Fato curioso nas convenções

Fato curioso nas convenções

Um fato no mínimo curioso nas convenções foi a orientação do Diretório Estadual para que o pré-candidato a prefeito, Coronel Chrisóstomo, retirasse a candidatura e fosse com o time de vereadores para a coligação liderada pelo PSDB.

Na convenção, ele disse que “baixou o espírito do soldado” e acatou as ordens. “Resta, agora, eu coordenar a campanha dos candidatos a vereador”, observou.

Sua entrevista seria a primeira dos candidatos a prefeito da série Eleições Municipais. Não é candidato, contudo, por considerá-la relevante, de conteúdo e com ideias aproveitáveis por qualquer administrador, publico-a na íntegra.

 

ENTREVISTA:

Chrisóstomo queria ser prefeito de Lages

Perfil – O Coronel nasceu na Vila Militar Bitencourt, fronteira com a Colômbia, onde até hoje só vivem 150 famílias. É filho do recruta Juvino Moura e da Índia Zinha. Entrou para o Colégio Militar de Manaus no regime de internato. Fez carreira militar via Academia de Agulhas Negras (AMAN/Resende-RJ). Fez Engenharia do Exército e veio para Porto União/SC, como aspirante. Retornou ao RJ para realizar três cursos de pós- graduações (Comunicação Social, Perícias de Engenharia e Políticas e Estratégias de Governo/PUC-PA). No Exército, foi chefe de Logística na Amazônia Ocidental, chefe de patrimônio na Amazônia, onde recebeu o Prêmio Militar Gestor da Amazônia. Participou do projeto do Polo Naval da Amazônia.

 

Eron Silva – Por que o interesse pela política?

Coronel Chrisóstomo – Devido à situação da política brasileiras nos últimos tempos, o que levou ao status quo de hoje. Também devido a fatos que desagradam à população.

 

ES – Por que se fixou em Lages? Chrisóstomo – Em 91 cheguei ao Batalhão e me encantei com a recepção local. Acabei nutrindo grande amor pela cidade.

 

ES – Qual a maior carência de Lages?

Crhisóstomo – Emprego e renda para quem precisa sobreviver e se preparar para o futuro. Criar empregos populares, pois os existentes são disputados no mercado. Também, é claro, trazer atividades de inovação e grandes empresas convencionais que empregam maior número de pessoas. Os desempregados não têm acesso ao mercado de trabalho sofisticado oferecido pela indústria de automação.

 

ES – Qual seria o carro chefe do seu plano de governo?

Crhisóstomo – Infraestrutura, com a construção de asfalto, calçadas, galerias pluviais e esgoto sanitário. Tudo através de um convênio com o 10 BEC, porque ele faz obras de qualidade, usa mão de obra local, não há licitação e nem propina, daí fica tudo mais barato.

 

ES – O que o novo prefeito deve fazer primeiro?

Chrisóstomo – Um levantamento da estrutura administrativa e verificar o que fazer para otimizar o atendimento ao cidadão. Com isso evitará o desperdício, aumentará a receita e equilibrará as contas, em consequência, virão mais obras e realizações.

 

ES – Qual a atividade mais adequada para Lages?

Chrisóstomo – A vocação é o entreposto comercial de qualquer produto ou mesmo de grandes empresas e empreendimentos. Aqui é um entroncamento rodoviário, equidistante das capitais do Sul e é porta do Cone Sul (Uruguai, Argentina e Paraguai). Luto há muito para trazer o entreposto da Zona Franca de Manaus. Esse empreendimento oferece trabalho às massas. Não quero atividades que façam poluição em nossas belezas naturais.

 

ES – Qual o projeto prioritário se um dia for prefeito?

Chrisóstomo – Construir uma área de lazer e eventos sobre quatro segmentos do Rio Carahá. Talvez uma estrutura metálica. Dois entre a AV Dom Pedro e a Presidente Vargas e dois entre a Presidente Vargas e o Triângulo. Também tenho um projeto de um estacionamento vertical em cima do Terminal Urbano, com restaurante popular, lanchonete, sala administrativa, de reuniões e um auditório.