NEGOCIAR VOTAÇÕES DENTRO DE PARÂMETROS ACEITÁVEIS É LEGÍTIMO – Até em países com governos duros como Inglaterra e Alemanha isso é normal.

NEGOCIAR VOTAÇÕES DENTRO DE PARÂMETROS ACEITÁVEIS É LEGÍTIMO – Até em países com governos duros como Inglaterra e Alemanha isso é normal.

O QUE NÃO DÁ É ALGUNS POLÍTICOS BRASILEIROS INSISTIR EM TRAZER DE VOLTA A VELHA POLÍTICA PARA NEGOCIAR VOTO QUANDO ENVOLVE ATÉ A SOBREVIVÊNCIA DO GOVERNO E DAS PESSOAS.

EDITORIAL DO PORTAL.

Até por questão de coerência o Governo Bolsonaro não deverá negociar dentro de velhas práticas como o toma lá dá cá. Cargos e emendas parlamentares não devem entrar na pauta de negociações da Reforma da Previdência.

Como custou muito caro para o povo quebrar essa corrente de velhas práticas, agora o Congresso irá pensar duas vezes para ameaçar com o “Balcão de Negócios”.

O GRITO DOS INTERESSES

Oposição ideológica e intelectuais de barriga cheia de incentivos culturais parecem resistor à alternância de poder. Viúvas socialistas, esquerda e interesses diversos parecem querer legislar em causa própria, mesmo remando contra a maré.

DEVEMOS ENTENDER QUE A ESSÊNCIA DA DEMOCRACIA É A ALTERNÂNCIA E QUE AGORA É A VEZ DE UM OUTRO LADO. A ESQUERDA JÁ TEVE SUA VEZ E É NOTÓRIO QUE FEZ MAIS FIASCOS DO QUE ACERTOS.

OPINIÃO DO SITE

Aqui ninguém está discursando ideologia ou defendendo direita, esquerda ou centro. Nossa função deve ser a de contribuir e tentar ajudar a balizar o pensamento.

O fato é que o povo mandou gente pra casa e agora é legítima a ascensão de um novo grupo. Só que parece resistirem em deixar o novo Governo exercitar seu programa.

Não se deve colocar defeito em tudo e usar argumentos “lugar comum”, por exemplo, para insinuar que está sendo posta em prática uma política externa afinada com o conservadorismo internacional e não uma politica externa para o Brasil.

Criticar faz parte e é direito de quem está do outro lado. Porém, torcer contra é um tiro no pé. Quem perde é o País e quem via só atrapalhar.

Sempre é bom repetir que tão legítimo como ser situação é ser oposição. Mas deve ser de formar consciente e responsável.

É bom a oposição deixar o novo Governo executar seu projeto e é obrigação do Congresso aprová-lo, sob pena de um efeito bumerangue.

Mas até que o “jus esperniandus” é normal.

ERON PORTAL