INSISTIRAM NA VOLTA DO FUTEBOL NA HORA ERRADA – O resultado está aí: contaminação dos elencos e mais riscos à população em geral. Só na série “A” já são 62 os contaminados.

INSISTIRAM NA VOLTA DO FUTEBOL NA HORA ERRADA – O resultado está aí: contaminação dos elencos e mais riscos à população em geral. Só na série “A” já são 62 os contaminados.

SEM CITAR AS COMPLICAÇÕES E RISCOS, A VERDADE FOI QUE INSISTIRAM NA VOLTA DE UM ESPORTE DE MASSA, MESMO SEM MASSAS NOS ESTÁDIOS. PORTANTO, SEM MUITO SENTIDO COM ESTÁDIOS VAZIOS.

mineirao17-05-2019_0

Foto: Itatiaia.com

 

Justificando o enunciado

Estava claro que não era urgente e nem fazia sentido a volta do futebol no pico de uma pandemia. No mínimo seria uma irresponsabilidade. Veja que o jogador de futebol é um dos agentes trasportadores preferidos da Covid, tendo em vista sua característica de cosmopolita. Ele viaja pelos quatro cantos do nosso território e ao exterior. Entra e sai de aviões, ônibus, hotéis e circula normalmente por aí e nas piores horas e lugares, em se tratando de pandemia. Além disso, pode nem apresentar sintomas dessa doença.

WhatsApp Image 2020-08-03 at 18.46.25

 

EM JUNHO POSTAMOS A MATÉRIA A SEGUIR

 

Veja:

 

NÃO FAZ SENTIDO A VOLTA, JÁ, DE UM ESPORTE DE MASSA, SEM MASSAS PRESENTES. NO MÍNIMO SERÁ UMA IRRESPONSABILIDADE.

          Estamos com mais de 100 mil mortos pela Covid. Será que de alguma forma o futebol não irá levar ainda mais gente, desnecessariamente, à rua? Será que não vão só expor os jogadores à contaminação e aos desgaste inútil? Será que nesta situação de emergência não será comprometida a legitimidade dos resultados e até o brilho daquele que vier a ser campeão? Quem esperar, verá!

Há tanta coisa grave e mais prioritária exigindo gasto de dinheiro, energia e uso de estrutura neste instante. Além de exigir mobilização na segurança, mesmo não tendo público nos estádios, esse esporte gera aglomeração nas ruas, nos bares e em comemorações em casa que acaba reunido gente.

E O MAIS GRAVE É QUE JÁ SE FALA QUE MAIS DE A METADE DOS JOGADORES DE CERTOS CLUBES  CHEGARAM A SE CONTAMINAR E SE CURARAM.

Então, vão só usar segurança numa coisa inócua, expor os plantéis e estimular ainda mais a aglomeração pública, mesmo sem gente dentro dos estádios.

Sabe porque é algo inútil?

É fácil prever e explicar…

Como esse esporte é uma PAIXÃO NACIONAL E O “ÓPIO” DO POVO SOFRIDO, irão só levar mais gente às ruas e anular o efeito do isolamento social que vem custando muito alto.

Mesmo que não seja possível o torcedor ir aos estádios, ele vai dar um jeito de se reunir em casa, com churrasco e bebida nesta hora tão séria para o País e para todos.

Mas, fazer o que? Agora já está decidido o retorno do esporte que mais mobiliza massas em todo o Brasil.

 

FUTEBOL: “OPIO” DO POVO.

UMA PAIXÃO NACIONAL QUE INTERESSA AOS BEM SITUADOS E É O ANESTÉSICO DO POVO SOFRIDO

Reflexão

Esse é o esporte capaz de inspirar aplausos na mansão e a festa na favela.

Então como fazer campeonatos sem torcida?

PARA OS BEM SITUADOS, CHANCE DE VISIBILIDADE; PARA ALGUNS INQUILINOS DO PODER, OPORTUNIDADE DE AGRADAR SÚDITOS; E PARA OS CARENTES DE ALEGRIA E ESPERANÇA, UMA COMPENSAÇÃO.

~~~~~~

Opinião

Só alguns clubes teriam condições de retomar o futebol agora.

Por exemplo, o Flamengo, o novo símbolo nacional.

Como futebol é paixão, assim como o carnaval, ele é coisa para curtição de abastados e de pobres. É uma festa esportiva que durante ela o cidadão da base, o anônimo, hoje pode ser sentir um rei e amanhã um súdito limpando a passarela. Sem desmerecer, é claro, a bela e nobre missão do gari.

Futebol e carnaval são manifestações populares “bem cara nacional!”.

Assista aos jogos do Flamengo, mas com olhar nos detalhes, olhar crítico e sem paixão, mesmo que seja um flamenguista legítimo. Irá logo perceber nos rostos das arquibancadas mais populares, momentos de glória e até de êxtase, com a anestesia das jogadas e dos gols.

Entre os bem situados, a maioria, por questões óbvias, torce pelo Flamengo ou pelo Corinthians. Tanto que há bem poucos anos, até privilegiavam esses dois em alguma coisa, no afã de angariar holofotes ou agregar simpatias. Além disso, desde o Império Romano que o pão e circo acalmam as massas!

Contudo, entre os menos abastados, futebol é pura paixão! Às vezes é onde se vive, perfeitamente, amor e ódio e desprezo e perdão! Tudo em nome da emoção que adoça a vida amarga!

 

MAS O QUE FAZER SE FUTEBOL É SONHO, É  PAIXÃO?!

Então, visto por este lado, até que se entende a vontade louca de tantos que não veem a hora das arquibancadas livres para ver as jogadas e a balada da torcidas.

Até em homenagem àqueles que já se foram, levados pela Covid, e que hoje só estão no videotape da imaginação,

vai aí: Balada Número 7,

de Alberto Luiz, com Moacyr Franco.

 

 

Texto: Eron J Silva