COMENTÁRIO DO ERON – Legislatura pode significar renovação para pior. Até aqui poucos disseram para que vieram.

COMENTÁRIO DO ERON – Legislatura pode significar renovação para pior. Até aqui poucos disseram para que vieram.

Acompanhei atentamente os primeiros 100 dias da nova Legislatura da Câmara de Vereadores de Lages. Salvo raras exceções, parece que a tal renovação poderá vir a ser para pior.

A não ser que alguns afoitos revejam suas posturas e ouçam mais o eco das ruas e de quem faz a opinião, teremos a maior decepção.

Infelizmente, por culpa dos próprios políticos que só deram o mau exemplo ultimamente, o eleitor mandou para casa alguns experientes, competentes e bem intencionados vereadores e levou para a Câmara líderes emergentes que se acham o máximo, que estão com a bola toda e só fazem discursos como “chover no molhado ou enxugar gelo”, enfim, uma espécie de diarréia verbal.

Muitos vereadores da nova safra já aprovaram matérias sem saber no que estavam votando. Em parte foi culpa da própria Casa que tem mandado tudo guela à baixo. Mas falta de estudo não significa burrice nem falta de inteligência e habilidade.

Vejam o fiasco na TV e em demais canais que transmitem as sessões: são Líderes personalistas; cercados de assessores arrogantes e donos da verdade; atuação em plenário só no afã do exibicionismo, holofotes e oportunismo; e uma presidência que se enclausura e se diz sempre ocupada, com quem devemos marcar hora e que geralmente é cancelada.

Eu nem reclamo da falta de entrevistas. Até porque a excelente Assessoria de Imprensa da Câmara nos fornece tudo, com qualidade e competência. Tanto que, gratuitamente, divulgo aqui, na íntegra, o informe da Câmara. É homenagem à atenção e o carinho que recebo sempre que vou lá.

O que ainda desejo dizer é que nós da mídia [pelo menos eu] não podemos marcar hora para receber as informações. Os fatos nem sempre tem agenda. Às vezes não marcam hora para acontecer.

Não vejo muito futuro! E também quero ver se realmente vai sobrar algum recurso para ser devolvido ao Executivo, como fazia o ex-presidente Nilton Freitas.

Ainda sobre as presidências dos Legislativos é preciso alertar que os presidentes ganham um adicional de 50% do salário porque devem administrar a Casa e estar presente para atender os vereadores, o povo, quem quer informações precisas, esclarecimentos e explicações.

É dever participar dos acontecimentos da cidade, mas deve se organizar para atender, especialmente a mídia. Pode convidar para outro horário. Mas parece que querem é se ver livre da gente. Eu não posso ficar mais adivinhando o que escrever sobre as decisões da Mesa. Elas sempre são polêmicas e complicadas. Já errei por isso.

Também não tenho mais tempo para ficar plantado na Câmara durante as sessões ou viver nos gabinetes atrás das informações mais corretas. No próximo artigo poderei dar nome aos bois no caso das derrapagens dos vereadores. É só provocarem. Mas de que importa, acham que a gente não é ninguém.

Eron J Silva.