Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Anunciar Empresa
AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE IMPORTÂNCIA DA ARAUCÁRIA – Uma fonte de renda, emprego e desenvolvimento social sem abdicar da sustentabilidade.

AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE IMPORTÂNCIA DA ARAUCÁRIA – Uma fonte de renda, emprego e desenvolvimento social sem abdicar da sustentabilidade.

O tema foi oportuno devido à importância do pinhão (semente da araucária ) como elemento essencial da maior festa cultural
HÁ UNIVERSIDADE QUE TEM ORÇAMENTO QUASE IGUAL AO DE UMA CAPITAL – Palmas para o jornalista que revelou isto.

HÁ UNIVERSIDADE QUE TEM ORÇAMENTO QUASE IGUAL AO DE UMA CAPITAL – Palmas para o jornalista que revelou isto.

Florianópolis tem 480 mil habitantes e um orçamento de R$ 2,1 bilhões; a UFSC tem 70 mil pessoas envolvidas e
SABORES DA SERRA CATARINENSE/SC – O Entrevero: prato simples, mas com sabor sofisticado.

SABORES DA SERRA CATARINENSE/SC – O Entrevero: prato simples, mas com sabor sofisticado.

No "esquenta" das reportagens que o Portal prepara sobre a Festa do Pinhão que vem ai, vamos ao prato que
FRIO PODE TRAZER NEVE NO FIM DE SEMANA EM SC – Fenômeno deve até fechar estradas e há risco de mais chuvas e tornado.

FRIO PODE TRAZER NEVE NO FIM DE SEMANA EM SC – Fenômeno deve até fechar estradas e há risco de mais chuvas e tornado.

Modelos de números meteorológicos preveem Neve Joaquina ainda este mês e ocorrência de fortes geadas. Desta vez não será a Neve
O BRASIL É UMA TAÇA COM 2/3 CHEIOS; MAS SÓ FALAMOS DO 1/3 VAZIO – Até parece que não acontece nada que seja sucesso!

O BRASIL É UMA TAÇA COM 2/3 CHEIOS; MAS SÓ FALAMOS DO 1/3 VAZIO – Até parece que não acontece nada que seja sucesso!

Não dá mais nem para ver notícia porque só se potencializa o que deu errado. As pessoas já saem de
SEM BASE PARLAMENTAR GOVERNO SÓ VAI ENXUGAR GELO – O Sistema é o Presidencialismo que na verdade é um Parlamentarismo disfarçado.

SEM BASE PARLAMENTAR GOVERNO SÓ VAI ENXUGAR GELO – O Sistema é o Presidencialismo que na verdade é um Parlamentarismo disfarçado.

Para fazer passar reformas o governo precisa de votos. Quem grita é a oposição, o Governo vota. O Brasil pensa que inventou
A PÁGINA DA FOREVER ÁGUIAS SERRANAS (NÚCLEO LAGES) – Empreendedores em fase de treinamento e qualificação profissional.

A PÁGINA DA FOREVER ÁGUIAS SERRANAS (NÚCLEO LAGES) – Empreendedores em fase de treinamento e qualificação profissional.

Já estamos na etapa dos treinamentos. Nesta semana formamos a primeira turma profissional em limpeza de pele. Nesta semana o Sistema
REFLEXÃO HISTÓRICA SOBRE O PODER CENTRAL NO BRASIL – Seus altos e baixos de Vargas aos dias atuais.

REFLEXÃO HISTÓRICA SOBRE O PODER CENTRAL NO BRASIL – Seus altos e baixos de Vargas aos dias atuais.

De Vargas até os dias de hoje, uns grupos promoveram saltos no Brasil e outros desperdiçaram os avanços e saíram

EX-CONSTITUINTE APONTA CAUSAS DA CORRUÇÃO E DAS CRISES – Francisco Küster atribui a Governos de coalizão do passado o balcão de negócios que virou o Congresso.


KISTER (2)
Esta postagem foi publicada em 7 de fevereiro de 2019 Administração, Destaques 5, Notícias, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

O EX-PARLAMENTAR HOJE TRABALHA NA CONSTRUÇÃO CIVIL E PEGA NA PICARETA. PARA ELE A CORRUPÇÃO E O DÉFICIT PÚBLICO ESPANTAM INVESTIDORES. EM 2016 ELE JÁ PREVIU TUDO O QUE ACONTECEU ATÉ HOJE.

Esse ex-Deputado tem moral para sobre causas da corrupção e das crises moral, ética, política e econômica. Hoje ele, mesmo sendo ex-parlamentar constituinte, trabalha com dignidade na Construção Civil.

Para ele, “o excesso de arrecadação e os Governos de Coalizão facilitam a propina e a compra de parlamentares para formar poderosas bases no Congresso. Com isso, espantam investidores, descentralizaram a corrupção que se ramificou país afora e trouxeram a recessão”.

APANHAVA DA DITADURA

O ex-deputado – que fez fama com os enfrentamentos à Ditadura – atribui escândalos como o da Petrobrás, à formação da Base Parlamentar dos Governos de Coalizão, num Congresso com bancadas de 35 partidos, e ao fabuloso montante de dinheiro arrecadado pelos cofres públicos.

EXCESSO DE PARTIDOS

Compor uma base parlamentar com a maioria entre 35 partidos não daria certo nem na China, onde os corruptos são tratados com rigor. Lá fuzilam o corrupto e mandam a nota da bala para a família pagar, contou o deputado Ivan Ranzolin que lá esteve em estudos.

Küster tem certeza que num passado recente o Palácio teve de comprar deputados individualmente, no varejo, e daí vinha custando cada vez mais caro. Segundo ele, essa endemia, uma espécie de epidemia de corrupção, vem ao longo da História. Contudo, agravou-se nas últimas três décadas.

CRESCEU NO GOVERNO FHC

Essa construção de Bases de Governo com muitos partidos foi inaugurada pelo Governo FHC. Inclusive foi quem criou o instituto da emenda parlamentar, por ocasião da aprovação da reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Essa prática de emendas em troca de apoio parlamentar não só se perpetuou nos Governos do PT, como a emenda parlamentar passou a ser impositiva.

Como o País arrecadava muito – explica ex-Constituinte – possibilitava roubar de rodo. Os corruptos, encorajados pela impunidade e a indiferença do povo, deitaram e rolaram nos últimos anos. Mas, de repente, “deram com os burros n’água”, devido às ações da PF, do MPF e da Justiça Federal. Logo em seguida a essa entrevista surgiu a Lava Jato.

A CARREIRA BRILHANTE DE FRANCISCO KÜSTER

Francisco Küster é dono de um dos maiores currículos da Política Catarinense. Elegeu-se vereador em 1969 pelo MDB, quando era funcionário do então 1º Batalhão Rodoviário de Lages. Em 1974, quando o MDB elegeu Deputado Federal até com pouco mais de 2 mil votos, Küster foi eleito Deputado Estadual, reeleito em 78 e 82.

Em 1986, elegeu-se Deputado Federal Constituinte. Não se reelegeu por falta de legenda. Após trabalhar certo período na Construção Civil, em 92, elegeu-se o vereador mais votado de Florianópolis. Em 1994 retornou à AL, após uma eleição muito disputada, e chegou à Presidência da Mesa Diretora.

Entre os cargos executivos que exerceu, destaque para presidência da CELESC – Centrais Elétricas de SC – em 99, e Secretário Regional no primeiro Governo Luiz Henrique, em Lages.

bi2Diz que em 2006 ensarilhou as armas e tirou o pelotão de campo. Aos 66 anos, voltou para a Construção Civil onde está até hoje. Ao longo da carreira política disputou a Prefeitura de Lages por duas vezes, uma numa sublegenda na eleição de Dirceu Carneiro e outra numa das eleições de Raimundo Colombo.

CURIOSIDADES DE KÜSTER

O ex-Deputado Constituinte, cujo nome completo é Francisco de Assis Küster, apesar de de sempre ter tido uma vida franciscana, por outro lado tem uma história de vida rica em desafios e curiosidades. Aos 11 aos foi trabalhar como boy no 1º Batalhão Rodoviário. O expediente era das 7 às 8hs; escola das 8 às 12h; e à tarde trabalhava das 13 às 18h. Ainda era aprendiz por algumas horas semanais.

De 1961 a 70 foi funcionário do Batalhão como carpinteiro, pedreiro e gerente do Armazém da Cooperativa dos Funcionários da corporação. Em 1969, elegeu-se vereador, mesmo sendo funcionário do Batalhão em tempos de Ditadura.

Correligionários contam que fez a campanha para vereador às escondidas, junto à frota da corporação. Recusou uma proposta alvissareira para ir com o Batalhão para Santarém-PA, preferindo ficar em Lages cumprindo o mandato de vereador (e sem salário). Foi a largada para uma carreira política fulminante e vitoriosa.

Disse que ao longo de sua vida parlamentar nunca correu sem ver o pelo do bicho, principalmente nas confrontações com a Ditadura. Em toda greve lá estava o Küster, em defesa de professores, caminhoneiros e trabalhadores no transporte coletivo.

Presidiu a Assembleia Legislativa num dos períodos mais conturbado, inclusive com a proposta de Impeachment do então governador Paulo Afonso, no episódio das Letras do Tesouro do Estado para pagar precatórios. De lá para cá, foi Secretário de Estado, presidente da CELESC, a Concessionária de Energia de SC e hoje pega até no cabo da pá e da picareta junto com os pedreiros na Construção Civil.

 

 


356 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-