UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA – “Ensino Superior para ricos e indústria de escolas caras no 2º grau”.

UNIVERSIDADE PÚBLICA BRASILEIRA – “Ensino Superior para ricos e indústria de escolas caras no 2º grau”.

“É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha”, que um pobre passar em Medicina e se formar numa Federal.

Pelos programas de acesso fora o vestibular é possível passar pela peneira. Mas, para conseguir índices depende de colégios e cursinhos caros.

Então, a maioria da clientela das Federais é de rico que paga colégio caro ou de filho de papai que faz cursinho pré-vestibular. Exceto alguma sumidades que se destacam nos ensinos fundamental e médio, através de quotas ou pelos métodos especiais de aceso, dificilmente um pobre passa no vestibular para cursos chamados nobres.

OPINIÃO DO SITE

Antes de tudo deixamos claro que aqui nunca defendemos governos, nosso Partido é o Brasil!

É preciso ter coragem e isenção para falar a verdade sobre a Universidade Pública Brasileira. Lá é um ensino para ricos e uma indústria de escolas caras no 2º grau.

Tanto é verdade que o que mais dá dinheiro para escolas particulares e cursinhos pré vestibulares pagos a peso de ouro é o vestibular. Tudo porque só com ensino de qualidade é que se vence a concorrência para entrar nas Universidades Federais e Estaduais Públicas. Portanto, as Universidades do Governo abrem as portas quase só para ricos.

Quem pode pagar um cursinho é só o bem nascido, por causa do custo. E ainda o filho do rico e a patricinha estudam no colégio caro de 1º e 2º graus e já fazem junto com o último ano do 2º, o “Cursinho Terceirão”.

E nos colégios particulares de 1º e 2º graus é onde há uma outra indústria. O que mais se paga lá é material escolar que geralmente é exclusivo ou próprio e uniformes pomposos.

“É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha, que um pobre se formar em Medicina. Na Universidade Pública não consegue entrar e nas privadas não consegue pagar. Só entra na Universidade Federal, via vestibular o filho de papai, salvo raras exceções ou por cotas.

FORMAS DE ENTRAR NAS UNIVERSIDADES ALÉM DO VESTIBULAR:

O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), prova dividida por:

 

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: Língua Portuguesa, Literatura, Língua Estrangeira, Artes, Educação Física e Tecnologias da Informação e Comunicação
  • Matemática e suas Tecnologias: Matemática
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias: Química, Física e Biologia
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias: História, Geografia, Filosofia e Sociologia
  • Redação

A nota da acesso a universidade pelas inscrição nas seleções:

Sisu (Sistema de Seleção Unificada): O Sistema de Seleção Unificada é o sistema informatizado, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), pelo qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Prouni (Programa Universidade Para Todos): É um programa criado pelo MEC que fornece bolsas de estudo parciais e integrais em instituições de ensino particulares, para estudantes de baixa renda, sem diploma de nível superior.

Fies (Fundo de Financiamento Estudantil):  é um programa criado pelo Ministério da Educação (MEC) que oferece financiamento estudantil aos estudantes de cursos de graduação de instituições privadas cadastrados no sistema.

OBSERVAÇÃO

PARA CONSEGUIR ESSES NÚMEROS, SEM PAGAR COLÉGIOS E CURSINHOS CAROS É AQUASE IMPOSSÍVEL. LOGO, TAMBÉM NÃO É COISA PARA QUALQUER POBRE.

Foto 3

Por outro lado, muitas salas das Federais estão vazias, porque falta clientela, porque não conseguem acompanhar o aprendizado ou porque há evasão dos que entram pelas portas especiais e não podem se manter e nem pagar o financiamento.