Ponte Hercílio Luz passa nos dois testes – Será reinaugurada ainda este ano.

Ponte Hercílio Luz passa nos dois testes – Será reinaugurada ainda este ano.

ERON Portal, Lages/SC –

O desafio das obras de recuperação da Ponte Hercílio Luz já está praticamente superado. A obra fica concluída no meio do ano. Sua reinauguração vai se dar ainda este ano de 2018;

A saga do governador Raimundo Colombo foi porque somente uma empresa  teria condições de realizar os reparos e de Portugal. Então foi contratada essa empresa após uma espécie de ajuste de conduta do Governo do Estado com a presença de todas as autoridades possíveis.

Momentos mais tensos

No primeiro mês da realização dessa obras o governador Raimundo Colombo andou muito preocupado. A expectativa era pela suspensão da primeira etapa. Depois com a suspensão total.  A maior obra de seu governo estava por passar pelos testes de foto.

Uma empresa portuguesa Empa S.A Serviços de Engenharia — pertencente ao grupo português Teixeira Duarte é a encarregada de fazer a recuperação, revitalização e recolocar a ponte perfeita no cenário como nosso maior cartão postal. O primeiro passo já está sendo dado, pois está sendo suspenso o primeiro trecho em alguns centímetros e agora virá a suspensão de mais umas três vezes isso.

Sonho de 30 anos

Faz mais de 30 anos que falam e recuperar a ponte. Até hoje ninguém conseguiu. Raimundo Colombo tomou providências e deverá escrever seu nome com letras garrafais na História por ter realizado essa façanha.

Ele foi prático, ao reunir todas as autoridades possíveis: TJ, AL, MP, entidades, colegiado, enfim, todo mundo para informar que não dava para salvar a ponte, sem dispensa de licitação. É uma obra difícil, cara e uma operação arriscada que só uma empresa no mundo, hoje, tem condições de realizá-la. Foi assim que ele encontrou a solução para o maior problema do final de sua gestão.

Na questão da dívida dos Estados, Colombo ficou com os louros da vitória na queda de braço com a União. É preciso reconhecer que os méritos do acordo sobre a dívida dos Estados são dele. Foi quem primeiro entrou na Justiça contra o Governo Federal e de pronto já conseguiu uma liminar suspendendo a cobrança das parcelas. O Governo tratou de conversar e buscar uma solução. Saiu um acordo. Santa Catarina virou notícia nacional. Andamos com a bola cheia em toda a Federação.

A coragem de peitar o Governo Central foi um exemplo de ação prática e de não ficar chorando pelos cantos. A propósito, a decisão do governador de ir com seu grupo para o PSD também foi corajosa. Hoje, seu partido tem possibilidade até particparf de uma chapo nacional.

Eficiência e eficácia

É aquele negócio: as ações precisam de praticidade e uma boa dose de pragmatismo para que sejam bem sucedidas. É aquela teoria da eficiência e da eficácia. Peter Drucker, pensador que às vezes rotulam de obtuso e superado, construiu uma teoria que sempre está na moda. Ele assentou quase toda sua obra sobre a gestão em duas palavrinhas mágicas: a eficiência e a eficácia.

Eficiente é aquele sujeito que chaga na hora, é organizado, faz tudo perfeito, certinho, é um exemplo de organização. Porém, quase nunca obtém resultados práticos. Já o sujeito eficaz é aquele que pode nem sempre chegar na hora e não é lá tão organizado. Só que toma decisão e tem iniciativa. Esse sempre obtém resultados práticos.

Gol de Placa

Vamos fazer um paralelo entre o episódio da renegociação das dívidas dos Estados e o futebol. Senão vejamos: Raimundo Colombo sempre foi goleiro no Futebol de Salão. De repente, no bom sentido é claro, deu um baita dum chutaço, lá da sua área, e fez um golaço, um típico “gol de placa”. Não é à toa que ele é dono de um dos maiores currículos de SC e um campeão de votos. Hoje está virando um “craque nacional”.

No futebol há aquele time que só faz gol bonito. Mas, sempre sai derrotado. É que o adversário só faz gol feio, mas, sempre um a mais. Há, também, o time que acerta a trave, dá drible da vaca e chapéu no adversário, quer dizer, mostra volume de jogo, mas nem sempre ganha. É que o adversário quase sempre acerta a rede.

Eu lembro que aqui em Lages a grande aspiração era a Universidade do Planalto. Todo mundo falava que o desenvolvimento só iria decolar quando ela fosse criada. Só que nunca faziam algo de prático. O então prefeito Fernando Coruja pouco falou, mas foi quem tomou providência: contratou a Carta-Consulta. Esse é um documento essencial, o pontapé inicial para a criação de uma Universidade. Quer dizer, Coruja também marcou um “gol de placa”.

Hoje todo mundo fala que precisamos gerar emprego. Mas ninguém fala em preparar as pessoas para trabalhar. Esquecem de que o pessoal qualificado intelectualmente já é disputado no mercado de trabalho. Como disse o ex-deputado Francisco Küster “ninguém se preocupa em trazer trabalho para a maioria que precisa sobreviver para daí se qualificar e buscar um emprego mais sofisticado”.