CENTENÁRIO DE ATIVIDADES DO ASILO VICENTINO É CELEBRADO NO LEGISLATIVO LAGEANO

CENTENÁRIO DE ATIVIDADES DO ASILO VICENTINO É CELEBRADO NO LEGISLATIVO LAGEANO

Centenário de atividades do Asilo Vicentino é celebrado no Legislativo Lageano

 

A Câmara Municipal prestou reverências aos 100 anos de fundação do Asilo Vicentino de Lages em uma sessão solene realizada no Plenário Nereu Ramos do Poder Legislativo, no dia 11 de maio. O atual presidente da instituição, George de Bona, recebeu uma placa comemorativa das mãos do proponente, enquanto o vereador Luiz Marin (PP), proponente da solenidade, recebeu um diploma especial de mérito em nome de todos os ex-presidentes. Marin esteve à frente do Asilo Vicentino por nove anos.

O asilo foi fundado em 1917 e tem como mantenedora a Conferência Vicentina de Lages. São atendidos 81 idosos entre 60 e 107 anos, divididos em ala feminina e masculina.  A instituição filantrópica não tem fins lucrativos e se mantem com doações, aposentadorias, convênios com o poder público e iniciativas como a festa anual em honra a São Vicente de Paula.

A diretoria é composta por voluntários da sociedade lageana. A instituição também conta com profissionais como médico, psicóloga, nutricionista, fisioterapeuta, enfermeira, técnico em enfermagem, educador físico, assistente social, contador, administrador, assistente administrativo, cozinheiras, cuidadores, auxiliar de serviços gerais, além de estagiários e de oferecer serviços odontológicos em um consultório externo.

Em sua fala, Luiz Marin fez questão de agradecer nominalmente muitos voluntários que ajudaram a construir a trajetória deste centenário do asilo. “Temos muito orgulho e deixamos nosso muito obrigado e o reconhecimento pelo carinho de todos que lá estão trabalhando voluntariamente por nossos idosos. (…) Não distribuímos um certificado para cada um porque todos são merecedores e não podemos esquecer e deixar alguém de fora, por isso, só será a um, representando a todos, porque o trabalho é de ouro, mas a simplicidade também é. São todos iguais, trabalhando sem horário, sem preguiça e atendendo os idosos da melhor maneira possível”, disse o proponente.

“Idosos são os mais sentem dificuldades, porque crianças, jovens e adultos vão conquistando direitos, ao contrário dos idosos que os vão perdendo, tal como a carteira de motorista, o direito de ir e vir que também fica limitado, tornando-os mais inseguros e cada vez mais dependentes. A vida é assim, mas o que me conforta é que o Asilo Vicentino prioriza a saúde e o bem-estar de cada um”, afirmou De Bona. Ele nominou as cinco idosas centenárias atualmente sob os cuidados da instituição: Maria Nerli, 102 anos; Doralice, 103; Marina, 103; Santalina 104; e Olívia 107.

Fora a sessão da Câmara de Lages, outras programações vão marcar o centenário do Asilo Vicentino. Ainda sem data definida, será lançado um convênio com a Celesc para que a população de todo o estado possa realizar doações mensais à entidade diretamente na conta da tarifa de luz. Uma apresentação musical da Vivace Camerata deve acontecer no dia 2 de julho. No fim deste mesmo mês, acontece um jantar por adesão em reverências aos ex-presidentes e colaboradores. No dia 24 de setembro acontece a tradicional festa anual do asilo e em dezembro deve acontecer o sorteio de uma rifa com grandes prêmios.

Presidentes históricos da Conferência Vicentina de Lages

1917 a 1936 – Oscar Alves de Brito

1937 a 1938 – Custódio Campos

1939 a 1941 – Caetano Vieira da Costa

1943 a 1947 – Nelson de Castro Brascher

1948 a 1950 – Túlio Fiuza de Carvalho

1951 a 1960 – Joaquim Melim Filho

1961 a 1987 – Túlio Fiuza de Carvalho

1987 a 1988 – Antonio Inácio Correa

1988 a 1990 – Oswaldo Carvalho

1990 a 1993 – Mario Valera

1993 a 1996 – Paulo Edson Branco de Oliveira

1996 a 1999 – Adilson Pereira de Oliveira

1999 a 2002 – Luiz Marin

2002 a 2004 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2004 a 2008 – Luiz Marin

2008 a 2012 – Gentil Lorenzetti Costa

2012 a 2014 – Paulo Edson Branco de Oliveira

2014 a 2016 – Luiz Marin

2016 a 2018 – George De Bona

Câmara reivindica fiscalização da lei que estabelece o peso máximo às mochilas dos estudantes

Santa Catarina tem sancionada a Lei Estadual 10.759/2010, que dispõe sobre o peso máximo tolerável do material escolar transportado por alunos da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio da rede escolar pública e privada. Nesse sentido, o vereador José Amarildo Farias (PT) apresentou na sessão de segunda-feira (15) a moção legislativa 104/2017, onde solicita a fiscalização da referida Lei aos órgãos responsáveis, em especial ao artigo 3º, que se refere ao fornecimento de armários para guardar o excesso de peso carregado pelos estudantes.

A reivindicação é motivada pelo fato de que muitos pais reclamam que a escola não dispõe de locais para armazenamento dos materiais que excedem o peso, conforme a norma legal. “Em virtude dessa ausência, muito alunos estão transportando mochilas com peso acima do permitido, o que poderá lhes acarretar, segundo a Sociedade Brasileira de Ortopedia, sérios problemas de coluna”, expõe Amarildo.

As diretrizes da lei estabelecem parâmetros em relação ao peso das mochilas. Em crianças da educação infantil, não deve ultrapassar 5% do peso da criança, em alunos do ensino fundamental esse índice não deve ser maior que 10% e para os estudantes do ensino médio 15% é o que recomenda a regra. “É importante que as instituições de ensino se conscientizem dessa situação, pois isso se tornou uma questão de saúde pública”, completa o vereador.

A matéria foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal e será encaminhada à Secretaria Municipal de Educação, À Gerência Regional de Educação em Lages e ao Sindicato das Escolas Particulares do Estado de Santa Catarina (Sinepe), em Florianópolis. 

Criação de comissão para alertar sobre os perigos do jogo Baleia Azul é sugerida no Legislativo

Apresentada na sessão de segunda-feira (15), a moção legislativa 106/2017 sugere a formação de uma comissão junto à Secretaria Municipal de Saúde para a realização de visitas nas escolas com o objetivo de levar mais informações sobre os perigos do jogo “Baleia Azul”. Esse desafio, mundialmente difundido, trata-se de um jogo online, que provoca o participante a realizar provas tão perigosas que podem provocar o suicídio. A reivindicação é do vereador Pedro Figueredo (PSD).

O legislador sugere que o Executivo Municipal forme e organize equipes para visitar as escolas, esclarecendo aos jovens os riscos que esse jogo pode causar. Além disso, recomenda que os pais sejam orientados sobre o tipo de comportamento que o filho poderá desenvolver quando envolvido nessa situação. “Sabemos que ainda existem pessoas recrutando crianças e adolescentes para participarem do mesmo jogo e já houve casos, em nossa cidade, de crianças e adolescentes que colocaram suas próprias vidas em perigo”, destaca Figueredo.

A Câmara aprovou o documento que será enviado ao prefeito Antonio Ceron (PSD), para que junto com a secretaria citada, possam analisar o pedido apresentado. “Nós como Poder Público temos como obrigação orientar e prevenir eventuais casos que ainda poderão acontecer”, enfatiza o vereador.

Exposição na Câmara expôs temas da história de Lages

Uma exposição de banners intitulada “Terra dos Prazeres – 250 anos de Lages” ocupou o espaço Malinverni Filho, na entrada da Câmara de Vereadores de Lages. Os trabalhos são do escritor, blogueiro e membro do Conselho Municipal de Política Cultural, José Carlos Arruda de Sousa, que através de crônicas e causos expõe com diversão o folclore, o humor e o pitoresco de algumas personalidades dos primórdios de Lages.

O artista escolheu os 12 temas apresentados baseado em suas próprias pesquisas culturais, geográficas, históricas e sócio-econômicas, e também em obras de outros escritores. Os banners são ilustrados com caricaturas do cartunista Adilson Ferreira e os textos foram selecionados dos livros do próprio expositor. Entre eles estão: Conjuminâncias Lageanas – Uma Coletânea de Artigos (de 2007), O Dizedor (de 2009) e Causos e Crônicas da Terra dos Prazeres (de 2013) e dos blogs www.ze.salamargo.zip.net e http://www.arrudafamilias.blogspot.com/.

Situação dos animais errantes motiva pedidos na Câmara de Lages

Os vereadores que compõem a 18ª Legislatura já discutiram a situação dos animais errantes em audiência pública esse ano, porém, como nenhuma medida efetiva foi apontada para solucionar a questão, o vereador Bruno Hartmann (PSDB) apresentou dois pedidos de informação na sessão de segunda-feira (15), buscando esclarecimentos aos órgãos municipais sobre o assunto. A Câmara aprovou os documentos que serão enviados ao Poder Executivo, o qual terá um prazo de 30 dias para responder as indagações.

O pedido número 044/2017 é endereçado ao Centro de Controle de Zoonoses, que têm como atribuição fundamental prevenir e controlar as zoonoses (como raiva, febre amarela, dengue, entre outras). Ao órgão questiona-se:

  1. Quantos veterinários estão lotados no Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e quantos deles são responsáveis pela realização das castrações?
  2. Se existe algum programa a ser implantado pelo município para potencializar o controle populacional de animais errantes?
  3. Qual o número de castrações realizadas entre o mês de janeiro de 2017 até a presente data?
  4. Já houve abertura de processo de licitação para compra de medicamentos e instrumentos necessários para a efetivação do procedimento de esterilização?
  5. Se a resposta for positiva, informar em que fase se encontra o processo e prazo para conclusão.
  6. Informar a quantidade de medicação disponível no estoque do CCZ, com o envio de lista discriminada de tais medicamentos.

Já no documento 045/2017 o pedido é para o Centro Ambiental, o qual cabe notificar, fiscalizar e multar os infratores de maus tratos e abandono animal no município. Nesse sentido pergunta-se:

  1. Informar o quadro de funcionários, discriminados por cargo.
  2. Informar as atribuições de cada cargo, encaminhando relatório das atividades prestadas até o presente momento, por cada servidor.
  3. Acerca da gerência de vida animal, informar de que forma é realizado o controle populacional de animais.
  4. Quais os equipamentos disponibilizados ao gerente de vida animal para:
  5. a)    Atender as denúncias de maus tratos e abandono;
  6. b)    O recolhimento de animais de rua;
  7. c)    O recolhimento de animais de grande porte, inclusive, para animais caídos ou em situação de maus tratos;
  8. Existem veículos apropriados e à disposição, prioritária, para o gerente de vida animal realizar os atendimentos?
  9. Sendo a resposta negativa, quais as medidas serão tomadas para a solução do problema?
  10. Quantas multas foram aplicadas pela fiscalização do meio ambiente nos casos de maus tratos e abandono, e quantas notificações foram encaminhadas ao Ministério Público para abertura de processo?

Regulamentação do queijo artesanal serrano é tema de sessão nesta quinta

Uma sessão especial do Poder Legislativo Lageano vai apresentar na próxima quinta-feira (18), a partir das 19h, a lei 17.003/2016, de autoria do deputado estadual Gabriel Ribeiro (PSD), que regulamenta a produção e comercialização do queijo artesanal serrano, fonte de renda para milhares de catarinenses.

A reunião na Câmara Municipal tem como proponente o vereador Pedro Figueredo (PSD), que convida toda a comunidade a participar da reunião, além do deputado Gabriel Ribeiro, o presidente do Sindicato Rural de Lages, Marcio Neves Pamplona, e produtores do queijo serrano.