DIA DAS MÃES – A maior data depois do dia de Jesus: o Natal

DIA DAS MÃES – A maior data depois do dia de Jesus: o Natal

Hoje é o dia da mulher mais importante de nossa vida; tão importante que até Jesus Cristo precisou de Mãe.

Este é um grande dia. Tão especial que não deveria ter somente 24 horas. Vamos comemorar o dia da nossa mãe, aquela que é capaz de entregar a única colher de alimento que restar a um filho, se isto for preciso para aliviar a fome e lhe manter vivo.

Esse é o verdadeiro amor de que o mundo está precisando. Amor de quem é capaz de colocar em risco a própria vida para salvar quem ama.

Se quisermos nos fazer singulares frente a ela, deveremos transformar nosso coração no único asilo a ser oferecido enquanto ela viver.

Para falar que ela é eterna nós sempre encontramos palavras e argumentos. Mas, geralmente isso é só da boca pra fora, na expressão verbal! O papel, os impulsos eletrônicos da TV e as vias expressas das redes sociais aceitam tudo.

Precisamos sair do discurso e ir à prática. Pois existem quilômetros de distância entre nossa retórica e as nossas ações.

Nossa mãe é tão especial que ela dá muito pouca importância às coisas materiais que lhe entregamos. Muitas vezes apenas por compromisso, ou por imposição social. O que mais lhe importa são os gestos, nosso carinho, enfim, um filho mais presente.

Na impossibilidade de não poder estar com ela neste domingo, que abracemos o primeiro semelhante que encontrarmos. Isto com certeza ela faria em nossa chegada. Se a vida sempre nos mantiver longe dela esta seria a melhor oração de todos os dias.