A FICÇÃO JÁ É REALIDADE E ISSO VEM ACELERANDO O PASSO DA HISTÓRIA – As mudanças com a revolução tecnológica fazem tudo virar passado rapidamente

A FICÇÃO JÁ É REALIDADE E ISSO VEM ACELERANDO O PASSO DA HISTÓRIA – As mudanças com a revolução tecnológica fazem tudo virar passado rapidamente

A REBOQUE DA TECNOLOGIA, TUDO VIRA HISTÓRIA MAIS CEDO PORQUE O CONFORTO DA CIVILIZAÇÃO DITA AS TENDÊNCIAS E OS NOVOS SONHOS DE CONSUMO.

Foto tecnologia

 

           O brutal avanço tecnológico faz com que tudo fique obsoleto numa velocidade impressionante. Com isso é comum a educação profissionalizante, por exemplo, gastar tempo ensinando conteúdos que só servem para tarefas do trabalho do século passado. Perceba que a maioria do que iremos consumir nos próximos cinco anos ainda nem foi inventado. E é possível que a invenção da penicilina e a da eletricidade é que tenham dado sustentação a esse processo evolutivo. O antibiótico prolongou a vida e a eletricidade promoveu saltos na produção.  

 

Um dos lados bons dessa revolução vem sendo a popularização do conforto da civilização. Com a democratização da modernidade, todas as classes sociais tem acesso aos produtos de origem e de base tecnológica. Até os índios já portam WhatsApp.

Tecnologia mais barata para que esteja ao alcance de todos não se trata de uma versão tabajara, genérica, tampouco falsificada. Trata-se, é claro, de uma versão standard, padrão (simplificada), para que mais gente consuma tecnologia, fato este que faz sentido num mercado moderno.

Para ficar só num caso pontual, veja que há celulares em várias prateleiras: as de cima, as do meio e as de baixo.

E já vem por aí a operação digital 5G, uma velocidade, especialmente na Internet, que será um desafio acompanhar. Não faz muito tempo que o celular era um aparelhinho só visto em filmes de ficção, como nos recursos da comunicação do comendante em Guerra nas Estrelas.

As revoluções foram tantas que atualmente já se pode dizer que até o sonho de consumo das pessoas é mutável, quase num piscar de olhos, tal a enxurrada de novidades tecnológicas. E isso tem enorme peso no mercado.

MUDANÇAS NA SOCIEDADE MODERNA

Atualmente já quase tudo gira conforme as novidades. Elas promovem alterações no comportamento, nos costumes e no meio de vida das pessoas. Todos precisam daquele algo mais do seu tempo na circulação que fazem na passarela da vida e na vitrine virtual.

McLuhan, visionário educador canadense, disse, nos anos 70, que o mundo iria virar uma aldeia global. Previu que no futuro tudo iria girar em torno da televisão. Sua teoria tinha como base os meios de comunicação: “o meio é tudo…”

Errou só o nome do veículo, ou da rede. Acertaria em cheio se dissesse: “tudo vai girar em torno de uma rede que se chamará Internet”. Mesmo assim, é inegável que foi ele quem previu a Internet 30 anos antes.

Na época isso foi encarado mais como uma profecia. Mas hoje aquela “profecia” é realidade.

 

ALGUMAS VISÕES BEM HUMORADAS DOS EFEITOS DAS MEGA TRENDS

Em 1.940 ouvia-se música “no rádio”, como dizem os mais velhos. Depois veio o vinil 78 rotações. Surgiu o vinil LP 33 rotações. Aí veio o CD.

Hoje os profissionais da música não lançam mais CD e sim o clip. Eles ganham mais dinheiro com o show, as imagens pessoais e as visualizações nas plataformas digitais que usam.

Alguém percebeu a saída espetacular do meio fonográfico e de espetáculos musicais durante a pandemia? A live foi um achado. Até porque, num futuro bem próximo, nem show ao vivo, físico existirá. Tudo será virtual.

INFLUÊNCIA EM TUDO

Para viajar um pouco mais nessa história se pode dizer que daqui um pouco até os pássaros estarão fazendo live. Até porque, acredite, eles também estão sendo afetados pela modernidade. Com a destruição de seu habitat já estão se refugiando nas áreas urbanas. Com isso, até o timbre do seu canto poderá sofrer influência do novo meio.

O futebol é algo que muito se altera com as revoluções, especialmente agora, com a revolução 4.0. O jogador Cristiano Ronaldo, por exemplo, ganha o equivalente ao salário da profissão com o que lhe rendem os bilhões de acessos às plataformas suas, nas redes sociais. Daqui um pouco, jogadores de futebol como esse, irão jogar apenas para produzir material para seus clips a serem veiculados nas redes e os jogos serão o produto dos clubes para venda à televisão e à Internet.

Até, isso acima, já acontece hoje. Devido ao Coronavírus, os campeonatos voltaram numa versão sem público nas arquibancadas. E desse limão ainda vão fazer uma limonada… Já falam numa liga reunindo só os 10 maiores clubes da Europa. Deve ser a “Galáctico’s League”. Isto é, que reuniria só galácticos.

Na toada que o mundo vai, daqui um pouco haverá mais funções autônomas que grupos de trabalhadores produzindo, coisa esta que ficará para a máquina. Que o diga a função de influenciador digital. Este vai influenciar em tudo.

Mas, e o sujeito convencional, conservador e tradicionalista ao extremo? Como o gaúcho, por exemplo? Ah! Este que não duvide se ainda não tenha que alterar o ritual e o ingrediente do chimarrão. Não faltará um influenciador cultural que não invente de convencê-lo a tomar um chimarrão artificial, virtual ou que o valha! Cigarro artificial, eletrônico já andaram inventando, não faz muito tempo.