SOMOS CONTRA O DESMATAMENTO, PORÉM A FAVOR DA LEI – É preciso bom senso norteando atitudes de ambientalistas e ONGS que parece estarem mais de olho é nos recursos.

SOMOS CONTRA O DESMATAMENTO, PORÉM A FAVOR DA LEI – É preciso bom senso norteando atitudes de ambientalistas e ONGS que parece estarem mais de olho é nos recursos.

Cargos, partidos, ideologia e verbas em jogo. Eco chatos e técnicos públicos param obras, ao invés de orientar a adequação de projetos para defender a natureza, a vida e evitar prejuízos.

Vamos a alguns casos absurdos que poderiam ter sido resolvidos com orientação, mudança de projetos, diálogo e o bom senso. Contudo, preferiu-se dar prejuízo, causar estragos na economia, na produção e depois liberar a obra:;Na BR-101, sua duplicação em Morro dos Cavalos, ficou parada até bem pouco devido a uma reserva indígena, cujos habitantes já vivem na civilização, em plena era do celular e da Internet;

tren coxilha rica

É perfeitamente conciliável o desenvolvimento com a natureza.

 

No Paraná, Porto de Clevelândia, a obra de uma rodovia atrasou um ano devido ao um ninho de tucano. Poderia ter sido desviado o ninho no projeto que não atingiria os filhotes e daria menos prejuízo e desperdícios como uma paralisação por meses. Além do desperdício de dinheiro, gerou prejuízo ao povo e ao desenvolvimento, sem o uso antes da rodovia e com burocracia e ações administrativas. Faltou bom senso;

Em Santa Catarina, a obra da Serra do Covo Branco, outra maravilha da engenharia e da natureza, estaria parada – pasmem – parece que que devido a uma rã que seria nativa de lá;

Também na Serra Catarinense, mais precisamente em Anita Garibaldi, o enchimento do lago da usina hidrelétrica Barra Grande foi atrasado em quase um ano devido a uma bromélia que acharam no seu leito. Depois descobriu-se que a ocorrência da espécie é em toda a região;

1-Coxilha Rica

Nem 5% desta área vai produzir alimentos para frangos e suínos que a Coreia compra tudo.

Eco chatos querem que ela produza só capim. Um alimento mais indicado para muares…

 

Na região da Coxilha Rica, em Lages, está comprometido o andamento normal da produção de grãos e o uso de terras agricultáveis de primeira, sob alegação de que atinge o campo nativo. Só que esse tipo de campo existe em toda a Serra e não será usado para agricultura, nem a metade da área legal permitida. Há enorme área de preservação permanente intacta.

…………………………..

OPINIÃO DO SITE

Ninguém defende mais a natureza e as belezas das áreas nativas do que nós aqui do Portal. Somos radicalmente contra destruir a natureza, sob qualquer pretexto. Especialmente de paraísos como as Serras Catarinense e Gaúcha, obras divinas.

“Se Deus gastou 7 dias para fazer o mundo, deve ter gasto um só para fazer esse pedaço do Brasil,” disse um sineasta do RS.

Poluir os rios cristalinos, nem pensar! Sempre estamos vigilantes a qualquer tentativa neste sentido.

Só que, ao mesmo tempo, somos contra a falta de bom senso e a agressão, também, à vida humana!

Não existe poluição mais cruel e perversa que a fome e a miséria! E elas vem da falta de produção, de riquezas, de empregos e do desenvolvimento econômico.

É por isso que defendemos bom senso e competência nas ações relacionadas com a questão ambiental.

De forma alguma queremos que se transforme as áreas das fotos acima em em lavouras.

Mas é perfeitamente possível zelar pela natureza, sem comprometer a produção de alimentos, a geração de empregos, de riquezas e do desenvolvimento econômico e social.

ERON PORTAL.