Colombo deixa o governo em dezembro – Independentemente da Lava-Jato.

Colombo deixa o governo em dezembro – Independentemente da Lava-Jato.

O governador Raimundo Colombo já reafirmou, inclusive aqui em Lages, que vai mesmo deixar o governo em 31 de dezembro próximo. Contudo, analistas políticos acreditam que não. Mas, até aqui ele cumpriu todos os compromissos assumidos já no tempo do saudoso Luiz Henrique.

Disse aqui em Lages, numa reunião com presidentes de barro, na Penha, que vai entregar o Governo e ser candidato a senador. Todos os companheiros mais chegados acreditam que só não será em circunstâncias muito especiais. O governador disse a um líder de bairro que não tem projetos de participação em uma chapa nacional. “Isso é muita areia para meu caminhãozinho” brincou ele.

Estratégia errada

O que repercutiu mal na mídia foi Colombo ter escolhido Brasília para iniciar as explicações. Lá é o olho do furacão, as perguntas sempre são outras, ele próprio disse que não está pronto para se defender. A estratégia de se explicar longe de SC amplia dúvidas, diz o DC.

Afirmações

Falando pela primeira vez sobre caixa 2, Raimundo Colombo admitiu um encontro na Odebrecht. Mas contestou pedido dinheiro para companheiros. Entrevista em Brasília mostra o caminho que será adotado pela defesa. Reafirmou que a Casan não foi vendidas, é tese ultrapassada. Mas disse que o grande nó dessa fase da Lava-Jato é justamente o caixa 2. Sobre delatores, disse que não estão falando a verdade. “Não pedimos caixa 2”.

Candidatura

A candidatura de Raimundo Colombo para o Senado é o mais provável. Até porque esses processos se arrastam por mais de cinco anos. Em relação à lei eleitoral não haveria impedimentos. Apenas daria discurso aos adversários. Único ponto a favor é que poucos podem atirar a primeira pedra.

Somente algo muito grave poderia impedir sua candidatura. Não teria nada a perder. O governador sempre se elege ao Senado. Apesar de que neste instante a opinião pública esta perplexa com tanta denúncia.