Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Anunciar Empresa
NOVA POLÍTICA, NOVAS PRÁTICAS, NOVA CONSCIÊNCIA – Deputado reduz metade dos assessores e economia pode manter escola de até 1.000 alunos.

NOVA POLÍTICA, NOVAS PRÁTICAS, NOVA CONSCIÊNCIA – Deputado reduz metade dos assessores e economia pode manter escola de até 1.000 alunos.

SUA MAIS RECENTE MEDIDA OUSADA: EXIGÊNCIA DE EXAMES TOXICOLÓGICOS NA HORA DA MATRÍCULA DO ACADÊMICO DA UNIVERSIDADE PÚBLICA. O mesmo deputado
QUAL A ORIGEM DO NOSSO SUBDESENVOLVIMENTO, SINÔNIMO DE MISÉRIA E IGNORÂNCIA? Seria porque já nascemos com o espírito derrotista para herdar o Reino dos Céus?

QUAL A ORIGEM DO NOSSO SUBDESENVOLVIMENTO, SINÔNIMO DE MISÉRIA E IGNORÂNCIA? Seria porque já nascemos com o espírito derrotista para herdar o Reino dos Céus?

O FATO É QUE FOI BEM NESSA ESCOLA DE BERÇO QUE FOMOS ESTIMULADOS A CULTUAR A POBREZA E A MISÉRIA.
EDITORIAL: SERVIÇOS AUTÔNOMOS – TÁBUA DE SALVAÇÃO DOS EXCLUÍDOS PELO MERCADO – Emprego fichado (fixado) está em extinção devido aos encargos.

EDITORIAL: SERVIÇOS AUTÔNOMOS – TÁBUA DE SALVAÇÃO DOS EXCLUÍDOS PELO MERCADO – Emprego fichado (fixado) está em extinção devido aos encargos.

QUEM DIRIA! SER VENDEDOR OU AUTÔNOMO DEIXA DE SER FEIO! VIRA MODA E COMEÇA A SALVAR A ECONOMIA, A PÁTRIA
SISTEMA FOREVER ÁGUIAS BRASIL DE CRICIÚMA – Comunicadores e apresentadores dessa fórmula de sucesso e de mudança de vida.

SISTEMA FOREVER ÁGUIAS BRASIL DE CRICIÚMA – Comunicadores e apresentadores dessa fórmula de sucesso e de mudança de vida.

O ESTILO DE ATUAÇÃO, PRESENCIAL E VIRTUAL, DOS PRINCIPAIS GERENTES E APRESENTADORES DE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO E DE PRODUTOS. A Forever é
GOVERNADOR MOISÉS CUMPRE AGENDA NO SUL – Anuncia recursos e inaugura trecho de estrada.

GOVERNADOR MOISÉS CUMPRE AGENDA NO SUL – Anuncia recursos e inaugura trecho de estrada.

NESTA SEXTA, 13, PARTICIPOU DE EVENTO BENEFICENTE DA "Nova Ama", QUANDO ANUNCIOU AJUDA FINANCEIRA. A agenda em Criciúma (sexta) e no
UM LUGAR QUALIFICADO E DE FUTURO PROMISSOR – Criciúma/SC tende a ser uma das melhores cidades para se viver, em 10 anos.

UM LUGAR QUALIFICADO E DE FUTURO PROMISSOR – Criciúma/SC tende a ser uma das melhores cidades para se viver, em 10 anos.

ANDA A PASSO ACELERADO EM TRÊS FRENTES: INFRAESTRUTURA, EDUCAÇÃO E SAÚDE. AGORA DEVE DESCOBRIR NO TURISMO O SEU 4º PILAR. Com
CONHEÇA UM FENÔMENO INTERNACIONAL EM FOLCLORE E ARTES POPULARES – Um espetáculo em coreografia, visual, ritmo, técnica e vigor físico.

CONHEÇA UM FENÔMENO INTERNACIONAL EM FOLCLORE E ARTES POPULARES – Um espetáculo em coreografia, visual, ritmo, técnica e vigor físico.

PELA PRIMEIRA VEZ NO BRASIL, O GRUPO ESTÁ EM CRICIÚMA SE APRESENTANDO NA 31ª FESTA DAS ETNIAS. Veja agora um breve
CHOQUES NAS CULTURAS COLONIAIS – Diferenças entre as colonizações Norte Americanas e as Sul Americanas/Brasil.

CHOQUES NAS CULTURAS COLONIAIS – Diferenças entre as colonizações Norte Americanas e as Sul Americanas/Brasil.

AS LÁ DE CIMA FORAM BASEADAS NO TRABALHO E AS DAQUI DE BAIXO NA FÉ PREGADA POR CATÓLICOS. Ao analisarmos as

PRODUTORES RURAIS ALIVIADOS EM SC – Após o surgimento de um novo celeiro de grãos estar ameaçado, há uma luz no fim do túnel.


1-CoxilhaRica
Esta postagem foi publicada em 4 de fevereiro de 2019 Administração, Notícias, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

IBAMA GARANTE SUSPENSÃO DE PROCESSOS, EMBARGOS E MULTAS NA COXILHA RICA/SERRA CATARINENSE.

tren coxilha rica

Legenda: há até ferrovia passando pelo meio dessa área. Agora está em

estágio final o asfalto de uma rodovia de 29 km para escoar a safara.

…………

A Serra Catarinense é considerada a última fronteira agrícola de SC. A Coxilha Rica/Lages tem mais de 30 mil hectares agricultáveis, bem menos que o índice permitido para lavoras. Já estava na segunda super safra recorde e de crescimento quase que em progressão geométrica.

No apagar das luzes do Governo Federal passado, fiscais do IBAMA deram uma batida e deixaram em pânico os produtores, com multas, embargos e processos. As principais alegações foram de que fazer agricultura lá prejudica o campo nativo, espécies só lá existentes e estressa os animais silvestres.

coxilha rica

Agora, uma determinação e a garantia do presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (IBAMA), Eduardo Fortunato Bim, devem colocar fim ao impasse com os produtores rurais da região da Coxilha Rica e até mesmo do Estado.

ANEXO

Veja mais no conteúdo abaixo, disponibilizado pela Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Lages.

Na tarde desta terça-feira (30 de janeiro) uma comitiva catarinense composta pelo prefeito em exercício Juliano Polese, a deputada federal Carmen Zanotto, o presidente do Instituto de Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), Valdez Rodrigues Venâncio, o procurador da República Nazareno Jorgealém Wolff, o presidente do Sindicato Rural de Lages, Márcio Pamplona e o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) José Severino Pedrozo, estiveram na sede do IBAMA em Brasília. Na reunião participaram também os técnicos do órgão federal.

O presidente do Sindicato Rural, Márcio Pamplona, abriu os trabalhos relatando a importância da Coxilha Rica no desenvolvimento histórico do país. Ele salientou ainda como exemplo sua família que está há sete gerações trabalhando com a pecuária e agricultura no local. “Infelizmente nesta ação de embargos do Ibama os produtores rurais foram tratados como bandidos. São 30 produtores que foram prejudicados por isso”, desabafou o Pamplona.

Já o procurador da República Nazareno Wolff, defendeu a região da Coxilha Rica mostrando aos diretores do IBAMA as dimensões desta importante área de Santa Catarina. “Se continuar essa ação das autoridades ambientais tenho a certeza que inviabilizará outros produtores”, disse.

De acordo com o presidente da Faesc, José Severino Pedrozo, o produtor rural não deseja trabalhar na ilegalidade. “Já pagamos os impostos competentes às áreas produtivas e tenho a certeza que todos respeitam as reservas legais e áreas de preservação permanente”, salientou José Severino.

A reivindicação da comitiva catarinense se resumiu na suspensão dos processos de embargos e multas para os 30 produtores da Coxilha Rica, exigindo a autorização de supressão de campo. “Ninguém pode pagar por algo que não existe enquanto se buscam as soluções jurídicas para este caso”, comentou o procurador da República Nazareno Wolff.

A proposta é que a partir de agora se discipline o uso das áreas agrícolas de Santa Catarina. “Entre as alternativas para este impasse foi sugerido que o IMA assuma o licenciamento destas áreas”, ressaltou o prefeito em exercício Juliano Polese.

No dia 28 de novembro do ano passado, em uma audiência na Câmara dos Dirigentes Lojistas, em Lages, que reuniu entidades e lideranças políticas, o prefeito Antonio Ceron, que até esta quinta-feira (31) está de férias do cargo, já havia defendido o levantamento imediato do embargo imposto pela fiscalização do IBAMA. A defesa de Ceron  se baseou no Código Florestal de Santa Catarina que está em vigência e é um texto que serve de exemplo de leis ambientais.

Uma defesa coletiva dos produtores foi protocolada diretamente no IBAMA. O presidente o Instituto, Eduardo Fortunato Bim, sugeriu ainda que seja enviado um pedido geral de suspensão dos processos e pedidos individuais, ou seja, de cada produtor. “Já me comprometi com estas lideranças que irei suspender os embargos e o andamento dos processos das multas destes casos”, afirmou.

A comitiva catarinense esteve também reforçando o posicionamento na sede do Ministério do Meio Ambiente. Lá, eles foram recebidos pelo chefe de gabinete do Ministro Ricardo Salles, Antônio Roque Pedreira Júnior.

Entenda o caso

No ano passado fiscais do IBAMA atuaram na região da Coxilha Rica e notificaram com embargos e multas 30 produtores rurais do local, na operação batizada da “Campereando”. Nas justificativas das autoridades ambientais, a proteção do bioma Campos Sulinos, sendo que as áreas fiscalizadas estariam na condição de “vegetação secundária em estado inicial de degeneração” e demais descumprimentos da legislação ambiental.


156 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-