UM AEROPORTO ESTRATÉGICO MAS QUE PODE VIRAR ELEFANTE BRANCO – Mais de R$ 30 milhões estão enterrados, mas aeroporto nunca é inaugurado.

UM AEROPORTO ESTRATÉGICO MAS QUE PODE VIRAR ELEFANTE BRANCO – Mais de R$ 30 milhões estão enterrados, mas aeroporto nunca é inaugurado.

Faltam detalhes, mas só conversam sobra a conclusão e a inauguração. É um desperdício de dinheiro, pelo custo pela falta de uso do terminal que poderia incrementar a economia.

PELO VISTO, GOVERNO DO ESTADO NÃO DEVE TERMINAR ESTE ANO OBRAS DA SERRA CATARINENSE – O Aeroporto Regional/Correia Pinto e a Nova Ala do Hospital/Lages são duas do governo anterior.

ANEXO

O NOVO AEROPORTO VIVE NA PAUTA, MAS NUNCA SAI DO PAPEL. COISA DA POLÍTICA RASTEIRA: NUNCA TERMINAR OBRAS DO ANTERIOR PARA SE ADONAR DELAS DEPOIS.

OPINIÃO DO SITE

A gestão do Aeroporto Regional já foi assumida pela INFRAERO, mas quem deve se mexer e colocá-lo em condições é o Governo do Estado. E nem será preciso dinheiro, só vontade já basta.

Claro que a nova administração mal começou e ainda por cima herdou dívidas. Só que é visível que não há muito interesse em concluir obras do Governo anterior. É aquela velha tética: deixa passar o tempo e o povo depois entenderá que a obra é do novo Governo.

O atual Governo do Estado parece que não vê a Serra como Catarinense. Nem os convênios com os hospitais ele renovou!… E já se passaram os 90 dias que pediu.  Anote aí, se a Prefeitura não puder mais custear e você não tiver dinheiro para pagar, não terá mais atendimento na saúde curativa.

Além disso, muita coisa foi transferida para Joaçaba. Certamente é interesse político de deputado ou senador. Veja só a angústia das entidades da região. A última delas foi a Associação Empresarial de Correia Pinto..

ANEXO

Conteúdo disponibilizado pela Assessoria de Imprensa da ACIL/Lages.

A Associação Empresarial de Correia Pinto, foi a anfitriã da primeira reunião plenária da Regional Serra da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) em 2019. O evento aconteceu na noite desta terça, 26 de março, na Casa de Festas Florarte, em Correia Pinto.

O principal assunto tratado na reunião, que foi conduzida pelo vice presidente regional da Facisc, Antonio Carlos Floriani, foi o Aeroporto Regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto.

Ele está em construção desde 2002 e há pouco mais de um ano, passou a ser administrada pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

Atendendo a um convite do presidente da Aciacop, Almir Bittencourt, para atualizar as informações sobre o aeroporto, a superintendente da Infraero, Marcia da Silva Santos, relatou que “o processo de homologação por meio visual encontra-se em vias de ser aprovada. No início de abril a ANAC deverá realizar o registro do Aeroporto e, na sequência, iniciamos o encaminhamento para alteração para voos por instrumentos, para isso precisamos fazer a construção de Resa na cabeceira da pista e a retirada de talude ao lado da pista”.

Os representantes das associações se demonstraram contrários ao início das operações por meio visual. O executivo da Acil, Alberto Engel, explicou que devido ao aeroporto estar em uma região onde é comum a ocorrência de neblina, o que restringe ainda mais a operação de pousos e decolagens, a Comissão Pró Voo não concorda com o início das operações por meio visual. “Quando o aeroporto de Lages ficou impedida de realizar os voos por instrumentos, foram cancelados cerca de 25% dos voos, o que quase fez com que a Azul cancelasse a operação em Lages. Com a operação visual em Correia Pinto, o risco de cancelamento de voos devido ao mal tempo é ainda maior, e podemos acabar ficando sem nenhum voo. Não podemos correr esse risco”, explicou ele. “A Comissão não é contra a mudança das operações de Lages para Correia Pinto, muito pelo contrário, trabalham muito para que isso aconteça, mas somente após a homologação por instrumentos”, finalizou.

Outros assuntos tratados na reunião foram a entrega de um ofício ao Deputado Marcius Machado, representado por Jackson Pereira, com os pleitos que constavam na cartilha Voz Única, são eles: a conclusão do Aeroporto Regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto; melhorias na BR 282; recuperação da Ponte das Goiabeiras na rodovia Caminhos da Neve; pavimentação da SC 370, trecho Urubici – Rio Rufino; e implantação de uma unidade da Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S/A – CEASA/SC em Lages. E a apresentação do Índice de Performance Econômica das Regiões de Santa Catarina – IPER, o qual apresenta uma estimativa trimestral da movimentação econômica das regiões do estado de Santa Catarina e do estado como um todo.

Também estiveram presentes na reunião representando a Facisc, o ex-presidente Ernesto João Reck, o executivo Gilson Zimmermann, o economista Leonardo Alonso e a consultora regional Larissa Schultz; os presidentes da ACIL, Sadi Montemezzo, de Urubici, Ruan Nunes e de São Joaquim, Simon Galileu; o vice presidente regional do Cejesc, Malek Ráu Dabbous; além de diretores das associações e membros dos núcleos empresariais.