O JORNALISTA É UM TROPEIRO DA ERA DIGITAL – O original transportava cargas e agregava costumes. O comunicador transporta informação.

O JORNALISTA É UM TROPEIRO DA ERA DIGITAL – O original transportava cargas e agregava costumes. O comunicador transporta informação.

O PRIMEIRO USAVA O LOMBO DE MULAS E O ATUAL OS IMPULSOS ELETRÔNICOS –

EDITORIAL –

Um pedaço da história da formação econômica do Brasil: o tropeiro.

Todo jornalista é um tropeiro da era digital porque transporta as crônicas do cotidiano das comunidades, das pessoas, a comunicação e o conhecimento.
Geralmente ele se orgulha da sua origem, da sua lida e do seu interior porque ele prioriza o bem, através da profissão.

Os tropeiros originais do passado, especialmente no Sul do Brasil, faziam o transporte de sal, açúcar e tecidos pra lá, de onde traziam boiadas, tropas de mulas, charque e couro. Isso também não deixa de ser uma espécie de comunicação e que deixou marcas.

O comunicador transporta a informação, a história do cotidiano das pessoas e das comunidades, mas, por vias virtuais, eletrônicas.

As ferramentas que fizeram sua história são apetrechos que guarda com zelo, como seu maior troféu: a primeira  caneta, a primeira máquina datilográfica, a primeira máquina fotográfica, o primeiro micro, as primeiras fotos premiadas, os primeiros troféus, que às vezes são muitos, o rádio a pilha que ouvia e garimpava notícias, o primeiro gravador…enfim, tudo aquilo que lhe representa muito na profissão.
A música “Saco de Ouro”, aqui interpretada por Bruna Viola, deve emocionar qualquer jornalista.

Ouça: