CARREIRA DA MAGISTRATURA DESPERTA INTERESSE DE JOVENS – Juiz encanta plateia do ensino médio em colégio de Lages/SC.

CARREIRA DA MAGISTRATURA DESPERTA INTERESSE DE JOVENS – Juiz encanta plateia do ensino médio em colégio de Lages/SC.

FOI SURPREENDENTE O INTERESSE DOS ESTUDANTES PELA CARREIRA DA MAGISTRATURA, DO MP E A MECÂNICA DA FUNÇÃO DE JUIZ.

WhatsApp Image 2019-03-16 at 20.25.06

WhatsApp Image 2019-03-15 at 23.16.51

Nesta sexta, 15, o juiz aposentado Fernando Cordioli Garcia fez uma palestra às três turmas do 2º grau (ensino médio) no colégio Godolfin Nunes de Souza/Bairro da Penha.

A palestra abordou inúmeros temas, entre eles, a carreira da Magistratura, mecânica da função de juiz e de outras profissões, escolha do curso e da área para o jovem se qualificar, literatura, assédio moral, aspecto filosófico, ético e moral. Os últimos temas, tanto em relação ao profissional do direito como ao cidadão.

O palestrante discorreu, partindo de sua infância até hoje, falando sobre dificuldades para estudar, sua indecisão entre a carreira militar e o Direito e a mecânica do exercício do cargo de juiz, advogado e outros profissionais. Advertiu que uma profissão não se escolhes na hora de fazer a faculdade ou o concurso.

O que também surpreendeu foi a participação da plateia, até porque o modelo adotado pelo palestrante foi o de a cada tema em debate, solicitar perguntas aos estudantes.

Maioridade penal, interpretação e aplicação da Lei, principais processos que o juiz presidiu, prisões de autoridades, erros e acertos em julgamentos. Estes foram alguns dos temas que motivaram debates com os estudantes.

A pergunta mais interessante foi a de um aluno que quis saber se o juiz condenou alguém por engano, sabendo que o réu era inocente ou por pressão. E quais as suas sentenças mais acertadas.

O palestrante disse que nunca um juiz irá condenar alguém, deliberadamente sabendo que o réu é inocente. Mesmo que seja forçado. Neste caso, o juiz tem a garanti de se considerar impedido de conduzir um julgamento.

No seu caso, nunca ocorreu isso. Contudo disse ter se arrependido de, em certos julgamentos, não ter reagido contra equívocos de determinados atores do julgamentos, como discriminação de qualquer ordem, humilhação ou eventual abusos do poder decorrente do cargo.

WhatsApp Image 2019-03-16 at 20.25.31