Mar de corrupção e propina – Tudo começou no Governo FHC. Congresso e Governo viraram balcões de negócio.

Mar de corrupção e propina – Tudo começou no Governo FHC. Congresso e Governo viraram balcões de negócio.

A Operação Lava-Jato escancarou o mar de lama da corrupção e da propina. Momentaneamente, interrompeu essa prática indecente visando à formação de poderosas bases de governo.

Esse modelo foi inaugurado no Governo FHC e um dos objetivos era aprovar as privatizações e a PEC da reeleição para presidente. Inicialmente foi a farra da emenda parlamentar, que no primeiro Governo do PT virou emenda impositiva.

A prática foi logo adotada também por Lula e contaminou toda a capilaridade do Governo Federal, com ramificações nas demais esferas de Poder. As estatais foram as maiores vítimas do esquema.

Ultimamente, as “mercadorias” mais comercializadas, depois do voto dos parlamentares, foram: os financiamentos de campanhas, propina das empreiteiras na captação de obras públicas, emendas parlamentares impositivas e outros.

Portanto, foi por culpa dos Governos FHC e Lula que a corrupção e a propina contaminaram praticamente toda a vida nacional. Como no Governo Lula ascendeu ao poder uma legião de “lideranças’” sedentas por dinheiro e poder, a farra foi quase geral.

Os maus exemplos do Poder Constituído, portanto, fez com que muita gente de fora dele se encorajasse a pensar: “já que isso virou normal, então também vou arrumar o meu lado”.

Em conseqüência, Ali Babá e os 40 ladrões viraram trombadinhas, se consideramos o tamanho das barbaridades que assistimos nas revelações dos delatores circulando pela mídia como um todo.

O grande problema foi a instituição da propina para captar obras públicas, o que passo a financiar as campanhas eleitorais, de vereador a presidente da República. O canal eram os diretórios nacionais dos 35 partidos com assento no Congresso Nacional. Não dá mais para continuar com tanto partido!

palacio governo federal

Estou batizando a propina de “jabuticaba, o novo produto brasileiro no mercado internacional”. É que a propina e a corrupção passaram a manchar a lista de tradicionais produtos brasileiros no exterior

Éramos líderes de mercado com produtos tradicionais como: café, soja, suco, minérios, carros calçados, confecções e outros. Mas, a Odebrecht foi para o exterior ensinar a prática da propina para captar obras públicas. Que barbaridade!

 

Revelações curiosas

Marcelo Odebrecht, herdeiro do clã e presidente do conglomerado empresarial que tem 51 anos de experiência, descreveu com detalhes o pagamento que chamou de “ajuda e contribuição às campanhas eleitorais e aos políticos”. Até o caso em que os mensageiros observavam: “ele vai ao exterior com a família, seriai bom sair uma parte em Real e outra em dólar”.

marcelo odebrecht

Marcelo é o principal chefe na alista dos corruptores envolvendo que estão em quase todas as grandes empreiteiras. Sobre o ex-presidente Lula e revelou: Não tem nada de esquerda. Ele é um bom vivant. É verdade, ele gosta de uma vida boa, de uma cachacinha.

O presidente do Conselho de Administrativo da maior empresa de Engenharia da América Latina, Emílio Odebrecht, às vezes até perdia a compostura, jogando-se no sofá em frente os promotores com a reprovação de seu advogado.