DE D JOÃO VI À REPÚBLICA QUE O BRASIL GASTA MAIS DO QUE TEM – Foram governos burocratas e cartoriais que estimularam uma aristocracia pesada.

DE D JOÃO VI À REPÚBLICA QUE O BRASIL GASTA MAIS DO QUE TEM – Foram governos burocratas e cartoriais que estimularam uma aristocracia pesada.

A FALTA DE RESPONSABILIDADE FISCAL SIGNIFICA SOCIALIZAR O PREJUÍZO.

O ministro Paulo Guedes tem razão quando diz que sem a cultura da austeridade a Lei de Responsabilidade Fiscal é inócua.

Nós aqui do Portal também acreditamos que não tem sentido criarmos uma Lei para não ser cumprida. No Brasil se costuma dizer que há leis que não pegam e leis que pegam. Isso não é coisa de país sério.

Há a Lei de Responsabilidade Fiscal que proíbe os administradores gastarem mais do que arrecadam. No entanto, é histórico, por aqui, a gente gastar o que não tem…

O fato é que o poder público do Brasil já nasceu cobrador de impostos, explorador das riquezas naturais e das pessoas via impostos.

Sempre gastou o que é dos outros porque já nasceu devendo.

 

EDITORIAL DO PORTAL.

 

 

BRASIL NASCEU EXTRATIVISTA E ATÉ BEM POUCO O PODER PÚBLICO PARECE UM SAQUEADOR DO CIDADÃO

O Estado Brasileiro veio da Colônia, passando por D João VI e o Império e chegou à República quase sempre com governos burocratas e cartoriais que sempre sugaram a população e a natureza para financiar privilégios.

Sempre houve uma aristocracia pesada, uma falsa burguesia e uma classe dominante concentradora e que até escravizava.

Nos últimos 30 anos quase sempre se gastou mais do que se arrecada. Tanto que durante a Nova República, em alguns períodos convivemos com a hiperinflação. Era como se pudéssemos imprimir papel moeda sem precisar de produção e economia crescentes.

Em 1988, com a nova Constituição, vieram mais direitos do que obrigações. Trouxe a estabilidade do servidor público e o consequente inchamento constante da folha de pagamento. Quem entra no poder coloca seus quadros e  não pode tirar ninguém.

Sem considerar que os governos de esquerda venderam para a sociedade uma falsa prosperidade, quando parecia que o dinheiro nunca iria acabar. Era Copa do Mundo, Olimpíadas, casa, carro e até avião, tudo quase de graça. Era a filosofia do “pão e circo” para ganhar popularidade e angariar seguidores.

Até universidade 0800 criamos. Seria ótimo ter universidade para todos, mas se soubéssemos, antes, de onde viriam os recursos para financiá-la.

Portanto, a irresponsabilidade fiscal é histórica, por aqui.

 

Onde controla assessorias.

Texto: Eron J Silva.