CUIDADOS COM A SEGURANÇA – Públicos da Festa do Pinhão e do Recanto mais seguros

CUIDADOS COM A SEGURANÇA – Públicos da Festa do Pinhão e do Recanto mais seguros

Não é só a segurança policial que funciona muito bem na Festa do Pinhão e do Recanto. O Corpo de Bombeiros é responsável pela fiscalização e liberação das atividades na Praça João Costa. No Parque Conta Dinheiro a PM sempre dá um show na segurança do público.

Mas este ano um cuidado especial foi no Recanto do Pinhão. Tanto que os que  circulam pelo calçadão da Praça João Costa durante o evento nem imaginam que por trás daquela estrutura de shows e espaços para gastronomia há uma logística complexa de engenharia e segurança.

Já na montagem das estruturas do Recanto não inicia dias antes da abertura. A Fundação Cultural de Lages (FCL) é responsável por uma série de particularidades que envolve toda a burocracia para organizar o evento, laudos técnicos, contratos, licitação, reuniões com entidades filantrópicas, secretarias e, principalmente, com as forças de segurança: Polícia Militar, Polícia Civil e, no caso da fiscalização da segurança total da estrutura, o Corpo de Bombeiros Militar.

Mais detalhes no conteúdo disponibilizado pela Secretaria de Comunicação Social da prefeitura.

ANEXO

O tenente Thiago da Silva, do 5º Batalhão de Bombeiro Militar (BBM), é o chefe do Serviço de Atividades Técnicas da unidade lageana. Técnico e cuidadoso, o bombeiro fez da sua passagem pelo Recanto do Pinhão, na sexta-feira (18 de maio), o momento de testes e visualização de tudo o que as leis e normas de segurança exigem. O Plano de Proteção e Prevenção Contra Incêndio (PPCI) é fomentado por um engenheiro, e toda a estrutura deve ser montada através desse projeto. Uma vez os espaços montados, o tenente faz a vistoria, e se tudo estiver como no projeto e atendendo às normas, o evento tem sua liberação para acontecer.

Um dos primeiros testes realizados pelo tenente Thiago foi de incombustibilidade. “O bombeiro cobra do promotor do evento, no caso a Fundação Cultural, um laudo de incombustibilidade, dizendo que o material usado nas coberturas e barracas é incombustível. Esse laudo é feito através de um profissional habilitado, e consta o tipo de amostra de material usado nas estruturas, metodologia e resultados de teste. A partir daí, é emitido uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica), após, o bombeiro pede um pedaço de amostra e queima o material. Se em menos de dez segundos, o fogo cessa, o material não irá gerar o incêndio, significando que o material é incombustível”, ensina.

Ainda segundo o tenente Thiago, a parceria com a Fundação Cultural é fundamental para a geração de segurança no Recanto do Pinhão. “Já no ano passado, passamos uma série de orientações para a Fundação para que em 2018 tudo ocorresse bem. A organização e antecipação da Fundação Cultural facilitaram o trabalho dos Bombeiros e permitiu que o processo de análise feito aqui fosse tranquilo. Passamos em cada barraca das entidades e analisamos iluminação de emergência, corredores, portas, fogões, mangueiras de gás, extintores e tudo o que a legislação exige”, comenta.

O tenente Thiago da Silva, do 5º Batalhão de Bombeiro Militar (BBM), é o chefe do Serviço de Atividades Técnicas da unidade lageana / Foto: Fabrício Furtado