HADDAD SAI DAS URNAS MAIS LEGITIMADO E SALVA A ESQUERDA – Cúpula do PT mais atrapalhou que o ajudou. Mesmo na derrota, ele deve liderar uma esquerda sem o ranço do totalitarismo socialista.

HADDAD SAI DAS URNAS MAIS LEGITIMADO E SALVA A ESQUERDA – Cúpula do PT mais atrapalhou que o ajudou. Mesmo na derrota, ele deve liderar uma esquerda sem o ranço do totalitarismo socialista.

fernando-haddad-pt-comemora-ida-para-o-segundo-o-turno-das-eleicoes-1538960021784_615x300

É PRECISO RECONHECER QUE FERNANDO HADDAD CAIU DE PÉ, MESMO COM TODO O PESO DO DESGASTE DO PT.

Ninguém significaria ameaça a um mito como foi Bolsonaro para a maioria da população brasileira se não tivesse méritos. Nem tanato pelos 45 milhões de votos – porque o outro lado fez mais de 10 milhões a mais de votos – mas pelo seu desempenho e o discurso.

Há que se destacar que o candidato a presidente derrotado iniciou com 4% e com tantas adversidades chegou ao fim com 44%. É algo a ser considerado e creditado também à militância. Com a disputa Haddad foi ungido pelo óleo sagrado das urnas e com isso ganhou mais legitimidade ainda.

O saldo que acrescentará em sua biografia será ter conseguido virar uma alternativa para os eleitores próximos de sua ideologia e a quem era contra o adversário. Então, seu currículo – que já era bom – agora está legitimado pelas urnas, mesmo na derrota.

E o PT virou um partido que tem militância aguerrida, mas uma cúpula desastrada e equivocada que mais atrapalhou que o ajudou. Havia petista que votou no seu candidato, mas, de tão envergonhado, escondia essa decisão, certamente até das pesquisas.

 

O CAPITAL POLÍTICO QUE HADDAD CONSEGUIU NESTA CAMPANHA DEVE DAR ORIGEM A UMA NOVA ESQUERDA SEM O RANÇO DO DO TOTALITARISMO SOCIALISTA.

15set18---fernando-haddad-candidato-do-pt-a-presidencia-faz-campanha-em-vitoria-da-conquista-ba-1537024264352_615x300

Mesmo que a vertente da esquerda agora tenha também o Ciro Gomes com uma posição consolidada, o fato é que ela será o núcleo da oposição ao novo Governo.

 

E o gesto de humildade de Haddad, ao tratar o eleito como presidente ao cumprimentá-lo pela vitória sem deixar transparecer ressentimentos, mostrou grandeza e que as lutas democráticas forjam líderes e que as campanhas eleitorais fazem escola. Isso, mais uma vez, foi o que o mutirão cívico – a eleição – produziu.

Felizmente o lado perdedor jurou fidelidade à Constituição e reafirmou sua opção pela Democracia, o que nos leva a crer que agora o socialismo no Brasil estará livre do vírus do totalitarismo bolivariano ou cubano.

Isso, de certo modo, afasta das futuras campanhas com a ideologia usada pelo PT até aqui, o argumento do perigo do comunismo do atraso do povo, travestido de socialismo por sonhadores interesseiros e sedentos apenas pelo poder absoluto.