Maior legado das Olimpíadas – prisões e elefantes brancos

Maior legado das Olimpíadas – prisões e elefantes brancos

O mais esperado como legado das Olimpíadas Rio-2016 era uma brutal febre nas bases dos esportes olímpicos.

Não há como negar que isso vem acontecendo. Mas, paradoxalmente, o maior legado vem sendo seu lado negativo, infelizmente.

Prisões, muitas prisões por compra de votos na escolha da sede e propina durante a construção da estrutura.

A questão da compra de votos dentro do COI – Comitê Olímpico Internacional – foi tão gritante que a gente se lembra de que nem houve concorrente.

Hoje o presidente do COB – Comitê Olímpico Brasileiro – Carlos Arthur Luzmann, está preso, acusado de ser o mentor da trapaça na escolha da sede e devido à corrupção e enriquecimento ilícito.

Alguns braços direitos dele também estão processados. E o ex-governador Sérgio Cabral está na prisão com dezenas de acusações nas costas, muitas relacionadas às Olimpíadas.

Outros legados negativos é claro que são os elefantes brancos que restaram. Uma área de um Campo de Golfe gerou polêmica e não se sabe o que fazer dele; algumas estruturas e certos centros esportivos são deficitários; além de projetos importantes como uma linha de metrô inacabada.