ALESC E CÂMARAS AGENDAM AUDIÊNCIAS SOBRE CAMPANHA DA FRATERNIDADE – Câmara de Lages larga na afrente e vai discutir Fraternidade e Política Públicas.

ALESC E CÂMARAS AGENDAM AUDIÊNCIAS SOBRE CAMPANHA DA FRATERNIDADE – Câmara de Lages larga na afrente e vai discutir Fraternidade e Política Públicas.

LANÇADA ESTA SEMANA, A CAMPANHA DA FRATERNIDADE DESTE ANO TEM MUITO A VER COM AS CASAS LEGISLATIVAS.

1-campanha da fraternidade

A CNBB acaba de lançar a Campanha da Fraternidade 2019 – Fraternidade e Políticas Públicas. O lema deste ano é “Serás libertado pelo direito e pela justiça”. A Campanha foi lançada publicamente durante entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (6 de março), pelo bispo Dom Guilherme Antonio Werlang.

Dom Guilherme disse que existem dois tipos de políticas públicas: A de Estado e a de Governo, sendo que as primeiras estão garantidas pela Constituição Federal, basicamente. Enquanto que as políticas públicas de Governo se originam dos planos de campanha eleitoral e ao longo de gestão governamental. Estas devem levar em conta as realidades regionais.

Dentro do contexto da defesa dos direitos dos cidadãos às políticas públicas, a Campanha da Fraternidade 2019 foi pensada e será implementada pela Igreja, junto à sociedade civil e aos organismos sociais representativos ao longo deste novo ano. Audiências públicas já estão agendadas na Câmara de Vereadores de Lages e, em nível estadual, na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), para discutir as formas de se desenvolver as políticas públicas, direitos dos cidadãos e deveres dos governantes.

Dom Guilherme afirmou que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a precursora da Campanha da Fraternidade, desde 1964, quando houve o primeiro lançamento, não tem cor partidária e que a defesa dos direitos das políticas públicas está fundamentada na Bíblia (Palavra de Deus) e na Doutrina Social da Igreja.

Segundo explicou Dom Guilherme, o direito à dignidade humana (alimentação, saúde, moradia e educação – direitos universais da pessoa humana) está inserida nas políticas públicas, as quais todos precisam defender, especialmente os cristãos.