Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Anunciar Empresa
DESAFIO DO NOVO GOVERNO FEDERAL EM BUSCA DA PAZ EM CASA – Anular a foça do aparelhamento anterior feito pelo viés ideológico.

DESAFIO DO NOVO GOVERNO FEDERAL EM BUSCA DA PAZ EM CASA – Anular a foça do aparelhamento anterior feito pelo viés ideológico.

O Meio Ambiente pode vir a ser a bola da vez para as incomodações com as corporações ideológicas ramificadas por
OS PERIGOS POR TRÁS DO QUE COMEMOS – Na aparência da folha de alface pode haver fezes e no miolo da maçã venenos sistêmicos.

OS PERIGOS POR TRÁS DO QUE COMEMOS – Na aparência da folha de alface pode haver fezes e no miolo da maçã venenos sistêmicos.

Será que não estão banhado sua salada com água do rio cheio de cocô? Será que as frutas não tem
O BRASIL É O ESTRATO DA DIVERSIDADE E DAS MINORIAS – Plural em tudo: constituição demográfica, formação politica, econômica e histórica.

O BRASIL É O ESTRATO DA DIVERSIDADE E DAS MINORIAS – Plural em tudo: constituição demográfica, formação politica, econômica e histórica.

Uns governos fizeram o bem; outros o mal e usaram nossos valores originais em favor de seus projetos. Descaracterizaram um
HOJE: CORINTHIANS 1, FLAMENGO, 1 – NO FUTEBOL DOS IGNORANTES ESPORTIVOS SÓ VALE VITÓRIA E TAÇA.

HOJE: CORINTHIANS 1, FLAMENGO, 1 – NO FUTEBOL DOS IGNORANTES ESPORTIVOS SÓ VALE VITÓRIA E TAÇA.

Foi um grade jogo o de hoje na Arena Corinthians. Com esse 1 a 1 os dois continuam rigorosamente empatados
INAUGURADA MODERNA UPA – PREFEITURA REABILITOU UM CONVÊNIO E CONCLUIU UMA OBRA ABANDONADA – Foi inaugurada neste sábado, às 10h, em Lages/SC.

INAUGURADA MODERNA UPA – PREFEITURA REABILITOU UM CONVÊNIO E CONCLUIU UMA OBRA ABANDONADA – Foi inaugurada neste sábado, às 10h, em Lages/SC.

Quando só se fala em milhares de obras paralisadas é bom saber da inauguração de uma UPA de R$ 4 
TEU MAIOR PATRIMÔNIO É TEU “EU”. ELE É QUEM TUDO GRAVITA – Seus itens mais valiosos: capacidade de fazer, integridade e poder de cativar. (Esta é uma postagem na 2ª pessoa).

TEU MAIOR PATRIMÔNIO É TEU “EU”. ELE É QUEM TUDO GRAVITA – Seus itens mais valiosos: capacidade de fazer, integridade e poder de cativar. (Esta é uma postagem na 2ª pessoa).

Os bens materiais são consequência desses diferenciais que são potencializados pelas circunstâncias ou pelas oportunidades da vida. É por aí
A PÁGINA DA FOREVER ÁGUIAS SERRANAS (NÚCLEO LAGES) – Empreendedores em ritmo de muito trabalho. Rede e vendas crescem!

A PÁGINA DA FOREVER ÁGUIAS SERRANAS (NÚCLEO LAGES) – Empreendedores em ritmo de muito trabalho. Rede e vendas crescem!

Uma semana cheia com novas oportunidades, novos empreendedores e cada vez mais aceitação de nossos produtos. Programação cumprida na semana. Maria Helena
SISTEMA FOREVER ÁGUIAS BRASIL – Um mês cheio de resultado, acontecimentos e diversão.

SISTEMA FOREVER ÁGUIAS BRASIL – Um mês cheio de resultado, acontecimentos e diversão.

Confraternização dos empreendedores destaques num final de semana em Termas de Gravatal/SC. Mas tem mais conquistas! ........ Coisa linda de se ver! Top

PEC DA PREVIDÊNCIA COM ESTADOS E MUNICÍPIOS NAS MÃOS DOS GOVERNADORES – Se os governadores fenômenos de votos ainda não fizeram jus ao título, agora podem mostrar alguma força.


previdencia
Esta postagem foi publicada em 26 de junho de 2019 Administração, Destaques 2, Notícias, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

Podem liderar e persuadir as bancadas estaduais para votarem na PEC da Previdência, incluindo estados e municípios.

O desafio, agora, também é conduzir suas bancadas a votarem pela manutenção de estados e municípios junto com a reforma da Previdência Federal. A chance deles será até a semana que vem.

O QUE DEMOS ANTES

GOVERNADORES FENÔMENOS DE VOTOS AINDA NÃO FIZERAM JUS A ESSE TÍTULO.

Agora tem uma chance de mostrar força e alguma liderança: conduzindo as bancadas estaduais a votar na PEC da Previdência para começar a salvar o Brasil com as reformas.

De resto, os campeões de votos ainda não disseram porque vieram. Apenas muitas barbeiragens…

Senão, vajamos:

1-moisés-coletiva

EM SC, APÓS O GOVERNADOR CARLOS MOISÉS TER VACILADO QUANTO AOS DECRETOS QUE AUMENTAM IMPOSTOS NO AGRONEGÓCIO, QUE NA PRÁTICA AUMENTAM PREÇOS E REDUZEM O SUBSÍDIO AO MODELO ECONÔMICO, AGORA SEU GOVERNO PROPÕE REDUÇÃO NO ORÇAMENTO DA UNIVERSIDADE (UDESC).

Como dissemos dias atrás, em SC e RS é uma barbeiragem após a outra. Em MG e RJ nem se fala. Mas agora eles poderão pelo menos conseguir alguns votos para ajudar que a PEC da reforma da Previdência valha também para estados e municípios.

O Governador do Rio Grade do Sul, Eduardo Leite, até que está se esforçando. Pelo menos acampou em Brasília e em São Paulo, numa cruzada, incluindo Ministérios, Palácio do Planalto, Congresso e a Grande Mídia.

OPINIÃO AQUI DO SITE

A VERDADE É QUE PARA GERENCIAR, ESPECIALMENTE ESTADOS QUEBRADOS, NÃO BASTA APENAS SER UM CAMPEÃO DE VOTOS.

Quando o mar está calmo qualquer barco navega. Vamos ver diante das tempestades. Não será qualquer um que dará conta do recado no comando de estados falidos e com estruturas viciadas. É preciso mais do que o discurso fácil e oportuno surfando em ondas para fazer a diferença.

Tanto é verdade que os primeiros cinco meses de 2019, especialmente em Minas e Rio de Janeiro, são para ser esquecidos.

A fábrica de tragédias nessas duas unidades da federação continua a todo vapor.

Mas, só para não apontar o dedo apenas para esses, nos outros dois estados assumidos por fenômenos de votos ainda não aconteceu nada de extraordinário.

No Rio Grande do Sul, as dívidas continuam em alta, a violência é a maior do País, proporcionalmente, e a quebradeira é um fato.

Em Santa Catarina é um desastre atrás do outro. E não duvide se ainda não tiverem tempo o suficiente para acabar com o modelo econômico do Estado, o orgulho dos catarinenses. Ele é assetado sobre os pilares do sistema cooperativo, das agro indústrias, da descentralização universitária e da distribuição demográfica equilibrada.

Só para citar dois vacilos: 1 – parece que ainda não revogaram os decretos danosos ao modelo catarinense, que na prática aumentou a tributação sobre as agro indústrias e sobre o insumos da fruticultura, especialmente da maçã e a uva. Podem inviabilizar a produção dos maiores produtos de exportação do Estado: frango, suínos, frutas e vinhos. 2 –  cortou convênios com hospitais de beneficência e fechou alas dos hospitais públicos.

Agora mais um desastre: o Governo está cortando 10% dos repasses constitucionais à Universidades de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina. Todos esperavam ao contrário, que aumentasse o índice de investimento na Educação e na Saúde. A redução no orçamento da UDESC será mais um golpe no equilíbrio econômico de SC. A descentralização universitária, especialmente na área das Ciências Agrárias, é um dos pilares desse modelo bem sucedido. O nome já diz: Universidade do Desenvolvimento do Estado de SC.

Ainda bem que está propondo a redução do repasse aos demais podres, como a Assembleia Legislativa e o Judiciário. O correto seria reduzir desses dois e repassar direto à Educação e à Saúde.

Deixa só os Estados ávidos por receitas do Centro do País descobrirem isso. Vão oferecer incentivos maiores. Todos sabemos que, hoje, uma planta de um frigorífico, por exemplo, muda-se de um Estado para outro em questão de dias.

ERON PORTAL

……………………..

O QUE DEMOS ANTES

CAMPEÕES DE VOTOS HERDAM ESTADOS ENDIVIDADOS E AGORA ESBARRAM EM SUAS LIMITAÇÕES.

Só nas primeiras tragédias os governadores campeões de votos de Minas Gerais e Rio de Janeiro já enfrenaram desafios extras. Imagina dar a volta no caos financeiro que herdaram. Para piorar ainda mais a já debilitada situação de seus estados devido ao caos financeiro, agora as reformas passam o 1º semestre patinando e a União ainda teve de contingenciar recursos no Orçamento.

É bem verdade que o quadro nos estados também é histórico, agravado pelos últimos governadores. Mas, arrumar a casa através de mágicas foi bandeira que empunharam e por isso foram os fenômenos de votos. Os desafios mal começaram e cabrito bom não berra. Não tem desculpa!

ESTRUTURA PÚBLICA ESTÁ PEDINDO SOCORRO

Basta apenas a gente soprar a cinza da brasa que veremos quanta coisa aconteceu devido ao estado de fadiga a que chegou a estrutura pública em vários estados.

Nos de MG e RJ, centenas de mortes no primeiro, consequência do descaso de governos anteriores com os depósitos de resíduos da mineração. Dezenas de mortes no segundo, fruto do desleixo para com a ocupação do solo urbano, o funcionamento sem muita exigência em alojamento de jovens atletas no Flamengo e por último na guerra urbana que nos deixa perplexos.

Sabiamente, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a Previdência é uma fábrica de privilégios e de injustiças. Parafraseando-o, poderemos dizer que o Brasil virou uma fábrica de tragédias porque os governos federal e estaduais anteriores fizeram vista grossa pensando apenas na arrecadação. Só que foi tudo para o ralo procurando adular simpatizantes ou manter o balcão de negócios no Congresso. Nos estados faziam de conta que administraram.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………..

ANEXO

QUANDO O MAR ESTÁ CALMO QUALQUER BARCO NAVEGA – II

Em Lages/Serra Catarinense, há que se Temos de entregar ao ex-prefeito Toni Duarte todos os méritos que ele adquiriu, ao administrar a cidade em todas as vezes que foi chamado. Principalmente nas duas últimas ocasiões, durante os 10 meses de afastamento do então prefeito Elizeu Mattos e depois na renúncia deste ao cargo.

Ao seu estilo, bem ou mal, o fato foi que ele fez a cidade andar e tudo funcionou. Até algumas obras tiveram continuidade. A festa do Pinhão foi preparada e tivemos um prefeito para estar presente nas atividades oficiais.

Como prefeito em definitivo, ao menos aparentemente, tudo funcionou naturalmente. A cidade esteve limpa. Pode até que muito cisco tenha sido varrido para debaixo do tapete. Isso apenas o tempo irá revelar.

Os 250 anos foram comemorados; foi montado e feito pelo Flavinho e sua equipe o Natal Felicidade; os setores essenciais funcionaram; os salários foram pagos; houve algumas pinturas aqui, ali e acolá; e surgiu um clima alegre com essa espécie de maquiagem na cidade.

Tenham certeza, não é qualquer um que administra uma prefeitura do tamanho da nossa e nas condições em que o Toni a pegou. Pelo menos nas duas últimas ocasiões. É aquela história, quando o mar está calmo, qualquer barco navega. Ele conseguiu fazer a travessia de uma gestão para outra, removendo as pedras do caminho e aparentemente sem muitos traumas.

Um detalhe, o vice-prefeito Toni Arcando Duarte chegou ao poder sem um só voto. Mas deixou a Prefeitura de cabeça erguida e sob alguns aplausos. Isso não foi muito comum na troca de inquilinos temporários do Paço.


1366 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-