo, bombardeou um aeroporto e hoje (11), já atingiu nova cidade.

 

Volodymyr Zelenski, presidente da Ucrânia, em contato com o governo alemão, pediu mais restrições à Rússia no campo da energia, pois é o que financia a ‘máquina de guerra’ de Putin.

A Europa já baniu as compras de carvão; os contratos serão banidos em setembro; e vai ser reduzida a dependência de gás e petróleo.

As últimas sanções, além do carvão, já atingiram compras de madeira e de produtos químico russos.

 



Politica de Privacidade!