Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Nenhum banner para exibir

Anunciar Empresa
PELO 5º DIA CONSECUTIVO BRASIL REGISTRA MAIS DE MIL ÓBITOS POR COVID-19 – Mais de 650 mil casos antes do pico a ser registrado nesta quinzena.

PELO 5º DIA CONSECUTIVO BRASIL REGISTRA MAIS DE MIL ÓBITOS POR COVID-19 – Mais de 650 mil casos antes do pico a ser registrado nesta quinzena.

ULTRAPASSAMOS A ITÁLIA E NOS TORNAMOS O 3º PAÍS EM VITIMAS DA PANDEMIA. VEJA A SEGUIR O BALANÇO DA SEMANA.   CIENTISTAS
CIDADES COMEÇAM A REATIVAR O TRANSPORTE COLETIVO URBANO EM SC – Ônibus intermunicipal ainda sem previsão de retorno.

CIDADES COMEÇAM A REATIVAR O TRANSPORTE COLETIVO URBANO EM SC – Ônibus intermunicipal ainda sem previsão de retorno.

PREFEITOS DEFINEM CONDIÇÕES PARA OPERAÇÕES E OS CUIDADOS PARA EMPRESAS RETOMAREM OS SERVIÇOS COM MENOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO. Principais cuidados: 50% da
INVERNO CHEGA PESADO NO SUL E NO CENTRO DO PAÍS – Mínima foi em Urupema, na Serra Catarinense. Geou também na Gaúcha.

INVERNO CHEGA PESADO NO SUL E NO CENTRO DO PAÍS – Mínima foi em Urupema, na Serra Catarinense. Geou também na Gaúcha.

SOL E CÉU CLAROS, MAS COM MUITO VENTO, APÓS A GEADA, TROUXERAM UMA SENSAÇÃO ATÉRMICA NEGATIVA EM 10 MUNICÍPIOS DAS
REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A DO CONHECIMENTO: Atropelaram a Educação e a resistência a novas culturas

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E A DO CONHECIMENTO: Atropelaram a Educação e a resistência a novas culturas

HÁ 20 ANOS QUE A NOSSA EDUCAÇÃO ESTÁ ENSINANDO CONTEÚDOS E FORMANDO GENTE PARA TAREFAS DO SÉCULO PASSADO. A ORGANIZAÇÃO E
CAMINHO NATURAL DA  EDUCAÇÃO PODERÁ SER A PRIVATIZAÇÃO – Aquisição de vagas pode aliviar o peso crescente na estrutura e nas contas públicas.

CAMINHO NATURAL DA EDUCAÇÃO PODERÁ SER A PRIVATIZAÇÃO – Aquisição de vagas pode aliviar o peso crescente na estrutura e nas contas públicas.

NAS MÃOS DE PROFISSIONAIS O SETOR SE TORNARIA MAIS PRODUTIVO E SEM INTERFERÊNCIA IDEOLÓGICA, PARTIDÁRIA E DE CONTEÚDOS EXÓTICOS. O Ensino
ESTIAGEM PODE COMPROMETER ABASTECIMENTO NO SUL DE SC – Mais 15 dias sem chuva forte justificará decreto de emergência.

ESTIAGEM PODE COMPROMETER ABASTECIMENTO NO SUL DE SC – Mais 15 dias sem chuva forte justificará decreto de emergência.

BARRAGEM QUE ABASTECE CRICIÚMA E REGIÃO ESTÁ COM 10% DE SUA CAPACIDADE DE ESTOCAGEM. CIDADES, INDÚSTRIAS E AGRICULTURA PODEM TER
CAMPO NÃO PARA E JÁ COLHEU 90% DA SUPERSAFRA DE GRÃOS – Área já está quase toda coberta de milho e é preparado solo para nova safra.

CAMPO NÃO PARA E JÁ COLHEU 90% DA SUPERSAFRA DE GRÃOS – Área já está quase toda coberta de milho e é preparado solo para nova safra.

DADOS IMPORTANTES REVELAM QUE DEPOIS DA PANDEMIA PROVAVELMENTE O MUNDO PRECISARÁ MUITO DE ALIMENTOS E O BRASILEIRO PRECISARÁ COMER E RECUPERAR SUA
FIQUE EM CASA, EVITE IR BUSCAR O VÍRUS E CONTAMINAR QUEM VOCÊ AMA – Parar a Terra, no bom sentido, é preciso!

FIQUE EM CASA, EVITE IR BUSCAR O VÍRUS E CONTAMINAR QUEM VOCÊ AMA – Parar a Terra, no bom sentido, é preciso!

RAUL SEIXAS E SÍLVIO BRITO JÁ PREVIAM ISSO HÁ MAIS DE 30 ANOS: O DIA EM QUE A TERRA PAROU

“DE QUE ADIANTA A ARROGÂNCIA NA JUVENTUDE SE AMANHÃ SEREMOS TODOS VELHOS!?”/BUDA – Nunca foi tão importante que os de meia idade cuidem dos mais velhos!


buda-introducao-fb
Esta postagem foi publicada em 7 de abril de 2020 Artigos, Destaques 2, Notícias em Destaques Slide Topo, Slide Esportes.

BUDA, AINDA JOVEM, TEVE DIFICULDADE PARA ENTENDER QUE TODOS SEREMOS VELHOS UM DIA.

Quando ainda era o Príncipe Sidarta, ficou perplexo a primeira vez em que viu um velho.

download (32)

Sidarta Gautama – o Buda – numa das poucas vezes que conseguiu sair dos aposentos e dos estudos de preparação para rei, para um passeio pela cidade, viu um velho pela primeira vez.

O condutor da carruagem (cocheiro) teve muita dificuldade para explicar que uma pessoa frágil, cansada, cabisbaixa e triste, ali na frente, era um velho. “Essa é a situação física a que todos chegaremos um dia”, explicou.

Diante da cena, Sidarta, rispidamente, com raiva e decepção, ordenou que retornassem ao palácio:

– “Vamos embora, de que me adianta a arrogância da juventude, se amanhã serei um desses velhos! Vou para meus aposentos, debruçar-me em meus estudes e ver se encontro alguma fórmula para que, ao chegar ao fim da vida, pelo menos os velhos tenham alegria de viver e de ser um poço de sabedoria”, disse ele.

HOJE EM DIA…

Essa história do Buda serve muito bem para lembrar a você que é de meia idade de que é preciso cuidar dos mais velhos.

Nesta pandemia, os mais jovens estão fora do grupo de risco.

Mas na próxima pode ser que não!…

Eron Portal.

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

ANEXO

 

OPINIÃO

ANTES E HOJE A VISÃO DOS NOVOS É QUASE A MESMA

Naquele tempo e hoje os jovens geralmente veem os velhos como um estorvo, um fardo, uma pilha orgulho, um traste, um caduco, impertinente e implicante… Que só quer chamar atenção. E não é preciso nem lembrar que a juventude trata muito melhor um cão do que um velho. Quiçá de uma criança abandonada!

O velho é bananeira que já deu cacho. Só serve para incomodar e se queixar de dores. Ao passo que o cão serve de parceiro para postar fotos com a gente nas redes sociais. Serve de motivo para desfilar na passarela do cotidiano, enfim, serve para a gente se mostrar.

Confesso que fiquei chocado outro dia ao assistir em rede nacional a um influente apresentador de TV dizer que gosta tanto dos seres humanos quanto dos animais. Gosto muito da Brenda, minha cachorrinha de estimação. Ela come até bife e recebe muito carinho. Agora eu gosto mais é de gente.

Texto: Eron J Silva.

 


CIDADES DAS FARMÁCIAS E DAS IGREJAS

Atenta para este artigo.

Concordamos que é melhor uma farmácia ou uma igreja em cada esquina que um bar e uma casa de certas atividades suspeitas.

Mas,  já não sabemos mais onde vamos parar com tanta farmácia em nossas cidades, além de outros pontos de comércio alternativo e de bugigangas.

O crescimento dessas atividades é indicador de pouca renda que estimula o pensamento relacionado ao pequeno.  Tanto que por aqui até as expressões populares mais usadas são: bem certinho, um minutinho, meia horinha, enfim, tudo dizeres induzindo e enganando, tudo pequeno.

As farmácias devem estar ocupando espaço porque há clientela e até porque os programas de medicamentos gratuitos do Governo são também através das farmácias populares isso é positivo.

Dá a impressão que na cultura do povo há o medo das doenças, medo de morrer e a questão do clima em certos pontos que estimula a automedicação como prevenção contra males decorrentes do clima.

~~~~~~~~~~

ESTÁ QUASE TUDO POR FAZER NO BRASIL

Sempre temos dito que em nosso País, na maioria dos estados, está tudo por fazer. Há gente, potencial de reservas, espaço à vontade e belezas naturais. O que falta é produzir capital humano de qualidade.

O problema é que sempre esbarramos em nossas limitações, isto é, na falta de uma escola ágil, na falta de qualificação profissional para os novos tempos, na carência de lideranças bem intencionadas e na mediocridade. É por isso que aqui é uma das últimas fronteirar do desenvolvimento do Planta.

Aqui impera o culto à miséria (pessoas se contentam com o mínimo), do improviso e é onde há um ambiente apropriado para a especulação, informalidade e picaretagem.

Devemos, urgentemente, reverter esse quadro e “queimar etapas”, correndo atrás do tempo perdido. Procurar a competência, apoiar as novas gerações e segurar as cabeças privilegiadas que vieram para nossas universidades.

Enfim, precisamos criar uma nova cultura voltada para o trabalho sério e sustentável, o empreendedorismo positivo e desenvolver uma agenda de promoção profissional: programas de profissionalização. As prefeituras é que devem assumir essa responsabilidade. Elas estão onde o cidadã nasce e mora.

NADA DE MEGALOMANIA

Este ano haverá eleições. Mas, para um prefeito talvez nem valha a pena já no começo de seu mandato sair à cata de grandes investimentos como uma montadora de automóveis ou indústrias de ponta. Isso demora mais de cinco anos para dar emprego e custa muito para o País, o Estado e o Município. Precisamos é de empregos já para quem busca o pão de cada dia para a família sobreviver.


O PÉSSIMO EXEMPLO DO MEIO EXPEDIENTE E O PONTO FACULTATIVO NO PODER PÚBLICO

O perigo disso é a população concluir que o poder público é dispensável.

Todo encerramento de exercício ou de mandato é a mesma história: as prefeituras e os estados reduzem as atividades, encostam máquinas, servidores cruzam os braços e até algumas administrações fecham e dão férias coletivas. Justificativa: reduzir gastos e fechar as contas. Deveriam ter feito direito o ano todo.

Há o caso de prefeituras, por exemplo, que adotam meio expediente para reduzir gastos. A propósito, alguns Governos de Estados já fazem isso muito tempo. Se tudo funciona até com a estrutura parada, então alguém pode perguntar: por que existe o poder púbico?

O grande perigo, então, é a população concluir que o poder público é dispensável.

É claro que não é bem assim. A anarquia ainda não existiu na História e hoje não funciona em nenhum lugar do Planeta. É preciso de fé pública, do uma estrutura de poder político, do poder de polícia do Estado e da organização mínima da coisa pública.


Editorial

Ódio e fanatismo ferem inocentes e a História

A gente se lembra que o terror já feriu de morte até o orgulho da França, pois, as comemorações da Revolução Francesa viraram banho de sangue.

Entre a série de atentados mais recentes na Europa, o que mais nos chamou atenção foi aquele durante as comemorações de 14 de julho, a mais tradicional data da França. Depois foi a degola de um padre, dentro de uma igreja.

O Terror, sem uma lógica palpável, fere de morte os inocentes, o orgulho e o que há de mais caro nos povos: a dignidade.

Sem mais, sem menos, malucos, fanáticos ou bestas, matam inocentes e semeiam o ódio e a intolerância.

Exemplo disso foi o que nos referimos na França, quando se comemorava a queda da Bastilha, símbolo da autoridade antes da Revolução, um duro golpe do terror vitimou dezenas de pessoas inocentes. É que o lema Liberdade, Igualdade e Fraternidade é algo odiado pelo Estado Islâmico.

A Bastilha era o local oficial para execução de culpados e até de inocentes com a Guilhotina. Sua tomada pelo povo revolucionário marcou o fim da tirania das monarquias de então.

Paradoxalmente, o terror matou mais de 80 inocentes em Nice/França, no dia em que se comemorava um fato que marcou o fim da tirania e do sofrimento de inocentes.


UM PATERNALISMO QUE É ESTÍMULO À VADIAGEM

É bom alertar que os programas sociais tipo Bolsa Família já esgotaram sua capacidade. O Governo Federal não tem mais capacidade (já não tinha) para financiar a renda mínima. Duvido que algum governante, daqui para frente, vá usar a CEF, o BB e o BNDES para praticar pedaladas fiscais.

Quem tiver cadastro em programas de renda mínima (tipo Bolsa Família) tem chance de continuar recebendo. Porém, o Governo Federal não poderá mais continuar fazendo rombos nas contas para bancar despesas sem ter fonte dos recursos.

Como não deverá aumentar impostos, os programas sociais viraram um problema a mais. Até porque o Congresso já aprovou o limite de gastos e o Executivo terá de apertar ainda mais o cinto. Não poderá mais continuar bancando programas que na verdade são paternalistas, eleitoreiros e até certo ponto um estímulo à vadiagem.


Editorial

Precisamos gerar empregos a quem não tem formação para atividades de inovação e precisa sobreviver. Hoje os empregos gerados na base tecnológica geralmente são disputados pelos mais preparados e que já estão empregados ou para gente de fora.

O próximo prefeito precisa se preocupar com treinamento, apoiar os pequenos negócios que absolvem os trabalhadores populares e as empresas já existentes que não conseguem competir com as modernas que chegam e empregam pouca massa de mão de obra. Depois é que deve procurar os grandes investimentos.

A Prefeitura deve assumir a paternidade de quem precisa de renda para sobreviver. Deve desenvolver programas de treinamento, apoiar os pequenos negócios e estimular atividades de fundo de quintal que amanhã serão novos empreendimentos. O BQT – Bairros Que Trabalham – foi um belo exemplo de sucesso na geração de novas empresas.


Terror: Uma filosofia sem lógica

Não há lógica na filosofia do Estado Islâmico e nas ações do Terror em geral. O Estado Islâmico, por exemplo, ao mesmo tempo em que defende o califado, a pobreza e o isolamento dentro da civilização moderna, usa a modernidade como as redes sociais e tecnologia explosiva de ponta em suas ações terroristas.

Seus líderes vivem em locais nobres de países ricos e tem acesso ao que há de mais avançado em recursos da civilização moderna. Quer dizer, vamos recrutar “inocentes úteis” para nos servir de serviçais em nosso projeto de poder.


517 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-