Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | EntrarRSS Feed  | 

Facebook Twitter email

Anunciar Empresa
ACELERADAS OBRAS DO MERCADO PÚBLICO DE LAGES/SC – Espaço deve começar a funcionar em agosto.

ACELERADAS OBRAS DO MERCADO PÚBLICO DE LAGES/SC – Espaço deve começar a funcionar em agosto.

É MAIS UM ELEMENTO ARQUITETÔNICO HISTÓRICO A AGREGAR VALOR AO TURISMO DA SERRA. SERÁ UMA ESPÉCIE DE SHOPPING TÍPICO. Após a
OS CAUSOS DO ERON PORTAL – O Meteorologista e o Burro; o Engenheiro e o burro – HISTÓRIAS TÃO INCRÍVEIS QUE ATÉ PARECEM MENTIRAS.

OS CAUSOS DO ERON PORTAL – O Meteorologista e o Burro; o Engenheiro e o burro – HISTÓRIAS TÃO INCRÍVEIS QUE ATÉ PARECEM MENTIRAS.

HISTÓRIAS QUE FARÃO VOCÊ DAR GAITADAS DE TANTO RIR: O METEOROLOGISTA E O BOI E DE BOTAS, O BOI DE
EL`DIVINO HAMBURGUERIA – Está chegando o fim de semana, a sugestão é conviver lá com a família e os amigos.

EL`DIVINO HAMBURGUERIA – Está chegando o fim de semana, a sugestão é conviver lá com a família e os amigos.

HÁ CADA MÊS HÁ UMA NOVIDADE PARA A GALERA CURTIR A FOLGA DA SEMANA. ............ Que tal saborear um Xisão que vale
DEFINIDOS PONTOS CHAVES DA REFORMARA DA PREVIDÊNCIA – Aqui, nossas reflexões sobre a reforma que está indo ao Congresso.

DEFINIDOS PONTOS CHAVES DA REFORMARA DA PREVIDÊNCIA – Aqui, nossas reflexões sobre a reforma que está indo ao Congresso.

SAIBA QUAIS AS NOVAS IDADES MÍNIMAS E QUANDO CHEGA AO LEGISLATIVO O TEXTO DESSA REFORMA. Ministro Paulo Guedes convenceu o presidente Em
ÚLTIMOS GOVERNOS QUASE QUEBRARAM O BRASIL E ESTABELECERAM A DESORDEM – País virou uma fábrica de tragédias, mais por descumprimento de normas que por catástrofes ou acidentes.

ÚLTIMOS GOVERNOS QUASE QUEBRARAM O BRASIL E ESTABELECERAM A DESORDEM – País virou uma fábrica de tragédias, mais por descumprimento de normas que por catástrofes ou acidentes.

VEJA QUE EM TODAS AS ÚLTIMAS TRAGÉDIAS LÁ ESTAVA A FALTA DE CUMPRIMENTO DA LEI E A DE  FISCALIZAÇÃO. Opinião do
MAIS UM PASSO NA PREPARAÇÃO DO MAIOR EVENTO NACIONAL DA FRUTICULTURA – DIVULGADO O PRÉ-FLYER DA XXI FESTA NACIONAL DA MAÇÃ.

MAIS UM PASSO NA PREPARAÇÃO DO MAIOR EVENTO NACIONAL DA FRUTICULTURA – DIVULGADO O PRÉ-FLYER DA XXI FESTA NACIONAL DA MAÇÃ.

EVENTO SERÁ EM SÃO JOAQUIM/SC, DE 2 A 5 DE MAIO E COM INOVAÇÕES E RESGATE DE SUA HISTÓRIA. Após o
A MÍSTICA DO NOME DAS CIDADES COMO FATOR ECONÔMICO – Produtos turísticos e serviços da Indústria da Criatividade serão vanguarda para o sonho de consumo do visitante.

A MÍSTICA DO NOME DAS CIDADES COMO FATOR ECONÔMICO – Produtos turísticos e serviços da Indústria da Criatividade serão vanguarda para o sonho de consumo do visitante.

LUGARES PRECISARÃO DE ATRATIVOS, A COMEÇAR PELO NOME PARA ENCANTAR E ATRAIR PESSOAS. Bem logo as pessoas empregadas trabalharão menos tempo,
ÍNDIO NÃO PEDE AJUDA NEM ESMOLA, PRODUZ ARTESANATO – Lages/SC é ponto estratégico dos índios das reservas do Sul do Brasil.

ÍNDIO NÃO PEDE AJUDA NEM ESMOLA, PRODUZ ARTESANATO – Lages/SC é ponto estratégico dos índios das reservas do Sul do Brasil.

ELES PRODUZEM ARTESANATO, ESPECIALMENTE DE TAQUARA E CIPÓ E DE LAGES VENDEM EM TODA A SERRA. O acampamento preferido deles é

ENTIDADE CONFIRMA DÉFICIT NAS CONTAS DO ESTADO – Governo do Estado pode fechar ano em vermelho e déficit pode ser bilionário.


acil
Esta postagem foi publicada em 9 de novembro de 2018 Administração, Notícias, Notícias em Destaques Slide Topo, Política.

IMAGINA QUE A SERRA CATARINENSE ESTÁ COM VÁRIAS OBRAS INACABADAS. ATÉ O ANO PASSADO NÃO PARAVAM OBRAS POR FALTA DE RECURSOS. APENAS POR QUESTÕES AMBIENTAIS OU BUROCRÁTICAS.

Governador Eduardo Pinho Moreira já admitiu dificuldade para fechar as contas do ano.

Crise econômica, peso da folha, precatórios, dívidas com juros de empréstimos e com a Saúde, entre outros setores, farão com que o Governo do Estado feche o ano com um déficit de mais de R$ 1 bilhão.

Recentemente o governador informou déficit na contas aos presidentes da Associação de Jornais do Interior (Adjori-SC), Miguel Ângelo Gobbi; da Associação de Diários do Interior (ADI-SC); Ámer Felix Ribeiro; e da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), Marcello Corrêa Petrelli. Foi em reunião do governador Eduardo Pinho Moreira, esta semana.

Ele apresentou um diagnóstico das contas do Estado e atual situação dos serviços públicos. O encontro foi acompanhado por jornalistas ligados às três associações. O encontro aconteceu na sede da Associação Empresarial de Florianópolis (ACIF) e foi aberto pelo presidente da entidade, Luciano Rossi Pinheiro.

Pinho Moreira estava acompanhado dos secretários da Fazenda, Paulo Eli, da Segurança Pública, Alceu de Oliveira, da Comunicação, Gonzalo Pereira, e, quase ao final do encontro, também o da Saúde, Acélio Casagrande. O governador elogiou a preocupação das entidades em acompanhar a real situação do governo e fez uma apresentação de dados, começando pela situação em que teria recebido o Executivo, em fevereiro de 2018.

Dizendo que não citaria nomes, ele apontou como um dos problemas mais graves ao assumir o governo, o limite da folha ultrapassado, chegando aos 49,73%; a dívida de R$ 19,5 bilhões em empréstimos bancários e a dívida de R$ 1 bilhão na Saúde. Outro agravante era que o Estado não possuía a certidão negativa dos precatórios, impedindo o recebimento de recursos federais. A questão somente foi resolvida há duas semanas, após uma decisão liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na avaliação do presidente da Adjori-SC, o período eleitoral é um momento que exige extrema cautela por parte da imprensa. Durante a campanha, diz ele, muitos candidatos a cargos eletivos divulgam dados que nem sempre são verdadeiros. “É importante que o governo tenha o máximo de transparência nas informações que servem para subsidiar os veículos de comunicação. Afinal, na maioria das vezes, é por meio da imprensa que a população acompanha as ações do governo, característica reforçada em regiões do interior do Estado. Em tempos de fake news, valorizar os veículos devidamente registrados é fundamental”, disse Gobbi.

 

Enxugamento da máquina

 

Moreira apresentou uma lista de ações colocadas em prática desde fevereiro, quando assumiu o governo de Santa Catarina, após a saída de Raimundo Colombo. Ele afirmou que foi necessário implementar uma série de medidas para redução do custeio da máquina pública do Estado, além de arranjos financeiros para garantir condições ao Tesouro estadual de manter as contas em dia. Com isso, o déficit, que era de aproximadamente R$ 2 bilhões, baixou em pelo menos R$ 900 milhões e está projetado em R$ 1,1 bilhão para 2018.

Uma das medidas mais exitosas foi a não renovação de benefícios e renúncias fiscais. Entretanto, o governador não falou em valores exatos, mas garantiu que boa parte do caixa que vem conseguindo manter é justamente por conta dessa medida. “Já consegui aumentar muito a receita do Estado. Parte do nosso crescimento é fruto de benefícios que nós não prorrogamos. Muitos prazos foram vencendo, em maio, junho, julho, e nós não renovamos. Por isso estamos dando conta. Tinha muito benefício que não era justificável. E é muito dinheiro. Um dia eu vou dizer quem é que tinha benefício”, disse ele. Questionado se as concessões de benefícios tinham a ver com as eleições de 2014, Moreira foi sucinto, mas enfático: claro que sim, disse.

Logo que assumiu a administração do Estado, em fevereiro deste ano, Moreira também cortou 218 cargos comissionados e 471 funções gratificadas. No mesmo período foram desativadas 15 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) e quatro secretarias executivas.

 

Escassez de recursos

 

Ao apresentar os dados, Moreira fez questão de ressaltar a pressão que o governo sofre para ajustar a questão financeira. No período de 2010 a 2017, a folha de pagamento cresceu R$ 6,2 bilhões, o equivalente a 109,2%, frente a um índice inflacionário de menos de 53%. De dezembro de 2011 a dezembro de 2017, a dívida pública de Santa Catarina saltou de R$ 11,8 bilhões para R$ 19,6 bilhões.


133 Visualizações

Nenhum banner para exibir

Coluna Eron J. Silva



-